SÁBADO, 28-05-2016, ANO 17, N.º 5964
FC PORTO
Fundação:1893 | Presidente SAD:Pinto da Costa
Internet: http://www.fcporto.pt Email: futebolsad@fcporto.pt Telefone: 225070500
Estádio: Estádio do Dragão
Lesão afasta Ismael Díaz da Copa América
Ismael Díaz, jogador da equipa B do FC Porto, foi dispensado dos convocados do Panamá para a Copa América, após ter sofrido uma recaída numa lesão no joelho esquerdo.
Dragões interessados em Fernando Tissone
FC Porto O FC Porto está interessado na contratação de Fernando Tissone, médio de 29 anos do Málaga, para reforçar o plantes já na próxima temporada. Segundo o portal italiano tuttomercatoweb, o arge
Fernando Tissone
27-05-2016 - 19:18
«Temporada no FC Porto? Sabendo que vou para um Europeu isso tudo se esquece» - Danilo
FC Porto Danilo Pereira garantiu, esta sexta-feira, que o facto de não ter conquistado qualquer título esta temporada ao serviço do clube da Invicta já está esquecido. «Sabendo que vou para um Europeu isso
«Vim para o Porto com a ideia de assentar» - Casillas
FC Porto O futuro de Iker Casillas está sempre a ser falado e muitos rumores surgiram sobre uma possível transferências do guarda-redes espanhol para a Major League Soccer dos Estados Unidos, deixando assim o
Decisão sobre novo treinador na próxima semana
FC Porto A rescisão com José Peseiro deve ficar consumada no início da próxima semana, quando alguns dos dirigentes do FC Porto, que no sábado estarão em Milão a assistir à final da Liga dos Campeões, voltarem
Rúben Neves sai em defesa de Helton
FC Porto O médio Rúben Neves utilizou as redes sociais para sair em defesa de Helton na sequência das críticas dirigidas ao guarda-redes brasileiro após o final da Taça de Portugal. O jovem médio colocou um
foto instagram
26-05-2016 - 23:13
Layún não afasta saída, mas acredita que dragões devem exercer opção
FC Porto Miguel Layún, lateral mexicano do FC Porto, acredita que os dragões acabarão por exercer a opção de compra do seu passe junto dos ingleses do Watford, mas não garante que continuará a vestir de azul e
Italianos insistem no interesse em Bruno Fernandes
FC Porto O jornal italiano Tuttosport insiste, esta quinta-feira, que o FC Porto está interessado na contratação de Bruno Fernandes, internacional sub-21 português que tem contrato com a Udinese até junho de 2
Felipe assume 90 por cento de hipóteses de rumar ao Dragão
FC Porto O defesa-central brasileiro Felipe assumiu que tem 90 por cento de hipóteses de deixar o Corinthians para rumar ao futebol europeu. «O FC Porto é o destino? É o que mais saiu», respondeu o jogador num
Saída de José Peseiro está a ser negociada
FC Porto José Peseiro não será técnico do FC Porto na próxima temporada, mas a SAD portista ainda não formalizou o desenlace com o treinador, que tem mais de um ano de contrato para cumprir. Segundo A BOLA, as
«Serei um dragão para sempre» - Deco
FC Porto Mais de uma década depois de ter deixado os dragões, Deco, o ‘Mágico’, como ficou conhecido, admite que não esquece a sua passagem pelo clube da Invicta e confessa-se «portista de corpo, alma e coraçã
Salvos por cão com lata de esmolas ao pescoço…
Do Passado para o Presente Se José Mourinho vai ganhar 15 milhões de euros por ano só em salários no Manchester United só os vai ganhar porque aos primeiros anos do século XX um cão com uma lata de esmolas ao pescoço fugiu do dono e entrou no pub de um homem que enriquecera a fabricar cerveja. Não, não é só essa a história impressionante que aqui se conta – também se fala de como o novo clube do Special One nasceu de ferroviários fartos de bebedeiras e combates de boxe entre os trilhos dos comboios e de como um Mourinho antes de Mourinho chegou a Old Trafford, o estádio que a aviação nazi destruiu e quando sonhava tornar-se campeão europeu mais de metade dela morreu na queda de um avião, salvou-se e acabou por ganhar a Taça dos Campeões ao Benfica. E não, não é tudo… Filho de dois analfabetos, George Stephenson formou-se engenheiro – e aos 25 anos criou uma máquina a vapor que ajudasse ao transporte de carvão na mina de Wylan onde trabalhava, arrastando vagões sobre carris. Tirou a ideia de fora da mina, desenvolveu a máquina, chamou-lhe Locomotion - e em setembro de 1925, com ele próprio a conduzir a sua Locomotion, transportou 80 quilómetros de carvão entre Darlington e Stockton-on-Tees, demorando duas horas a percorrer os 15 quilómetros de linha férrea que criava entre um ponto e outro. Foi uma revolução. Não tardou, criou carruagens para transporte de passageiros – e 15 de setembro de 1830 abriu-se a linha que ligava Liverpool a Manchester. A locomotiva que puxava o comboio era muito mais potente do que as demais – e por isso Stephenson pôs-lhe nome óbvio: Rocket. Foi tal a euforia que causou que William Huskisson, membro do parlamento eleito por Liverpool, ao vê-la arrancar desatou a correr a seu lado, tropeçou, caiu – e foi a primeira vítima mortal de um comboio… O CLUBE DOS FERROVIÁRIOS CANSADOS DO BOXE (E NÃO SÓ…) Criou-se a Manchester & Leeds Railway para explorar a linha – que montou o terminal ferroviário de Manchester montou-se em Newton Heath. À sua beira ergueram-se oficinas para construção de locomotivas, vagões e carruagens – e, nos seus primeiros tempos, nos intervalos do trabalho ou davam-se à bebida ou atiravam-se a combates de boxe sobre os rails que montavam. Algures por 1878 alguns desses operários da Lancashire & Yorkshire Railway (LYR), cansados das bebedeiras e dos socos, acharam que talvez fosse mais sedutor divertirem-se com o futebol que já era moda em colégios e universidades, pedindo, para isso, aos seus patrões, ajuda para criarem clube que o jogasse. Fundaram-no como Newton Heath LYR – e fez tal furor que, formado por maquinistas, surgiu-lhe rival imediato – o Newton Heath Locomotive. Não tardou, os jogos deixaram de ser apenas entre as várias secções da empresa. O seu primeiro desafio foi em novembro de 1880 – contra as reservas do Bolton Wanders. O Newton Heath LYK jogou com camisolas verdes e douradas, as cores da empresa – e perdeu por 6-0. Quatro anos depois, aventurou-se à disputa da Lancashire Cup – e ficou-se pela primeira ronda, batido pelo Blackburn por 7-2. Melhor foi o que sudeceu na Manchester Challenge Cup: chegou à final, perdeu-a por 3-0 com o Hurst. A FILHA DO SACERDOTE FEZ O MESMO NO OUTRO LADO DA CIDADE… Anna Connell era filha de um sacerdote – e algures por 1880 fundara na igreja do pai uma associação para ajudar pobres. Depois, para dar uma luz aos rapazes de West Gordon, juntou-se a dois trabalhadores da fábrica de ferro – e criou no seu seio uma equipa de futebol. O seu primeiro nome era o nome da igreja: St. Marks. Sete anos depois, para ter campo, mudou-se para Ardwick e passou a ser Ardwick Association Football Club. (E em 1894 passou a ser o que é hoje, o Manchester City Football Club…) Em 1888 o Newton Heath LYK decidiu deixar de ser apenas clube de trabalhadores de uma empresa ferroviária, deixou cair o LYR, passou a ser o Newton Heath Football Club – e aderiu à Football Alliance, o embrião da Football League. Por lhe terem retirado o Lancaster & Yorkshire Railway do nome, os donos da companhias lançaram de pronto o aviso: - Assim, não damos nem mais um cêntimo para o Newton Heath… e foi o que aconteceu. ...
Estilos e Espantos Já parou para pensar que as fantásticas histórias de Robin dos Bosques pela Floresta de Sherwood podem não ter sido apenas só histórias? Ou que é que ele poderá ter a ver com a história dos Jogos Olímpicos? Sim tem. E a famosa atriz dos Jogos da Fome também. Isso é o que aqui lhe contamos, contando-lhe também o que não imagina: que há um cego que saiu de Londres-2012 com um recorde mundial até Foi através do tiro com arco que o homem conseguiu sobreviver através da caça, quando ainda habitava em cavernas. Foi o tiro com o arco que definiu o rumo das sangrentas batalhas na Antiguidade e Idade Média. E foi precisamente a Guerra Civil dos Estados Unidos que impulsionou o interesse na modalidade - quando a guerra terminou os soldados foram proibidos de usarem armas de fogo, encontrando no arco uma forma de sublimar as suas vivências. No convívio com os índios aprenderam todas as técnicas relacionadas com a arte. Em 1900, em Paris, o tiro com o arco apareceu pela primeira vez como modalidade Olímpica, uma homenagem ao guerreiro Hércules, considerado o primeiro arqueiro da história. De Robin Hood a Legolas, os arqueiros são ícones da literatura e do cinema mundial. O homem tornou-se caçador por instinto. Assim se define o tiro com o arco – mais do que uma competição, é um desafio – requer estabilidade, concentração, precisão, foco e perseverança. Em contagem decrescente para os Jogos Olímpicos do Rio, a performance heroica dos atletas transformará a ficção em realidade. O objetivo? Os atletas atiram a um alvo, medindo apenas 122 cm a 70 metros de distância. Para alcançar as marcas máximas devem atingir o centro que mede apenas 12,2 cm. Outro momento histórico: nos Jogos de St. Louis, em 1904, houve uma mulher a competir no tiro ao arco - e em algumas das provas diretamente contra homens. Nascida em Ohio, a 28 de Agosto de 1859, Linda Howell saiu de lá com três medalhas de ouro. O interesse de Linda pelo tiro com o arco surgira em 1878, depois de ter lido os livros de Maurice Thompson. De 1904 a 1912, não houve tiro ao arco no programa olímpico. Voltou em 1920, em Antuérpia, mas Linda Howell não se aventurou a lá estar. O COI decidiu afastar o tiro ao arco dos Jogos, por não ter regras e competições uniformizadas, só voltou em 1972, nos Jogos de Munique. Claro, nessa altura, Linda já tinha morrido - mas espantoso foi que, mesmo sem competições olímpicas onde ir, continuou a ir a várias outras, na última em que participou tinha 71 anos e 290 dias. A LENDA VAN INNIS E AS SEIS MEDALHAS DE OURO Porém, a primeira lenda na modalidade foi outra, nasceu em Bruxelas a 24 de fevereiro de 1866 e morreu aos 95 anos como um herói. E a grande dúvida é: o que teria acontecido se tivesse havido JO em 1908 e 1912 (e os de 1916 não tivessem sido cancelados por causa da I Guerra Mundial)? Sim, a pergunta faz todo sentido. Van Innis é o arqueiro mais medalhado da história - apesar de só ter estado em duas edições de JO: na de 1900, em Paris, e na de 1920, em Antuérpia. Em Paris ganhou duas medalhas de ouro e uma de prata e em Antuérpia ganhou quatro de ouro e duas de prata. Ou seja, seis de ouro, três de prata - não há, na história, quem tenha mais. Era um atirador tão habilidoso que, em muitas ocasiões foi mesmo proibido de participar em competições para que os outros concorrentes também pudessem ganhar. Para Hubert, o tiro com o arco era muito mais do que um simples desporto popular praticado no seu tempo - e se nenhum atirador tem mais medalhas olímpicas do que ele, nenhum belga tem mais medalhas do que Hubert em Jogos Olímpicos. E não, não teve vida fácil: quando era criança, entregava leite em vilas em redor de Bruxelas, para ajudar os pais no sustento da família. ...
Grande História Nem imagina o que aconteceu à Áustria antes da Áustria chegar ao Euro 2016. E se, por um acaso do destino, o lado dramático da história não se cruzou com Portugal, o lado surpreendente da história cruzou-se. Descubra-o adiante (como e porquê...)- e pelo caminho vá-se espantando com outros incríveis episódios, como, por exemplo, a razão porque o austríaco que esteve no Europeu que fez de João Moutinho campeão Sub 17 perdeu metade de um braço... Os austríacos foram uma das grandes surpresas da fase de apuramento, sendo líderes do grupo G com 22 pontos em oito jogos e sem sofrerem qualquer derrota. Desde 1998, do Mundial de França, que não atingiam a fase final de uma grande competição de seleções. Depois de uma época de declínio, desconfiança dos adeptos, erros e falhas na qualificação de provas, mudanças atrás de mudanças no comando técnico da Seleção, a Áustria renasceu a partir de 2010/2011 com a chegada de Marcel Koller ao poder. Além de ser um treinador ambicioso, a Áustria começou a contar com diversos jogadores que faziam parte da equipa de sub-20, que em 2007 tinha atingido o quarto lugar no Mundial da categoria, dando à Seleção uma injeção de qualidade. Portugal e Áustria já se encontraram por dez vezes – o último jogo foi em 1996, num empate (1-1) em Viena – quando Paulinho Santos (peça fundamental no plantel portista que dominou o futebol nacional na década de 90, mais conhecido pelo seu temperamento irascível do que propriamente pelo seu talento futebolístico) marcou aquele que foi considerado o melhor golo da sua carreira, num remate em ângulo depois de passar por dois adversários. No Euro 2016, a 18 de junho, no Parque dos Príncipes, Portugal volta a cruzar-se com a Áustria, a Seleção saída da crise, mas que no panorama geral é a que apresenta melhores resultados: três vitórias, contra dois triunfos de Portugal e cinco empates. O último grande feito da Áustria foi no Mundial de 1982, em que caiu nos quartos-de-final, com estrelas como Krankl, Pezzey ou Prohaska. OS 23 DE PORTUGAL Parece mentira mas é verdade…O coração dos portugueses vive um verdadeiro frenesim sempre que a sua Seleção joga uma competição internacional. As janelas dos prédios ficavam adornadas de bandeiras portuguesas e naqueles dias só se pensa na equipa das Quinas. Portugal até à data, dizem calhou num grupo fácil – também dizem que só deve temer a Áustria – o adversário que se afigura mais complexo. No ranking FIFA, ocupa a décima posição, apenas três lugares abaixo de Portugal. É bom? Pode ser. Mas longe, muito longe do que a Áustria já foi - pois, nos anos 30, havia quem a tratasse como «Equipa Maravilha», achando que o quarto lugar no Mundial de 1934 não espelhava o seu real valor. E além da equipa tinha uma estrela, estrela trágica, o Matthias Sindelar - que, ainda hoje, para os austríacos é o seu Maior Jogador de Todos os Tempos. Agora os nomes são outros – David Alaba, a pérola do Bayern de Munique que Guardiola idolatrou; ou Marc Janko, um goleador nato, quem em Portugal já vestiu a camisola do Futebol Clube do Porto. ...

destaques