DOMINGO, 28-05-2017, ANO 18, N.º 6329
Guiné-Bissau
Comunidade internacional preocupada por falta de aplicação do Acordo de Conacri
15:43 - 17-05-2017
Os representantes das organizações internacionais na Guiné-Bissau reuniram-se hoje com o Presidente guineense, José Mário Vaz, a quem manifestaram a sua preocupação pela ausência de progressos na aplicação do Acordo de Conacri.

«Manifestamos a nossa preocupação pela ausência de progressos com vista à implementação do Acordo de Conacri e também na sequência de missão de alto nível da CEDEAO, uma vez que neste quadro tinha sido dado às autoridades nacionais uma recomendação de 30 dias para a solução da situação que se vive na Guiné-Bissau», afirmou Ovídeo Pequeno, representante da União Africana no país, no final do encontro, que falou em nome do p5.

O P5 integra a União Africana, União Europeia, Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Nações Unidas e Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO).

Segundo Ovídeo Pequeno, os representantes das organizações internacionais manifestaram também preocupação em relação à preparação das eleições legislativas, previstas para 2018.

«Há etapas importantes a serem levadas a cabo para que as próximas eleições sejam consideradas justas e transparentes. No quadro atual, é evidente que não temos a garantia que isso possa acontecer. Há muito trabalho a ser feito», sublinhou.

No âmbito do encontro, o P5 recomendou também ao Presidente José Mário Vaz para uma encontrar uma "solução conjunta" para o impasse político que vive a Guiné-Bissau, defendendo uma iniciativa de diálogo com todas as partes, incluindo o Partido Africana para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC).

O Acordo de Conacri, patrocinado pela CEDEAO, prevê a formação de um governo consensual integrado por todos os partidos representados no parlamento e a nomeação de um primeiro-ministro de consenso e da confiança do chefe de Estado.

Na última missão realizada a Bissau para avaliar a sua aplicação, a CEDEAO exigiu o total cumprimento do Acordo de Conacri, sob pena de impor sanções a quem esteja a criar obstáculos à sua implementação.

O prazo dado pela CEDEAO para o cumprimento do acordo termina no próximo dia 25.
Lusa

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais de GUINÉ-BISSAU

Guiné-Bissau O Governo da Guiné-Bissau quer mais portugueses a visitar o país e lançou, recentemente, junto de várias agências de viagens portuguesas, cinco pacotes de férias para promover o destino em Portugal. A estratégia visa desenvolver o turismo guineens
Guiné-Bissau Confrontos foram hoje registados durante uma manifestação do Movimento Jovens Inconformados da Guiné-Bissau, depois de a polícia reagir às provocações de manifestantes que insistiam em chegar à Praça dos Heróis Nacionais, onde está situada a Presidên

destaques