QUINTA-FEIRA, 30-03-2017, ANO 18, N.º 6270
Moçambique
Ciclone tropical ‘Dineo’ faz sete mortos no sul do país
19:52 - 16-02-2017
Sete pessoas morreram e outras 130.000 foram afetadas em Inhambane, na sequência de um ciclone tropical «que atingiu algumas províncias do sul de Moçambique», informou hoje o diretor do Centro Nacional Operativo de Emergência (CNOE).

Durante uma conferência de imprensa de avaliação preliminar do impacto do ‘Dineo’, Maurício Xerinda disse que só na província de Inhambane, a mais atingida, perto de 20.000 casas foram destruídas e 104 salas de aulas ficaram danificadas.

«Neste momento, decorrem os trabalhos para atualização de dados, mas temos problemas devido a faltas de comunicação, na medida em que as vias de acesso foram densificadas», afirmou Maurício Xerinda, acrescentando que boa parte da província de Inhambane «está às escuras devido à queda de postes de energia».

Os distritos de Massinga, Morrumbene, Maxixe, Jangamo, Zavala, Homoíne Vilanculos Inharrime e Inhassoro, todos na zona costeira, foram os mais atingidos pelo ciclone.

De acordo com o diretor do CNOE, 49 unidades hospitalares foram afetadas e 51 edifícios públicos parcialmente destruídos, «além de três torres de comunicação terem sido derrubadas».

«Estamos a providenciar tendas e alimentos para as famílias afetadas», observou, garantindo que o Governo continua a monitorar a situação em Inhambane e também Gaza, onde os danos foram menores e não houve vítimas mortais.

O presidente Filipe Nyusi expressou a preocupação e solidariedade com as populações afetadas, garantindo que o Governo tudo fará para assistir as pessoas atingidas pelo fenómeno.

«Quero deixar uma mensagem de muita força e coragem e o Governo tudo fará para dar uma resposta o mais rapidamente possível aos efeitos deste desastre natural», referiu o chefe de Estado.
Lusa

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais de MOÇAMBIQUE

Moçambique O Governo moçambicano anunciou hoje a suspensão temporária da importação e comercialização de carnes e frangos de origem brasileira e criou uma equipa técnica para a aval
Moçambique Três dos sete aviões das Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) estão avariados, estando a companhia de bandeira a operar com apenas quatro aparelhos, informou a transportador

destaques