SEXTA-FEIRA, 26-05-2017, ANO 18, N.º 6327
Guiné-Bissau
Ministro do Turismo deslocou-se a Lisboa para mostrar potencial do país
00:05 - 17-03-2017
O ministro guineense do Turismo e do Artesanato deslocou-se hoje à Bolsa de Turismo de Lisboa, a decorrer na FIL, para dar a conhecer o seu país e cumprir a prioridade do seu Governo em cativar visitantes.

«Esta presença é para tornarmos o país conhecido, porque temos 88 ilhas. As pessoas não conhecem o potencial que nós temos para a prática nomeadamente do ecoturismo», resumiu Fernando Vaz, aos jornalistas, à margem de cerimónias para estabelecer parcerias com vista à promoção turística da Guiné-Bissau.

Na sua deslocação à Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), a decorrer na FIL até domingo, o governante notou o «pequeno impacto do Turismo» no país, que recebe 40 mil visitantes por ano, e tem 1.200 camas disponíveis em meia centena de hotéis.

«Estamos numa fase inicial, aprovámos o pacote das leis fundamentais. Este Governo definiu como prioridade o Turismo, à imagem e semelhança de alguns países como Cabo Verde, que num espaço de 10 anos se tornou num país de destino turístico», afirmou.

A Guiné-Bissau quer «beber da experiência de países irmãos, como Cabo Verde e Portugal» para se desenvolver na área turística, informou o ministro.

O Governo guineense definiu como meta para os próximos três anos um nível de investimento que «envolva meio bilião de dólares», acrescentou ainda o responsável.

Enumerando nomeadamente um hotel de cinco estrelas a inaugurar em «abril/maio» e um outro dentro de meses, o governante assinalou o `boom´ na área turística que vai acontecendo no território e que é aposta do seu Governo.

O ministro disse ainda ser objetivo do país desenvolver o Turismo de «forma sustentável e com qualidade», recordando o reconhecimento da biodiversidade do arquipélago dos Bijagós pela Unesco.

A Guiné-Bissau quer um Turismo sustentável, de qualidade, «mas não muito caro», concluiu o governante.
Lusa

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais de GUINÉ-BISSAU

Guiné-Bissau O movimento no mercado do Bandim, principal centro de compras em Bissau, capital da Guiné-Bissau, é maior nos dias que antecedem o início do Ramadão, com os guineenses a ultimarem os preparativos para um mês de abstinência. O Ramadão, um dos cinco
Guiné-Bissau Cerca de 50 empresários da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Espanha, França e Bélgica estão na Guiné-Bissau para analisar as oportunidades de negócios no país no âmbito do primeiro encontro da União de Exportadores da CPLP. Os em

destaques