QUARTA-FEIRA, 29-03-2017, ANO 18, N.º 6269
Guiné-Bissau
Falta de entendimento com Governo projeta nova greve dos oficiais de Justiça
18:11 - 16-03-2017
Os tribunais da Guiné-Bissau deverão voltar a estar paralisados durante três dias na próxima semana devido à falta de entendimento entre o sindicato de oficiais de justiça e o Governo relativamente ao caderno reivindicativo da classe.

Pedro Gomes, presidente do sindicato de Oficiais de Justiça, disse hoje que não chegaram a qualquer entendimento com o ministro da Justiça, Rui Sanhá, com quem se reuniram para analisar as reivindicações.

«O ministro disse-nos que estava no encontro a título pessoal, não em representação do governo e que se fosse o caso estaria acompanhado de outros elementos do executivo», afirmou Pedro Gomes.

De acordo com o sindicalista, o ministro da Justiça indicou que caso fosse mandatado pelo governo teria que se fazer acompanhar dos ministros da Função Pública e o das Finanças, daí que não pode haver negociações.

Entre os pontos em reivindicação pelo sindicato constam a atualização salarial aos oficiais de justiça promovidos desde 2007, mas que nunca auferiram salários correspondentes aos novos vencimentos, efetivação de outros oficiais que trabalham há 17 anos e alocação de uma viatura de transporte do pessoal da classe.

O sindicato dos oficiais de justiça ainda reclama a devolução dos cofres dos tribunais para a gestão do Ministério da Justiça.

Atualmente os cofres dos tribunais guineenses são geridos pelo Supremo Tribunal de Justiça.

Pedro Gomes avançou ainda como motivo da greve, a exigência de melhorias de condições de trabalho nos tribunais e a reabertura daqueles que se encontram encerrados, devido à falta de pagamento de renda pelo Estado aos donos das casas onde funcionam.

Devido à falta de edifícios vários tribunais funcionam em casas arrendadas e por falta de pagamento de renda alguns foram encerrados pelos proprietários das casas.

O presidente do sindicato dos oficiais de justiça promete uma nova paralisação nos tribunais na quarta, quinta e sexta-feira da próxima semana.
Lusa

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais de GUINÉ-BISSAU

Guiné-Bissau O representante da União Europeia (UE) na Guiné-Bissau, o português Vítor Madeira dos Santos, sugeriu hoje que «seria bom» que as próximas eleições legislativas fossem re
Guiné-Bissau O primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, pediu hoje aos oficiais de justiça que retomem o trabalho porque vai resolver as reivindicações que estiveram n

destaques