DOMINGO, 02-08-2015, ANO 16, N.º 5664
BENFICA
Fundação:1904 | Presidente SAD:Luis Filipe Vieira
Internet: http://www.slbenfica.pt Email: sec.geral@slbenfica.pt Telefone: 707200100
Estádio: Estádio do Sport Lisboa e Benfica
«Não temos feito jogos para encher calendário» - Rui Vitória
O treinador do Benfica mostrou-se satisfeito com os progressos da equipa nesta pré-época, onde considera ter realizado apenas jogos de preparação de elevado grau de dificuldade.
Manchester United não larga Gaitán
Benfica O jornal inglês Daily Express volta, este sábado, a noticiar o interesse do Manchester United na contratação de Nico Gaitán, referindo que o acordo entre as partes poderá estar por horas. Gaitán, 27 anos, disse recentemente que não poderia garantir que permanecesse no Benfica, clube ao qual está vinculado até junho de 2018, com cláusula de rescisão fixada em 35 milhões de euros. Apesar de o Daily Express referir que o acordo com o Manchester United pode estar por horas, é certo que Gaitán não sairá do Benfica até ao jogo da Supertaça Cândido de Oliveira, frente ao Sporting, marcado para domingo.
Gaitán
01-08-2015 - 11:18
Jonathan Rodríguez apto para o jogo com o Monterrey
Benfica Jonathan Rodríguez está recuperado de um traumatismo no joelho direito e deve poder defrontar, amanhã, o Monterrey, na Eusébio Cup. A partida, recorde-se, assinalará a estreia do novo Estádio BBVA Bancomer e o final da digressão das águias por terras norte-americanas.
Confirmado empréstimo de Pelé ao P. Ferreira
Benfica O Benfica confirmou o empréstimo do médio Pelé ao Paços de Ferreira. O médio contratado ao Belenenses neste defeso reencontra-se assim com Jorge Simão com quem trabalhou no Restelo.
«Quando chegar a oportunidade saberei aproveitá-la» - Ederson
Benfica O guarda-redes Ederson mostrou-se muito satisfeito pela oportunidade de poder representar o Benfica e teceu rasgados elogios a Rui Vitória. «Tem sido bom, é um excelente treinador. Pelo que tenho visto, trabalha de forma diferente de Jorge Jesus, mas tem sido muito positivo», disse. A trabalhar com Hugo Oliveira (treinador), Júlio César e Paulo Lopes, o guardião brasileiro também não podia ser mais elogioso: «São os três fantásticos, muito experientes. Tenho aprendido muito. Se estou preparado caso surja oportunidade? Sim, quando ela chegar saberei aproveitá-la. Temos de estar preparados para tudo. Nunca se sabe o amanhã.»
«Benfica bem servido, caso o Sílvio não tenha azares...» - Miguel
Benfica Para o ex-internacional português, o Benfica não precisa de recorrer ao mercado para contratar um lateral-direito, uma vez que pode encontrar no plantel uma solução para substituir Maxi Pereira. Acredita que esta pode ser a época de afirmação de Sílvio. «O Maxi Pereira era uma referência da casa, era a imagem do que o clube pretende. Mas o Maxi já era e o Benfica continua a ser o Benfica. A direção e o treinador terão de encontrar uma solução. No plantel, o André Almeida tem condições para fazer esse lugar e há também o Sílvio, que está à procura da melhor forma. Se o Benfica não for ao mercado, fica bem servido, caso o Sílvio não tenha azares. Espero que este ano seja o ano da sua afirmação e que faça uma excelente época. É um grande amigo e merece tudo de melhor», disse o ex-jogador do Benfica em declarações à rádio Renascença.
Sílvio
31-07-2015 - 19:22
Pelé recusou Estrela Vermelha
Benfica Pelé recusou uma proposta para representar o Estrela Vermelha, por uma época, cedido pelo Benfica. O convite era tentador do ponto de vista financeiro, mas o médio defensivo avaliou a componente desportiva e concluiu que não seria positiva a mudança para um campeonato com pouca visibilidade. Além do mais a preferência do jogador é permanecer em Portugal, de forma a mostrar o seu valor e regressar o mais depressa possível ao Benfica. Nesta medida, e depois de gorado o empréstimo ao SC Braga, por excesso de médios no plantel de Paulo Fonseca, o Paços de Ferreira será o destino mais provável de Pelé.
Romário Baldé emprestado ao Tondela
Benfica Depois de ter renovado contrato com o Benfica, Romário Baldé vai jogar por empréstimo no Tondela, confirmou esta sexta-feira o clube da Luz. A BOLA já tinha anunciado a possibilidade de Romário Baldé rumar ao clube recém-promovido à Liga, sendo que Académica e Belenenses também tinham manifestado intenção de contar com o seu concurso . No Tondela, Romário Baldé vai vestir a camisola número 45 e confirma-se como o 16.º reforço, depois dos guarda-redes Matt Jones e Miguel Batista, dos defesas Oto’o Zue, Markus Berger, Kaká, Bruno Nascimento e Luís Tinoco, dos médios Hélder Tavares, Lucas Souza, Jaquité e Luís Alberto e dos avançados Dolly Menga, Wagner, Nathan Júnior e Murillo (este também por empréstimo do Benfica).
«No ano passado houve resultados piores na pré-época» - João Alves
Benfica João Alves, antiga glória do Benfica, não se mostra preocupado com os resultados obtidos pelo Benfica na pré-época, lembrando aquilo que aconteceu na temporada passada sob o comando de Jorge Jesus. «Há o exemplo do ano passado com Jorge Jesus, que teve resultados bem piores do que estes. O Benfica jogou contra boas equipas», referiu o luvas pretas, em declarações à Renascença. Para João Alves, é natural que ainda haja interrogações pelos lados da Luz, salientando: «O Benfica perdeu um dos dois avançados titulares e terá de encontrar um novo equilíbrio na frente de ataque, assim como na posição de lateral direito, pois o Maxi Pereira era muito importante. Além disso, ainda há a lesão do Salvio. Neste momento serão as dúvidas do treinador do Benfica.» A verdade é que o primeiro compromisso oficial está à distância de uma semana, a Supertaça Cândido de Oliveira, frente ao Sporting. João Alves admitiu que os leões terão alguma vantagem: «O Sporting contratou jogadores mais cirurgicamente e o seu treinador terá a vida mais facilitada.»
Jiménez próximo do West Ham
Atlético Madrid Raúl Jiménez, ponta de lança mexicano de 24 anos do Atlético de Madrid que estava nos planos de Benfica e FC Porto, está muito próximo do West Ham, da Premier League. O jogador não faz parte dos planos de Diego Simeone, treinador dos colchoneros, e surgiu no horizonte do Benfica há algumas semanas. A saída de Lima intensificou o interesse dos encarnados, mas o problema é que o emblema inglês tem poder financeiro para oferecer melhores condições ao jogador e ao Atlético de Madrid, estando perto de garantir o empréstimo por uma temporada de Raúl Jiménez, mas pagando pela cedência do futebolista.
Jonathan Rodriguez falha treinos
Benfica O avançado Jonathan Rodriguez falhou as duas sessões que o Benfica está a realizar no México. O ponta-de-lança uruguaio apresenta um traumatismo no joelho direito e teve de trabalhar à parte, mas este problema não irá impedir o jogador de participar no próximo jogo.
Estrela de Diamante A Eusébio Cup é no México e no México viveu Eusébio uma parte atribulada da sua aventura pela América. Não, não foi só como jogador do Benfica – foi, sobretudo, quando deixou de ser jogador do Benfica. Essa é a história que aqui se conta – por entre tantas, tantas, outras. E é assim que se fecha uma viagem fantástica pela sua vida – de Mafalala ao Panteão... Ainda não tinha sequer levado pelo seu fascínio o Benfica a bicampeão europeu nos 5-3 ao Real Madrid em Amesterdão e já Eusébio tinha o mundo a seus pés. Wolf Lyberg, jornalista sueco do IB-Idrotsbladet, que já se encantara com os «três golos magníficos que pareciam tiros de canhão» que marcara em Paris ao Santos de Pelé, na primeira vez em que defrontara o Santos e o Pelé, escreveu: «Para mim, para o planeta, Eusébio ganhou um novo nome: Eusébio Navarone, Navarone como os canhões». 3000 contos eram 3000 contos, sobretudo depois do que perdeu... Pois, se a fama chegara cedo, a fortuna nem por isso: - Fomos campeões, campeões de 1974/75, e o Benfica libertou-me, enfim, para eu ir à minha vida. No fundo, para eu recuperar o que tinha perdido ao longo do tempo para não deixar o Benfica, para recuperar o o que tinha perdido em Moçambique: com a independência, os gajos nacionalizaram tudo o que eu lá tinha: casas, terrenos – e quem mo tirou foram os gajos com quem eu tinha andado na escola, com quem eu tinha crescido em Mafalala, jogado à bola em Mafalala. Sim, era um homem rico, mas rico por aquilo que tinha ganho na bola mais do que pelos apartamentos e terrenos. Parti e senti logo saudades do Benfica, mas 3000 contos eram 3000 contos... (Era muito? Depende. Por essa mesma altura, Yazalde trocara o Sporting pelo Marselha por 12 500 contos...) Cunhal não queria eleições, mas houve... Vasco Gonçalves, o Primeiro Ministro do PREC, começara, entretanto, a tropeçar nos seus devaneios: - Não podemos perder por via eleitoral aquilo que tanto tem custado ao povo, a revolução. e Álvaro Cunhal deu-lhe aconchego: - As eleições não têm nada ou têm muito pouco a ver com a dinâmica revolucionária, Portugal nunca terá uma democracia burguesa. O MFA não cedeu às pressões e aceitou que se fizessem as eleições para a Assembleia Constituinte. estavam marcadas para Foram a 25 de Abril de 1975. Ganhou-as o PS. A 25 de Abril de1975 fizeram-se, enfim, mesmo contra o desejo de Álvaro Cunhal e do PCP, as eleições livres. O República titulou: «Às 4 da manhã já havia eleitores nas portas das assembleias de Lisboa». Depois, ao longo do dia, um pouco por todo o lado, viu-se gente, muita gente, várias horas em bichas à espera de colocar na urna boletim feito em papel oferecido pela Suécia, numa delas, um repórter apanhou de Olinda Alcobia: - Tive de deixar a minha menina de 4 anos sozinha em casa, mas eu tinha de votar, tinha de aproveitar a liberdade, esta coisa maravilhosa que o 25 de Abril deu ao povo A seguir às eleições, a notícia foi: 80 mil dólares para Eusébio... O PS elegeu 115 deputados, o PPD 80, o PCP 30, o CDS 16 e o MDP/CDE 5 – e nem Artur Jorge pelo MDP/CDE, nem António Simões, pelo CDS, conseguiram lugar em São Bento – e no dia seguinte por entre o frenesim que o ato causou pelos jornais, anunciou-se que os Oceaneers de Rhode Island acordara contrato de 80 mil dólares (que eram, então, cerca de 2000 contos...) com Eusébio – e o seu presidente ainda disse mais: - É um compromisso por 12 meses, pagáveis a 200 contos por cada 30 dias... Ainda não se sabia se o Benfica o dispensaria ou não (Simões já se sabia que sim...) e, por isso, num sinal desses novos tempos, no Diário de Lisboa escreveu-se: «Afastados da selecção nacional e perto do ocaso das suas carreiras, temos de convir que a proposta é deveras tentadora. Isso mesmo o deverá reconhecer o Benfica, cujos dirigentes não deixarão de seguir, em relação a Eusébio, o mesmo critério que adoptaram no caso Simões, autorizando-o igualmente a sair do Benfica. Privar o jogador de aproveitar esta oportunidade seria um grave atropelo ao sagrado direito ao trabalho que não estaria nunca no espírito dos dirigentes do Benfica...» Estados Unidos perderam o Vietname, Eusébio ganhou a América... Cinco dias depois, na capa do República havia notícia de que a peça Três Marias subira a cena em Washington – e a manchete era a que contava o fim da Guerra no Vietname com a derrota dos americanos. E sim, já se sabia também que sim – que Borges Coutinho aceitara desligar Eusébio do contrato que ainda tinha com o Benfica para poder «ir ganhar a vida» à América... ...
Estrela de Diamante Com Eusébio pelos Estados Unidos, Portugal começou, devagarinho, mas agitado, a desfazer-se do Verão Quente que se atiçara quando ele para lá foi. Nas festas do 1º de Maio de 1975, o PCP proibira Mário Soares, o líder do partido que ganhara as eleições de discursar. O PS pediu ao FC Porto as Antas e no comício que lá fez pela «democracia de verdade» estiveram 50 mil pessoas. Arrastou mais 100 mil para a manifestação da Fonte Luminosa, apesar de o COPCON, a força militar comandada por Otelo Saraiva de Carvalho, ter levantado barragens à entrada de Lisboa – e Costa Gomes, o Presidente da República que substituíra António de Spínola, percebeu o destino a mudar: - O povo já não está com o MFA... Cocktails molotov e o fim do PREC do filho do treinador campeão no Benfica O PCP ainda fez em Montemor-o-Novo ação para exortar à «defesa da revolução, custasse o que custasse», ensinou aos seus militantes o fabrico de cocktails molotov – mas a 12 de Setembro de 1975 o gonçalvismo, esse frenesim radical sob o signo de Vasco Gonçalves, o filho de Vítor Gonçalves que fora o primeiro treinador a fazer do Benfica campeão, apagou-se. Tinham sido mais do que 452 dias quentes – 452 dias avassaladores. O tio-avô de Bruno de Carvalho e a fumaça das bombas a rebentar... Com a inesperada bênção de de Otelo e o arrimo do PS e PPD foi Pinheiro de Azevedo a Primeiro-Ministro. Por essa altura já tinha um sobrinho-neto chamado... Bruno, Bruno de Carvalho – e sim, é mesmo esse: o presidente do Sporting! No seu governo pôs Melo Antunes, Salgado Zenha e Almeida Santos (que fora jogador de voleibol da Académia, tal com Adriano Correia de Oliveira, o cantor). Quatro dias após a posse deficientes das forças armadas desaguaram em Belém e deixaram o governo sequestrado seis horas, o restabelecimento da ordem coube aos comandos da Amadora de Jaime Neves. Era ainda o tempo das manifs e das contra manifs – e a 9 de Novembro convocou-se para o Terreiro do Paço uma a favor do governo. De súbito, a atemorizar quem lá estava, rebentaram bombas do PRP e granadas de fumo da Polícia Militar – e Pinheiro de Azevedo da varanda do palácio bradou: - É só fumaça, o povo é sereno! Os deputados à fome, o governo em greve...Nem 72 horas passaram – e trabalhadores da construção civil entrincheiraram-se junto à Assembleia Constituinte. Vaiaram Pinheiro de Azevedo. Que exigiu a Otelo brigada do COPCON para desfazer o cerco ao Parlamento, ele não lhe obedeceu. 36 horas ficaram deputados à fome, queixaram-se. (Os do PCP não, puderam entrar e sair, vitoriados, aclamados.) Cá fora, gritou-se, vezes sem conta: - Pinheiro de Azevedo fascista... fascista... fascista... até que ele, explosivo, retrucou: - Vão à bardamerda... Bardamerda para o fascista... Da Avenida da Liberdade com betoneiras e tractores de reboque das zonas da Reforma Agrária largou, depois, a «manifestação unitária popular». Desembocou no Terreiro do Paço e na mensagem que enviou para ser lida por um soldado, Otelo, afirmou que o Terreiro deixara de ser do Paço, passara a ser do Povo - e exortou trabalhadores e militares a avançarem para a «revolução socialista». Pinheiro de Azevedo respondeu-lhe com ato como nunca se vira: pôs o governo em greve, largou mais uma bombástica frase: - Já chega... Não gosto de ser ofendido, não gosto de ser sequestrado, pá, chateia-me... «Se não me segurassem, matava-o...» A 23 de novembro, houve mais uma jornada para o Nacional – e o FC Porto empatou em Aveiro com o Beira-Mar, deixando Stankovic, o seu treinador, em cada vez mais maus lençóis. O Benfica também empatou, mas em Braga – mas, mesmo sem Eusébio, continuou, com Mário Wilson ao leme, de vento em popa a caminho do título. O Sporting? O Sporting, que nesse ano andara sobretudo em contradança, vá lá: ganhou ao Belenenses. Horas depois, Ramalho Eanes, Melo Antunes, Vasco Lourenço e Jaime Neves foram a Belém dar conta da intenção a Costa Gomes - e Neves contou: - Se não me segurassem eu matava-o. Atirei-me a ele, agarrei-lhe o pescoço, sim até o matava... Porque ele, que era o PR, o Chefe do Estado Maior, não queria assumir nada, a responsabilidade das operações militares, só dizia que os outros eram coitadinhos e por aí adiante, não, não estava hesitante, estava cheio de medo, cheio de medo... A morte do jogador de basquetebol e Jaime Neves com Jorge de Brito... Era já 25 de novembro: quando no Ralis, onde os soldados tinham feito um juramento revolucionário de punho fechado, Dinis de Almeida e Carlos Fabião foram presos, os revoltosos entregaram-se, em catadupa, ao capitão Salgueiro Maia. Estando a Polícia Militar a entregar-se também na Ajuda ao pelotão de comandos de Jaime Neves – uma milícia popular disparou de um prédio fronteiro e matou-lhe três homens. Um deles, José Eduardo Coimbra, era grande esperança do basquetebol nacional, estava miliciano na Amadora, jogava na equipa do BPM, no Porto. (Em 1981 Jaime Neves passou à reserva, foi trabalhar para Jorge de Brito como seu gestor de propriedades. Continuou a acompanhar o clube para todo o lado - era ritual que tinha desde os tempos de Eusébio, que só não cumpria quando andava po África fazer-se herói. Comandara a companhia 2045, uma das últimas forças especiais a deixar a guerra colonial - e nela se inspirou para, com mais seis comandos, fundar uma empresa de segurança: 2045, o seu último projecto de vida...) ...

destaques