QUARTA-FEIRA, 24-05-2017, ANO 18, N.º 6325
Guiné-Bissau
Governo distribui mais de um milhão de redes mosquiteiras contra paludismo
15:18 - 21-04-2017
O Ministério da Saúde da Guiné-Bissau anunciou hoje a distribuição de mais de um milhão de redes mosquiteiras impregnadas de longa duração para prevenir e combater o paludismo.

Segundo o diretor-geral para a Promoção e Prevenção da Saúde, Nicolau Quintino de Almeida, a distribuição das redes mosquiteiras é feita através do Programa Nacional de Luta contra o Paludismo e vai decorrer em três fases.

A primeira fase, a do recenseamento, decorre entre domingo e 30 de abril, e visa fazer um levantamento nacional de todos os agregados familiares do país, bem como a distribuição de senhas para levantamento das redes mosquiteiras, explicou o responsável, em conferência de imprensa.

A segunda fase, que decorre entre 31 de maio e 04 de junho, quando as famílias detentoras de senhas vão levantar as redes mosquiteiras nos 1.500 postos de distribuição espalhados pelo país.

Em 2015, a Guiné-Bissau registou 136.298 casos de paludismo, 11.479 dos quais considerados graves. No mesmo ano, morreram no país devido ao paludismo 450 pessoas.

Os casos de paludismo aumentam com a época das chuvas que tem início em maio e prolonga-se até novembro.

A campanha, denominada `Durma seguro, durma sempre debaixo da tenda´, tem o apoio do Fundo Global, Organização Mundial de Saúde, Fundo das Nações Unidas para a Infância, Programa da ONU para o Desenvolvimento e de várias organizações não-governamentais nacionais e internacionais.

Na campanha do Ministério da Saúde vão participar cerca de 3.000 agentes de saúde comunitária e voluntários, 234 supervisores de proximidade, bem como 66 supervisores regionais e 33 supervisores nacionais.
Lusa

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais de GUINÉ-BISSAU

Guiné-Bissau Cerca de 50 empresários da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Espanha, França e Bélgica estão na Guiné-Bissau para analisar as oportunidades de negócios no país no âmbito do primeiro encontro da União de Exportadores da CPLP. Os em
Guiné-Bissau Um programa de saúde, que arrancou em 2014, financiado maioritariamente pela União Europeia e assente em agentes de saúde comunitária, está a salvar vidas na Guiné-Bissau ao incutir nas populações hábitos tão simples como lavar as mãos. O projeto,

destaques