QUINTA-FEIRA, 30-03-2017, ANO 18, N.º 6270
Guiné-Bissau
Partido Socialista de Salvação Guineense pede desculpa à CEDEAO por declarações do PM
20:00 - 20-03-2017
O líder do Partido Socialista de Salvação Guineense, também designado Partido Jovem, Serifo Baldé, pediu hoje desculpa à comunidade da Africa Ocidental (CEDEAO) pelas palavras do primeiro-ministro do país, Umaro Sissoco Embaló contra um dirigente da organização.

Recentemente Umaro Embaló chamou «mentiroso» ao presidente da comissão da Comunidade Económica de Estados da Africa Ocidental (CEDEAO), Marcel de Souza, ao reagir às declarações deste segundo as quais a organização estaria empenhada em pressionar o Presidente guineense, José Mário Vaz, para que acabe com a crise política na Guiné-Bissau.

O líder do Partido Jovem, igualmente coordenador do Movimento Nova Esperança, entende que o primeiro-ministro guineense «excedeu-se nas suas palavras» pelo que, disse, «alguém tinha que pedir desculpa à CEDEAO».

«Nós fazemos parte da CEDEAO, o nosso primeiro-ministro não tem o direito de insultar ninguém dessa comunidade», notou Serifo Baldé, em declarações aos jornalistas a saída de uma audiência com o representante da organização em Bissau, Blaise Diplo.

Serifo Baldé, cujo partido não tem representação parlamentar, criticou igualmente o discurso do ministro do Interior, Botche Candé, em Gabu, no âmbito dos contactos do chefe do Estado guineense com a população do interior, quando este afirmou que vai ordenar à juventude que abra à força a sede do Parlamento.

O hemiciclo guineense tem estado bloqueado há mais de ano e meio devido às desavenças entre os dois principais partidos, PAIGC e PRS, e Botche Candé preconiza o uso de força para reabrir o órgão.

O líder do Partido Jovem avisou o ministro do Interior de que no dia em que colocar a juventude na rua para forçar a abertura do Parlamento ele também irá pôr no local um outro grupo de jovens para impedir tal ato.

Serifo Baldé instou o Presidente guineense a «demitir o atual governo e devolver o poder ao PAIGC», na qualidade de vencedor das últimas eleições legislativas, para que este partido forme um novo executivo.

Baldé afirma que só desta forma a Guiné-Bissau poderá voltar a ter estabilidade governativa.
Lusa

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais de GUINÉ-BISSAU

Guiné-Bissau O líder do Parlamento da Guiné-Bissau, Cipriano Cassamá, denunciou alegados aliciamentos de juízes do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), que a 4 de abril elegem o novo pr
Guiné-Bissau O representante da União Europeia (UE) na Guiné-Bissau, o português Vítor Madeira dos Santos, sugeriu hoje que «seria bom» que as próximas eleições legislativas fossem re

destaques