DOMINGO, 26-03-2017, ANO 18, N.º 6266
Patrice Trovoada
São Tomé e Príncipe
Patrice Trovoada em Washington para discutir dívida pública e novos empréstimos
14:48 - 11-03-2017
O primeiro-ministro são-tomense viajou hoje para Estados Unidos onde vai ser recebido na segunda-feira pelo Banco Mundial (MB) e Fundo Monetário Internacional (FMI) para discutir o problema da dívida pública e novos financiamentos para as infraestruturas.

«Essencialmente com o Banco Mundial e com o Fundo Monetário Internacional nós iremos discutir esses aspetos», disse Patrice Trovoada aos jornalistas no aeroporto de São Tomé, momentos antes de viajar.

Em setembro do ano passado, o FMI alertou, em relatório, para o «alto risco de sobre-endividamento» do país e a necessidade do executivo «limitar as subvenções a fundo perdido» e financiamento «altamente concecional».

«O FMI que tem um programa connosco, quererá saber da evolução macroeconómica, como é que estamos a prever o futuro da evolução macroeconómica, nomeadamente no que diz respeito a questão da dívida», explicou o chefe do executivo são-tomense.

Em declarações na sua mais recente conferência de imprensa, Patrice Trovoada defendeu que o aumento da dívida pública era uma questão incontornável para o seu país que «precisa de financiamento para aplicar em projetos de desenvolvimento».

«Estamos numa fase relativamente adiantada para finalizar alguns financiamentos, nomeadamente nas infraestruturas, o Banco Mundial tem sido o nosso parceiro e tem manifestado grande interesse em participar nesse financiamento, particularmente a nível de energia e outros setores também que são de interesse» para aquela instituição, disse Patrice Trovoada.

Na semana passada, durante a assinatura de vários contratos de financiamento com o Banco Europeu de Investimento (BEI) no Ministério dos Negócios Estrangeiros de São Tomé e Príncipe, o governo são-tomense anunciou que o Banco Mundial está a participar com 16 milhões de dólares num projeto de requalificação do setor energético.

Patrice Trovoada que viajou sozinho para Washington negociar o problema da divida e novos financiamentos para o país, sublinhou que vai encontrar-se também com elementos do setor privado norte-americano «no sentido de ver como é que pode participar a nível dos investimentos privados» do arquipélago.
Lusa

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais de SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

São Tomé e Príncipe Duas pessoas morreram, cinco ficaram em «estado crítico» e outras seis com ferimentos ligeiros em resultado de um acidente de viação ocorrido na tarde deste domingo na pe
São Tomé e Príncipe Especialistas da Organização Mundial de Saúde (OMS) em São Tomé e Príncipe dizem ter descoberto antibióticos necessários ao tratamento da celulite necrotizante, sublinhan

destaques