SEXTA-FEIRA, 28-07-2017, ANO 18, N.º 6390
Jumisse e Dayo rumam a Portugal
Moçambola Dois futebolistas internacionais moçambicanos, pedras basilares nas suas equipas, estão de malas aviadas para Portugal, mais concretamente para a Liga 2. Trata-se de Jumisse e de Dayo, que deixam União Desportiva do Songo e Ferroviário da Beira, rumando a Gil Vicente e Académica, respectivamente. Seis meses após ter regressado a Moçambique, Jumisse volta a abraçar o estrangeiro, através do Gil Vicente, com um contrato de um ano, renovável. Um regresso a Portugal, onde já jogou no Portimonense e no Leixões. Sobre as suas expectativas nesta nova aventura, Jumisse diz que pretende ser o mesmo: «Vou encontrar um treinador com quem nunca trabalhei e nem conheço pessoalmente, mas, mesmo assim, ficou interessado com o que viu, através dos meus vídeos, e achou que podia ajudar. É exactamente isso que pretendo fazer: chegar lá e dar o meu contributo para alcançar os objectivos que o Gil Vicente persegue, nomeadamente o regresso à Liga.» Jumisse deixa a União Desportiva do Songo na liderança do Moçambola e, segundo diz, as portas da conquista do título estão abertas de par em par. «Estivemos muito bem como conjunto, pois tínhamos projectado fazer 30 pontos na primeira volta, e conseguimos fazer 32, o que e extremamente positivo. Fiz dois golos e muitas assistências e contribuí para bons resultados da minha equipa. Mas penso que, com ou sem o Jumisse, a UD Songo continuará a ser a mesma equipa e, no final desta temporada, vamos todos comemorar.» Já o beirense Dayo, neste momento a recuperar de uma lesão que, inclusive, o afastou do último jogo do Ferroviário da Beira na Liga dos Campeões Africanos, diante do Étoile Sportive Sahel, da Tunísia, tem como destino a cidade de Coimbra. «Estou pronto e preparado para novos desafios na minha vida. Vou dar o meu melhor para dignificar as pessoas que confiaram em mim. Estou satisfeito com esta oportunidade de experimentar outras culturas», disse. Para Dayo, a ida para Portugal não estava ainda nas suas cogitações, só que as suas qualidades não passaram despercebidas aos olheiros. «Não esperava sair já do país, mas a oportunidade surgiu e parto de cabeça erguida e com missão cumprida no meu clube de coração, o Ferroviário da Beira. É verdade que estou lesionado, mas dentro de três semanas estarei pronto para dar o meu contributo à Académica.» Sofalense de gema, nado em Mafambisse, distrito do Dondo, Dayo, que também teve propostas de clubes do Sudão e do Egipto, segue para Portugal pela via do empresário moçambicano Zuneid Sidat. «Gostei da proposta e prometo singrar no futebol português e dar o salto para um dos clubes do topo. Mas o primeiro desafio passa por ajudar a Académica a subir para o escalão principal. Sei que não será fácil, mas com trabalho e a ajuda de todos creio que é possível. Tenho de conhecer os meus novos colegas e adaptar-me à nova realidade», referiu.
UD do Songo de volta ao comando
Moçambola A União Desportiva do Songo está de volta a liderança do Moçambola. A vitória por 1-0, esta quinta-feira, diante da Liga Desportiva de Maputo, em jogo da 17ª jornada, fez com a que a equipa da vila do Songo regressasse ao comando em troca com o Costa do Sol, que caiu para a 2ª posição. Depois de o empate caseiro do Costa do Sol, na tarde de quarta-feira, com o Ferroviário de Nampula (1-1), já se previa que os comandados de Chiquinho Conde pudessem reocupar o estatuto de líderes e realmente foi isso que se viu. Por seu turno, a Liga voltou a comprometer aquele que é o seu principal objectivo: conquistar o título. A turma de Daud Razak ocupa a 5ª posição e está a 10 pontos da UD Songo quando faltam 13 jornadas para o término da prova. Noutra partida, que marcou o enceramento da 17ª ronda, o Maxaquene recebeu e empatou, 2-2, com o Chingale de Tete, treinado pelo português, Carlos Graça- Este empate, coloca as duas equipas em posição aflita na luta pela manutenção. Resultados da 17ª jornada: ENH de Vilankulo - Fer. Maputo (1-0) Costa do Sol - Ferroviário de Nampula (1-1) Desportivo de Nacala - AD Macuácua (2-0) Textáfrica de Chimoio - Fer. Nacala (0-1) Clube do Chibuto - 1º Maio de Quelimane (3-1) UD Songo - Liga Desportiva de Maputo (1-0) Maxaquene - Chingale de Tete (2-2) UP Niassa - Ferroviário da Beira (adiado) Classificação actual: 1.º UD SONGO 35 2º Costa do Sol 34 3.º Fer. Nacala 28 4.º Fer. Maputo 27 5.º Liga 25 6.º Fer. Beira 20 7.º Desp. Nacala 23 8.º Chibuto 23 9.º ENH 22 10.º Fer. Nampula 19 11.º Maxaquene 19 12.º UP. Niassa 18 13.º 1.º de Maio 18 14.º Textáfrica 18 15.º Chingale de Tete 17 16.º AD Macuácua 12 Próxima jornada (18ª): Ferrroviário de Nampula-UD Songo, Ferroviário de Maputo-Costa do Sol, Chingale de Tete-ENH de Vilankulo, Ferroviário da Beira-Maxaquene, AD Macuácua-UP Lichinga e Desportivo de Nacala-Textáfrica do Chimoio, 1º Maio de Quelimane-Ferroviário de Nacala e Liga Desportiva de Maputo-Chibuto,
Rogério Gonçalves apresentado no Ferroviário esta sexta-feira
Moçambola Rogério Gonçalves será anunciado esta sexta-feira como o novo treinador do Ferroviário da Beira em substituição de Aleixo Fumo. A equipa chega ao princípio desta noite à Beira, proveniente do Sudão, onde terça-feira perdeu com o El Merreikh por 1-2, em partida da 4ª jornada da Liga dos Campeões. A saída oficial de Aleixo Fumo será anunciada também amanhã, em conferência de imprensa. Os adjuntos de Aleixo Fumo, Carlos Guente (Rokssan) e Vally Ramadan, também serão afastados da equipa técnica. A nova equipa técnica dos Locomotivas Beirenses conhecm a realidade do futebol Moçambicano, tendo já treinado o Ferroviário de Nampula e Chibuto FC equipas que militam no Moçambola. Gonçalves será coadjuvado nas funções por um outro português. Trata-se de Nuno Silva que sempre trabalhou com Gonçalves em todas as equipas que treinou pelo menos em Moçambique. Ainda não se sabe se Aleixo Fumo, Vally Ramadan e Rockssan continuarão ligados ao clube tendo sido reservado o dia de amanhã para um anúncio oficial. Aliás os três são produtos de formação do clube pelo que pondera-se bastante sobre o seu futuro.
Costa do Sol de Nelson Santos empata e pode perder liderança
Moçambola O Costa do Sol, orientado pelo treinador português Nelson Santos, empatou, esta tarde, a uma bola, com o Ferroviário de Nampula e corre o risco de perder a liderança, caso a União Desportiva do Songo vença amanhã a Liga Desportiva de Maputo, num dos jogos que encerra a 17ª jornada do Moçambola. Os canarinhos estiveram a perder, quando aos 9 minutos, Banda marcou para o Ferroviário de Nampula. Isac, com um golo aos 60 minutos, evitou a derrota da turma canarinha. Com este empate, os comandados de Nelson Santos somam 34 pontos, mais 2 que a União Desportiva do Songo. Noutros jogos desta tarde, as equipas de Nacala, o Ferroviário e o Desportivo foram felizes ao vencerem o Textáfrica de Chimoio, 1-0, e a Associação Desportiva de Macuácua, 3-1, respectivamente. Já o Ferroviário de Maputo atrasou-se na corrida ao título ao perder, 1-0, no campo da ENH de Vilankulo. O Chibuto, sob a batuta de Artur Semedo, continua a recuperar, tendo derrotado o 1º de Maio de Quelimane, por 3-1. Além do UD Songo-Liga, outra partida marcada para amanhã, será entre o Maxaquene e o Chingale de Tete. CLASSIFICAÇÃO: 1º Costa do Sol (34 pntos); 2.º UD Songo (32); 3.º Fer. Maputo (27); 4.º Liga (25); 5.º Fer. Nacala (28); 6.º Fer. Beira (20); 7.º Desp. Nacala (23); 8.º Chibuto (23); 9.º ENH (22); 10.º Fer. Nampula (19); 11.º UP. Niassa (18); 1.º de Maio de Quelimane (18); 13.º Maxaquene (18); 14.º Textáfrica (18); 15.º Chingale (16) 16.º AD Macuácua (12)
Costa do Sol derrota Liga (3-1) em jogo polémico e é novo líder
Moçambola Três expulsões, uma grande penalidade, muita confusão – incluindo invasão de campo por elementos estranhos ao jogo - uma chuva de cartões amarelos, um árbitro intranquilo e um jogador (o avançado canarinho Isac) no cerne da partida, eis, resumidamente, o que se viveu, este domingo, no Estádio Nacional do Zimpeto, no polémico desafio em que o Costa do Sol derrotou a Liga Desportiva de Maputo por 3-1 e assumiu o comando do Moçambola. A equipa beneficia também da derrota da União Desportiva do Songo, que comandava o Moçambola, por 0-2, no sábado, frente ao 1.º de Maio de Quelimane. Num lance em que o guarda-redes da Liga Desportiva, Quino, aparentemente, agride Isac com uma cotovelada – ou estão Isac, astuto, ludibria o árbitro –, o juiz Filimão Filipe assinala, correctamente, uma grande penalidade. Porém, equivoca-se ao expulsar Quino, quando devia ter sido uma admoestação, de forma a não punir duplamente o prevaricador e, consequentemente, a equipa. O facto gerou muita confusão e, até, a Liga chegou a ensaiar um abandono do campo, mas acabou por prevalecer o bom senso, marcando-se o penalty que permitiu ao Costa do Sol chegar ao 2-1, por Lineker. Antes, havia aberto a contagem por Loló, tendo Sonito, claramente em posição irregular, empatado (1-1). Próximo do final da contenda, e depois de o árbitro ter expulsado Telinho, irrefutavelmente o jogador mais inconformado da Liga, e o canarinho Loló, Isac – sempre ele – entra outra vez em cena, agora com uma obra de arte: repentinamente desmarca-se, tira um defesa do caminho e remata secamente para o 3-1, ante o desespero do guarda-redes Milagre, chamado à baliza após a expulsão de Quino. No outro jogo realizado este domingo, também a contar para a 16.ª jornada, Ferroviário de Nacala recebeu e venceu Clube do Chibuto por 2-0. Resultados da 16ª jornada: Liga Desportiva de Maputo-Costa do Sol 1-3 Ferroviário de Nacala-Clube do Chibuto 2-0 Ferroviário de Maputo-Maxaquene 1-2 1° de Maio de Quelimane-UD Songo 2-0 Ferroviário de Nampula-ENH de Vilankulo 0-0 Chingale de Tete-UP Niassa 2-0 AD Macuácua-Textáfrica 0-3 Classificação: Costa do Sol 33 pontos; UD Songo 32; Ferroviário de Maputo 27; Liga Desportiva e Ferroviário de Nacala 25; Ferroviário de Nampula 21; Desportivo de Nacala e Ferroviário da Beira (ambos menos um jogo) e Clube do Chibuto 20; ENH de Vilankulo 19; 1° de Maio, Textáfrica, Maxaquene e UP Niassa 18; Chingale 16 e AD Macuácua 12 pontos.
Segunda volta começa sem Ferroviário da Beira
Moçambola Depois de se terminado a primeira volta enquanto o Ferroviário da Beira ainda tinha dois jogos em atraso – acabou perdendo ambos, visitando Chingale de Tete e Textáfrica do Chimoio –, os locomotivas do Chiveve voltarão a passar pela mesma situação, no início da segunda etapa do Moçambola. As duas primeiras jornadas (16.ª e 17.ª) da segunda volta da prova estão marcadas já para o próximo fim-de-semana e para o dia 21, período que coincide com a participação do Ferroviário da Beira na Liga dos Campeões Africanos. A turma moçambicana, que seguiu para o Sudão esta quinta-feira, joga no dia 20, em Cartum, com o El Merreikh, em desafio referente à quarta jornada do Grupo A da fase de grupos da maior competição continental a nível de clubes. Deste modo, a Liga adiou os dois primeiros jogos do Ferroviário da Beira, o primeiro na recepção ao Desportivo de Nacala e o segundo na visita à Universidade Pedagógica do Niassa. A segunda volta do Moçambola abre no sábado, com o destaque a recair para o embate entre Ferroviário de Maputo e Maxaquene, no Estádio da Machava, depois de terem empatado 2-2 no Zimpeto. Nomesmodia, terão lugar os embates Ferroviário de Nacala-Clube do Chibuto, 1° de Maio de Quelimane-União Desportiva do Songo, Ferroviário de Nampula-ENH de Vilankulo, Chingale de Tete-UP Niassa e Associação Desportiva de Macuácua-Textáfrica. No domingo, está reservado o grande frente-a-frente entre Liga Desportiva de Maputo e Costa do Sol, no Zimpeto.
Hilário Manjate demite-se do Sporting da Beira
Moçambola Hilário Manjate demitiu-se do comando técnico do Sporting da Beira, alegadamente por não conseguir colocar os leões no grupo com possibilidades de qualificação para o Moçambola do próximo ano. A disputar a Divisão de Honra pela Zona Centro, o Sporting da Beira figurava entre os candidatos à subida para o escalão principal, porém, até à sexta jornada a situação apresenta-se bastante trémula, com diminutas chances de ainda lutar pelo primeiro posto. Assim, e provavelmente receando uma provável chicotada psicológica, Hilário Manjate preferiu entregar a demissão em cima da hora - este domingo, na recepção à União Desportiva do Songo, para os oitavos-de-final da Taça de Moçambique, os leões do Chiveve foram orientados pelo responsável do departamento de futebol do clube. A Direcção da colectividade, que afirma ter sido apanhada de surpresa com a decisão do técnico e do seu adjunto, já está a trabalhar no sentido de encontrar outro treinador, pois ao longo da semana a equipa tem uma partida do campeonato. No desafio da Taça de Moçambique, o Sporting da Beira mesmo sem treinador, forçou um prolongamento diante da União Desportiva do Songo, detentora do título, perdendo somente no prolongamento por 2-0, após um nulo no final do tempo regulamentar.
UD Songo bate Chibuto e reforça liderança
Moçambola A União Desportiva do Songo continua tranquila na liderança do Moçambola dapós a disputa, esta quarta-feira, da 14ª e penúltima jornada da primeira volta. A turma de Chiquinho Conde recebeu e venceu o Clube do Chibuto por 2-0 e mantém a vantagem de cinco pontos sobre o segundo classificado. No seu primeiro desafio após o afastamento do técnico português Daniel Portela e sob a orientação do interino Nunes Chaúque – o novo treinador, Artur Semedo, só será apresentado na sexta-feira – o Clube do Chibuto não teve argumentos e mostrou-se demasiado inferior face a um adversário bastante galvanizado com a série de triunfos que vem registando. Também firme na perseguição ao líder está o Costa do Sol, agora isolado no segundo posto. A formação do português Nélson Santos bateu o Ferroviário de Nacala por 2-0 e descolou-se do Ferroviário de Maputo, derrotado na sua deslocação a Nacala pelo Desportivo local, igualmente por duas bolas sem resposta. No Estádio Nacional do Zimpeto, o Maxaquene, que continua irreconhecível, afundou-se ainda mais, estando mesmo próximo de cair para os lugares abaixo da linha de água. Na recepção à Liga Desportiva de Maputo, os tricolores perderam por 2-3, beneficiando a turma de Daúdo Razak, ora na terceira posição. Enquanto isto, e depois de ter obtido, no passado domingo, a sua primeira vitória no campeonato, ao derrotar em pleno Estádio da Machava o Ferroviário de Maputo por 1-0, a Associação Desportiva de Macuácua parece ter ganho o gosto pelos triunfos. Desta vez, diante do Chingale de Tete, a equipa de Nacir Armando venceu por 3-1. Resultados da 14ª jornada: AD Macuácua-Chingale de Tete 3-1 Desportivo de Nacala-Ferroviário de Maputo 2-0 UP Niassa-Ferroviário de Nampula 0-0 Maxaquene-Liga Desportiva de Maputo 2-3 ENH de Vilankulo-1º de Maio de Quelimane 3-2 Costa do Sol-Ferroviário de Nacala 2-0 União Desportiva do Songo-Clube do Chibuto 2-0 Textáfrica do Chimoio-Ferroviário da Beira (adiado) Classificação: UD Songo 32 pontos; Costa do Sol 27; Liga Desportiva 25; Ferroviário de Maputo 24; Ferroviário de Nacala, Desportivo de Nacala e Ferroviário de Nampula 19; UP Niassa 18; Ferroviário da Beira (menos dois jogos) e Clube do Chibuto 17; 1° de Maio de Quelimane e ENH de Vilankulo 15; Maxaquene 14; Textáfrica (menos um jogo) e AD Macuácua 12; e Chingale (menos um jogo) nove pontos.
Jeitoso próximo do futebol sul-africano
Moçambola Depois da saída de Edmilson para o futebol sul-africano, para o Cape Town City, onde tem estado a fazer uma carreira brilhante, o Ferroviário de Maputo pode perder outra jóia de coroa do seu eixo defensivo, caso se confirme a transferência do central Jeitoso, igualmente para a terra do rand. Jeitoso encontra-se desde há dias a efectuar testes igualmente no Cape Town City, devendo ficar mesmo no clube da cidade da costa atlântica sul-africana. Revelação dos locomotivas da capital do país nos últimos anos, Jeitoso é um central bem dotado, que joga muitíssimo bem de cabeça e, em posse do esférico, sai com perfeição da área, enfrentando com bravura os avançados contrários. É muito frio, mas, quando é para jogar duro, não se poupa a esforços. É uma das figuras de destaque na defesa da selecção nacional, daí que a sua transferência para o futebol sul-africano pode, para além de elevar as suas qualidades e a sua capacidade competitiva, constituir uma mais-valia para os planos de Abel Xavier em relação a este ano rigoroso em termos de participação dos Mambas em provas internacionais. Para o Ferroviário, pode tratar-se de um bom negócio, do ponto de vista financeiro, mas também não deixa de ser um revés nas contas do técnico Lucas Barrarijo, ora obrigado a encontrar uma solução urgente para fazer face à saída deste homem Jeitoso. Aliás, esta quarta-feira, no embate com o Textáfrica do Chimoio, em que os locomotivas suaram às estopinhas para vencer por 3-2, foi bastante notória a sua ausência.
Regularização dos voos da LAM tranquilizará curso do Moçambola
Moçambola A logística do Moçambola tem dado polémica com os clubes, em particular os treinadores, a criticarem o facto de as equipas, grosso modo, chegarem aos locais cidades dos jogos praticamente sem descanso nenhum, depois de longas esperas nos aeroportos ditadas pelos atrasos dos voos da LAM. Confrontado com esta questão, o presidente da Liga Moçambicana de Futebol reconheceu o facto, mas apelou à compreensão e ponderação, afirmando que o período que se atravessa exige sacrifício de todos, sem fugir àquilo que está à vista - os atrasos das equipas por motivos operacionais da companhia aérea. «Esta situação ditou a alteração do horário de alguns jogos ou mesmo da ordem da sua realização, mediante entendimento alcançado entre os clubes intervenientes, com a devida articulação com a Liga. Mesmo assim, sabemos que a LAM está a trabalhar arduamente e conseguirá ultrapassar esta fase menos boa», referiu Ananias Couana. Segundo ele, a Liga, juntamente com os clubes, está empenhada no sentido de garantir chegadas em tempo útil aos locais dos jogos e, felizmente, alguns clubes já estão sensibilizados e organizam-se para essa situação. Aliás a Liga programou oito jornadas a meio da semana, tendo já realizado uma e a segunda programada para esta quarta-feira. Couana sublinhou que este calendário foi apresentado e discutido na última Assembleia-Geral e é do conhecimento dos clubes filiados na LMF, que transmitiram aos respectivos técnicos para uma melhor preparação. «O nosso desejo, como se sabe, era iniciar o campeonato relativamente mais cedo, mas tal não foi possível por razões devidamente conhecidas. Continuaremos a trabalhar para que, no próximo ano, o Moçambola se inicie efectivamente no mês de Fevereiro. O período que atravessamos exige de todos nós sacrifícios e gostaríamos de apelar ao mais alto sentido de ponderação a todos os agentes desportivos, com confiança de que a situação vai melhorar«»,, destacou o presidente da Liga. Ananias Couana finalizou com uma exortação aos dirigentes, técnicos, atletas, sócios e adeptos de futebol para continuarem a emprestar o seu entusiasmo à prova, participando activamente na festa do Moçambola e a pautarem sempre pelo fair-play, pois «só assim vai engrandecer o futebol e o campeonato».