SEXTA-FEIRA, 28-04-2017, ANO 18, N.º 6299
Ulisses Correia e Silva,
Cabo Verde
Cabo-verdianos reconhecem esforço, mas querem mudanças concretas
11:50 - 21-04-2017
O desempenho do Governo, que no sábado completa um ano, merece avaliação positiva da maioria dos cabo-verdianos ouvidos pela agência Lusa, que reclamam contudo mudanças concretas em questões como a despartidarização, os transportes ou a saúde.

No Plateau, centro histórico da cidade da Praia e das zonas mais movimentadas da capital, a maioria dos transeuntes interpelados pela Lusa mostrou-se indiferente à passagem de um ano sobre a tomada de posse do Governo apoiado pelo Movimento para a Democracia (MpD).

Entre os poucos que aceitaram falar para a reportagem, o sentimento geral é de que um ano é pouco para fazer a avaliação e de que este período serviu essencialmente para organizar e desbloquear processos.

«De uma forma geral, o desempenho é bom», avaliou Adérito Lopes, 46 anos, professor do ensino secundário, natural da ilha de São Vicente, mas que dá aulas no Fogo.

«O Governo conseguiu fazer coisas necessárias, desbloqueou processos e dossiês pendentes», sustentou o professor, sem especificar.

Sentado num dos bancos da praça Alexandre Albuquerque, enquanto espera para «tratar alguns assuntos», elegeu a partidarização como o «lado negativo« da ação do executivo durante o primeiro ano de mandato.

«O Governo do MpD continuou a fazer muita coisa como antes», lamentou, dizendo, porém, que as perspetivas "são boas" porque as pessoas estão a encarar o futuro de forma mais positiva, o que, considerou, dá mais segurança para resolver os problemas.
Lusa

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais de CABO VERDE

Cabo Verde O ministro das Finanças cabo-verdiano, Olavo Correia, disse hoje que Cabo Verde irá receber do Banco Mundial, nos próximos três anos, um empréstimo de 90 milhões de dólares (cerca de 82 milhões de euros). «Vai haver uma duplicação dos meios, 90 mi
Cabo Verde A proposta de lei do Governo sobre incompatibilidades entre cargos públicos e partidários foi chumbada hoje no parlamento cabo-verdiano com os votos contra dos dois partidos da oposição (PAICV e UCID) e a favor do partido no poder (MpD). A propos

destaques