SEXTA-FEIRA, 26-08-2016, ANO 17, N.º 6054
Suspensão das hostilidades aguarda pelos observadores internacionais
Moçambique A suspensão das hostilidades em todas as áreas onde elas ocorrem em Moçambique, incluindo Gorongosa, entrará em vigor com a chegada de observadores internacionais ao país, segundo uma proposta dos mediadores/facilitadores internacionais do diálogo para a restauração da paz. Com efeito, uma cópia da proposta facultada esta quinta-feira à imprensa, em Maputo, pelos mediadores/facilitadores, após uma longa ronda de trabalho ocorrida na quarta-feira (durou cerca de sete horas), indica que a equipa de observadores internacionais deverá ser constituída por países vizinhos e amigos de Moçambique. «A delegação do Presidente da República de Moçambique (Filipe Nyusi) e do presidente da Renamo (Afonso Dhlakama), mandatadas pelas suas chefias, acordaram suspender todas as hostilidades e todas as formas de violência em todo o país. A suspensão entrará em vigor com a chegada de observadores internacionais ao país, em todas as áreas onde ocorrem ações militares, incluindo Gorongosa», refere a proposta dos mediadores/facilitadores. As duas delegações concordaram ainda em se criar «um corredor desmilitarizado ou outra forma mais segura e eficaz para permitir que os mediadores/facilitadores internacionais tenham encontros pessoais com o presidente da Renamo, a partir do momento em que a suspensão das hostilidades for acordada». Com a finalidade de implementar tecnicamente «o corredor desmilitarizado» e fornecer indicações sobre a deslocação de observadores internacionais nas áreas acordadas, «é estabelecido um grupo de trabalho específico com a presença dos mediadores/facilitadores internacionais». O documento sublinha que o grupo de trabalho, uma vez que a suspensão das hostilidades e todo o tipo de violência seja respeitada por ambas as partes, «poderá propor à comissão mista um calendário de etapas posteriores para se criar termos e condições de um cessar-fogo permanente». No entanto, as sessões da comissão mista foram interrompidas, devendo ser retomadas a 12 de setembro.
Ensino secundário terá livro único por disciplina
Moçambique O Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano vai, a partir do ano lectivo 2017, adoptar um livro único para cada disciplina a ser usado em todas as escolas secundárias do país, contrariando a actual situação caracterizada livros didácticos de diversas editoras à escolha de cada estabelecimento de ensino. A medida visa reduzir os preços dos livros escolares, porquanto os outros actualmente em circulação continuarão em uso para efeitos de consultas complementares, segundo uma decisão anunciada quinta-feira, em Maputo, pelo titular do pelouro, Jorge Ferrão, na sessão de abertura do Conselho Coordenador. «Constatamos a existência de uma grande falta de livros escolares por parte dos alunos do Ensino Secundário, devido ao fraco poder de compra», disse o ministro. Segundo Ferrão, é desiderato do ministério conferir aos alunos habilidades críticas, analíticas e de lógica, para dotar os alunos de mais autonomia e confiança, tendo sido, para o efeito, apetrechadas 30 salas de informática, 10 bibliotecas e está em curso a instalação de 15 salas com tecnologia multiuso, recursos digitais e bibliotecas. «Ainda no domínio da melhoria das condições de aprendizagem no ensino secundário, dedicamos especial atenção, nos últimos meses, à melhoria da acessibilidade ao livro escolar que, por sinal, não é gratuito, tal como acontece no ensino primário», disse. Na magna reunião do Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano, pretende-se coordenar a actuação do pelouro rumo à prossecução das responsabilidades na materialização do Plano Estratégico da Educação, em vigor desde 2012, e que este ano caminha para o final do seu ciclo de implementação. Todavia, segundo o ministro, os objectivos mantêm-se intactos: a expansão da rede escolar; a melhoria da qualidade de ensino e a elevação da capacidade institucional e de prestação de serviços.
Presidente interino envia mensagem de pesar e solidariedade ao povo italiano
Cabo Verde O Presidente interino da República de Cabo Verde, Jorge Santos, endereçou uma mensagem de pesar ao homólogo italiano na sequência do terramoto de magnitude 6,2 na escala de Richter que devastou, na quarta-feira, várias localidades no centro de Itália e que provocou 247 mortos. «Com profunda consternação tomamos conhecimento do abalo sísmico ocorrido em Itália, na Província de Perúgia, que causou dezenas de feridos e vítimas mortais», lê-se na mensagem. Neste momento de «imensa dor e tristeza», o Presidente interino diz, em nome do povo de Cabo Verde e em seu nome próprio, expressar ao seu homólogo Sérgio Mattarella e aos italianos, em particular às pessoas afetadas por esta tragédia e às famílias enlutadas, as «mais sentidas condolências e toda a solidariedade».
Filipe Nyusi diz que paz efectiva e sustentável não deve ser construída a qualquer custo
Moçambique O Presidente da República repudiou, esta quinta-feira, as sucessivas exigências que a Renamo tem vindo a colocar na mesa de diálogo como condição para a cessação das hostilidades militares em Moçambique, vincando que uma paz real não deve ser a qualquer custo. «Temos de encontrar uma solução que seja sustentável, viável. Não rasgar a Constituição da República, não deitar abaixo a democracia que é uma realidade neste país, onde ciclicamente as pessoas vão às urnas para diferentes tipos de eleições», afirmou Filipe Nyusi, defendendo que uma paz real deve ser trazida também de forma real e sustentável, «porque ninguém nos garante que a posição que tomarmos emocionalmente hoje é a posição que todo o povo quer». Recordou que no país foram assinados acordos que, depois, não trouxeram a paz efectiva, à excepção, segundo disse, dos Acordos de Lusaka (1974), que culminaram com a independência de Moçambique. Neste contexto, Nyusi, que falou na cidade da Beira, no final da sua visita de trabalho à província de Sofala, disse que o país não pode continuar a rubricar acordos sucessivos sobre a mesma matéria, devendo se terminar com a lista dos acordos «que tende a se perfilar no dossier da nação». «Temos de continuar a ser um povo sério, firme, e um povo que não se emociona para poder ter o seu desenvolvimento, um povo não manipulável. É esse o esforço que estamos a fazer e acreditamos que os moçambicanos também estão nesse sentido», referiu. Falando, concretamente, sobre uma das exigências que a Renamo colocou na mesa do diálogo, ora em curso, condicionando a cessação dos ataques armados que vem protagonizando em diferentes regiões do país ao recuo das Forças de Defesa e Segurança das suas posições, o Presidente da República disse não saber o alcance deste posicionamento, por isso diz não saber para onde recuar. «Recuar para onde? Esse é que é o problema, porque os ataques surgem em Maúa, surgem em Morrumbala, surgem em vários pontos, portanto, recuar para onde?», questionou, acrescentando, porém, ser necessário deixar esta matéria para a comissão mista de diálogo. O Chefe do Estado elogiou a convivência pacífica que se vive no Município da Beira, que, actualmente, é dirigido pelo segundo maior partido da oposição, o Movimento Democrático de Moçambique (MDM), vincando ser um exemplo de que, no país, não há motivos para os moçambicanos se guerrearem. «Como sabem, o Município da Beira é dirigido pela oposição, mas o ambiente que se vive é totalmente democrático, um ambiente que encoraja que, afinal, os moçambicanos, juntos, podem trabalhar e, quanto a nós, é uma amostra importante para dizer que não há motivos para os moçambicanos se guerrearem, porque, de facto, existe espaço onde todos nós podemos trabalhar», vincou.
Abel Xavier convoca 24 jogadores para preparar receção às Maurícias
Moçambique Abel Xavier, selecionador dos ‘Mambas’, anuciou hoje a pré-convocatória para o jogo do próximo dia 3 de setembro diante das Maurícias, inserido na sexta e última jornada do grupo H de qualificação para o CAN-Gabão 2017. A lista é composta por 24 futebolistas. O técnico português não entrou em poupanças de jogadores para este compromisso, mesmo sabendo que a qualificação para o CAN já está perdida. Abel Xavier mostra que quer despedir-se em grande desta fase de qualificação, tendo como objetivo terminar no segundo lugar. Entre os convocados, nota para os regressos de Reinildo do Benfica, Faisal da Atalanta e Uaferro do Fortuna Colónia. Destaque ainda para as estreias na convocatória de Kambala da UD do Songo, Raúl do Ferroviário de Nampula e de Bruno do Maxaquene. Moçambique ocupa o quarto e o último lugar do grupo com 4 pontos. As Maurícias e o Ruanda somam 6 pontos cada, enquanto o Gana, já apurado, tem 13. Lista de pré-convocados: Guarda-redes: Pinto (Fer.Nampula) e Guirrugo (Maxaquene); Defesas: Cremildo (UD do Songo), Jeitoso (Fer.Maputo), Bheu (Nacional ds Madeira), Salomão (Fer.Nampula), Bruno (Maxaquene), Mexer (Rennes da França), Reinildo (Benfica de Portugal) e Uaferro (Fortuna Colónia da Alemanha); Médios: Loló (Estrela Vermelha), Gildo (Fer.Beira), Witi (Nacional da Madeira), Gito (Fer.Maputo), Jumisse (1 de Agosto, Angola), Kambala (UD do Songo), Luís Miquissone (UD do Songo), Raúl (Fer.Nampula), Nelson (Costa do Sol) e Reginaldo (Santa Clara, Portugal); Avançados: Faisal Bangal (Atalanta, Itália), Sonito (Liga.D.Maputo), Dominguez (Bidvest Wits, África do Sul) e Elias (Liga.D.Maputo).
LMF e ZAP assinam acordo para transmissão televisa do Moçambola
Moçambique A Liga Moçambicana de Futebol e a ZAP, empresa televisa encarregada para a distribuição de sinal televisivo via satélite, assinaram hoje um acordo para a transmissão dos jogos do Moçambola, no canal STV Notícias, já a partir da próxima jornada, a realizar-se no dia 10 de setembro. Ferroviário de Maputo-União Desportiva do Songo, duas equipas que lutam pela conquista do título, será o primeiro encontro a ser transmitido. Por jornada serão transmitido dois ou três desafios em sinal codificado, o que obrigará a uma ginástica financeira dos espectadores que queiram seguir o maior número de jogos do Moçambola. Entretanto para permitir que os adeptos que não tenham condições para aceder à ZAP, o acordo prevê que um jogo por jornada seja transmitido na Televisão de Moçambique (em sinal aberto). Para transmissão dos jogos, a ZAP contratou uma equipa de técnicos sul-africanos que irão garantir a transmissão e ao mesmo tempo capacitar o pessoal moçambicano, que no final de pouco mais de dois meses de aprendizagem passará assumir as rédeas. Ananinas Couana, presidente da LMF, e Marcus Araújo, diretor da ZAP-Moçambique, que rubricaram o acordo válido por 1 ano e 6 meses, partilharam a opinião que esta aliança permitirá dar uma maior visibilidade ao Moçambola , visto que serão transmitidos por semana mais jogos e com uma excelente qualidade de imagem para fora do país.
Lito assume comando técnico do Sporting da Praia
Cabo Verde Lito, antigo internacional cabo-verdiano que também representou as cores do Naval, Moreirense e Académica, é o novo treinador do Sporting da Praia. O novo timoneiro da equipa leonina da capital cabo-verdiana vai substituir Bubista, que deverá assumir o comando técnico da Académica do Mindelo.
Governador de Inhambane diz que violência política prejudica turismo
Moçambique O governador de Inhambane, sul de Moçambique, Daniel Chapo, disse esta quinta-feira que os confrontos militares no país estão a afetar a «bandeira da província como destino turístico». «O turismo é bandeira da província de Inhambane e isso está a ser afetado [pela instabilidade militar]», afirmou Chapo, em declarações aos jornalistas, no final da inauguração de sistemas de abastecimento de água nos distritos de Morrumbene e Homoíne, financiados pela União Europeia (UE) em nove dos 10 milhões de euros do valor total do projeto. Sem especificar números, o governador da província de Inhambane adiantou que o fluxo de turistas que procuravam as instâncias turísticas da província, nomeadamente praias, caiu nos últimos meses, em resultado da violência militar no país.
Introduzido novo método de regularização do preço do peixe no mercado
Guiné-Bissau Foi introduzido na Guiné-Bissau, na quarta-feira, um novo método de regularização do preço do peixe no mercado. O anúncio foi feito pelo ministro das Pescas, Fernando Correia Landim. A partir de agora, a tabela dos preços dos diferentes peixes será afixada no local de venda dos mesmos. «A compra de grande quantidade de peixe por uma só pessoa vai acabar, para se evitar o aumento injusto do preço. Muitas das vezes um individuo adquire uma quantidade elevada de peixe porque quer obter lucro demasiado», disse o ministro, citado pela ANG Notícias. Fernando Landim apelou ainda às vendedoras de peixe para denunciaram os preços anormais, visto que será afixado o preço por cada qualidade de peixe, evitando assim infrações à lei.
Seleção cabo-verdiana de futebol de praia defronta Senegal
Cabo Verde A seleção de Cabo Verde de futebol de praia defronta, no sábado, em Santa Maria, na ilha do Sal, a congénere do Senegal em jogo da primeira eliminatória de apuramento para o Campeonato Africano das Nações (CAN). Segundo o jornal `A Nação`, o diretor da prova será o português Emídio Simões, residente na cidade de Santa Maria. O selecionador de Cabo Verde, Polidio Brito, convocou os seguintes jogadores para este confronto: Manuel Silva (Manú); Cristiano Silva (Cristiano); Sidney do Rosário (Mané); Josiano Santos (Djuna); Francisco Soares (Chiquinho); Elton Ramos (Tonass); Nilton Ramos (Pepa); Givalder Duarte (Givalder); Nilson Tavares (Nilson); Emanuel Lopes (Uáua) e Henry Henrique Morais (Henry).
Embaixada do Brasil em São Tomé debate Direito Internacional do Mar e Segurança Marítima
São Tomé e Príncipe O seminário ‘Direito Internacional do Mar e a Segurança Marítima’, realizado esta quinta-feira pela Embaixada do Brasil em São Tomé e Príncipe, reuniu quadros civis e militares, assim como público interessado em conhecer as questões ligadas ao mar e à segurança. José Carlos Leitão, embaixador do Brasil, apresentou a perspetiva do seu país relativamente aos temas em debate. «Era inevitável que o Brasil tivesse um papel importante porque tem um litoral extenso e jamais poderia ficar omisso nessas discussões internacionais. E realmente uma geração de diplomatas brasileiros teve um papel muito relevante», afirmou, citado pelo Téla Nón. Segundo o embaixador, o Brasil tem um papel importante no processo de criação da Convenção Internacional do Direito do Mar e dá especial atenção à segurança marítima no golfo da Guiné, onde está localizado o arquipélago são-tomense.