QUINTA-FEIRA, 29-06-2017, ANO 18, N.º 6361
Ulisses Correia e Silva,
Cabo Verde
Cabo-verdianos reconhecem esforço, mas querem mudanças concretas
11:50 - 21-04-2017
O desempenho do Governo, que no sábado completa um ano, merece avaliação positiva da maioria dos cabo-verdianos ouvidos pela agência Lusa, que reclamam contudo mudanças concretas em questões como a despartidarização, os transportes ou a saúde.

No Plateau, centro histórico da cidade da Praia e das zonas mais movimentadas da capital, a maioria dos transeuntes interpelados pela Lusa mostrou-se indiferente à passagem de um ano sobre a tomada de posse do Governo apoiado pelo Movimento para a Democracia (MpD).

Entre os poucos que aceitaram falar para a reportagem, o sentimento geral é de que um ano é pouco para fazer a avaliação e de que este período serviu essencialmente para organizar e desbloquear processos.

«De uma forma geral, o desempenho é bom», avaliou Adérito Lopes, 46 anos, professor do ensino secundário, natural da ilha de São Vicente, mas que dá aulas no Fogo.

«O Governo conseguiu fazer coisas necessárias, desbloqueou processos e dossiês pendentes», sustentou o professor, sem especificar.

Sentado num dos bancos da praça Alexandre Albuquerque, enquanto espera para «tratar alguns assuntos», elegeu a partidarização como o «lado negativo« da ação do executivo durante o primeiro ano de mandato.

«O Governo do MpD continuou a fazer muita coisa como antes», lamentou, dizendo, porém, que as perspetivas "são boas" porque as pessoas estão a encarar o futuro de forma mais positiva, o que, considerou, dá mais segurança para resolver os problemas.
Lusa

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais de CABO VERDE

Cabo Verde O agente da Polícia Nacional suspeito da morte de um jovem numa esquadra da cidade da praia, em março, foi esta quarta-feira acusado do crime de homicídio agravado, anunciou o Ministério Público. Em comunicado, a Procuradoria-Geral da República a
Cabo Verde A Associação de Jornalistas de Cabo Verde classificou hoje como ´extremamente infelizes´ as declarações o Presidente da República da Guiné-Bissau, considerando que revelam desconhecimento da imprensa cabo-verdiana. O Presidente da Guiné-Bissau, Jo

destaques