SEXTA-FEIRA, 26-05-2017, ANO 18, N.º 6327
São Tomé e Príncipe
OMS doa medicamentos no valor de 66 mil euros ao Centro Hospitalar de São Tomé
21:35 - 14-03-2017
A Organização Mundial da Saúde (OMS) doou mais de 66 mil euros «de medicamentos e materiais clínicos» ao Centro Hospitalar da ilha de São Tomé, «por causa da epidemia de celulite necrotizante, que afeta 2000 pessoas.

Os medicamentos, na sua grande maioria antibióticos, chegam numa altura em que as autoridades sanitárias do país «estão a utilizar o mel das abelhas para o tratamento da doença», disse, em declaraçõees à Lusa, a diretora dos Cuidados de Saúde, Maria Tomé Palmer.

«Estamos, atualmente, a utilizar o mel de abelha para limpar e
desinfetar as feridas resultantes da doença», começou por afirmar Maria Palmer.

A diretora dos Cuidados de Saúde recusou-se a responder se são os serviços hospitalares ou familiares que têm fornecido o mel de abelha ao hospital para tratar os doentes, sublinhando, entretanto, que «nos últimos dias se tem verificado uma diminuição de casos», sem, contudo, avançar números.

No mercado interno, cada litro de mel de abelha de produção doméstica (internamente denominado ‘mel natural’) custa pouco mais de oito euros/litro, produto bastante escasso na ilha de São Tomé, uma vez que as abelhas «estão em vias de extinção».

A maior parte do mel vendido em São Tomé é importado da ilha do Príncipe
ou do estrangeiro, mas esses não são considerados pelas autoridades são-tomenses como sendo «mel natural».

Segundo a diretora dos Cuidados de Saúde, a OMS «tem destacados atualmente em São e Príncipe oito consultores que tentam encontrar um tratamento eficaz para a celulite necrotizante, cujos primeiros casos surgiram em agosto do ano passado e já afetou cerca de 2000 pessoas.
Lusa

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais de SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

São Tomé e Príncipe O Governo são-tomense vai submeter ao Parlamento, nos próximos dias, para discussão e aprovação, um orçamento retificativo para 2017, cujo valor não foi anunciado. O orçamento retificativo foi discutido e aprovado na última sessão do Conselho de M
São Tomé e Príncipe O Governo são-tomense manifestou hoje `solidariedade´ para com o Governo do Reino Unido `face ao atentado bárbaro´ que provocou dezenas de vítimas em Manchester, indica um comunicado do Conselho de Ministros. «O governo reafirma o seu engajamento

destaques