«História é história, não corro atrás de recordes» - Luís Castro

Chaves 12-01-2018 23:47
Por Redação
O treinador do Chaves analisou o triunfo (4-3) sobre o Vitória de Guimarães, conseguido graças a uma grande penalidade marcada já no período de compensação.

«Foi um bom jogo de futebol, é pena não ser sempre assim, embora eu esteja mais de acordo com o sempre assim porque ganhámos. Se pensarmos naquilo que é a vertente espetáculo e aquilo que nos treinadores temos de colocar em campo e espírito que queremos colocar nas nossas equipas foi um bom espetáculo», recordou em conferência de imprensa, destacando a importância dos adeptos neste jogo emocionante:

- Não me passou despercebida a forma como a massa associativa deu a mão aos jogadores, a puxou do fundo. A equipa estava no fundo a perder por 0-2 e os adeptos foram fantásticos, assim como os meus jogadores.

Sobre o facto de ter igualado o registo do clube da época 1989/90 de oito jogos consecutivos sem derrotas: «É uma marca importante para o Chaves, mas não para mim. Não corro atrás de recordes, corro atras de trabalho diário, de fazer o melhor pela instituição, mais nada. História é história, quero ficar ligado aos clubes pelo respeito que tenho pelos clubes e pelo respeito que gosto que tenham por mim.

Luís Castro comentou ainda o facto de Matheus Pereira ter visto o quinto cartão amarelo e ficar, assim, fora do próximo jogo com o Benfica.

«Vou desmontar este jogo para, depois, perspetivar o jogo frente ao Benfica, pode ser sem Matheus Pereira, como sem outros jogadores. Quem me acompanhou ao longo da primeira volta percebeu que nunca valorizei as ausências, os lesionados, nunca me lamentei, nem o vou fazer. Hoje só fomos com três médios a jogo, tínhamos mais, não é por faltarem jogadores que vamos a jogo com menos confiança», rematou.
Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais