Primeiros 100 dias de João Lourenço causam otimismo pelas exonerações

Angola 02-01-2018 13:09
Por Lusa
Os primeiros cem dias de João Lourenço como Presidente de Angola trouxeram surpresa e otimismo pela velocidade das exonerações de figuras do clã do ex-presidente José Eduardo dos Santos, mas igualmente dúvidas quanto ao verdadeiro alcance destas medidas.

«Vou manter o benefício da dúvida que lhe concedi, por ter plena noção de que Roma não se fez num dia e por considerar serem dignos de respeito os atos mais corajosos que já protagonizou», disse à agência Lusa o ativista angolano Luaty Beirão, numa apreciação dos 100 primeiros dias de João Lourenço na Presidência de Angola.

Beirão, um dos mais acérrimos críticos do regime do ex-presidente José Eduardo dos Santos - no poder durante 38 anos, até setembro deste ano - referia-se às dezenas de exonerações em alguns dos mais altos cargos de chefia do país.

O novo Presidente angolano precisou de menos de três meses para afastar a estrutura de governação que recebeu de José Eduardo dos Santos, tendo feito acima de 300 nomeações e exonerando mais de 30 oficiais generais e cerca de 20 administrações de empresas públicas, na área petrolífera, dos diamantes, e de comunicação social, além do próprio Banco Nacional de Angola e de bancos comerciais detidos pelo Estado.

João Lourenço afastou de lugares chave os filhos do ex-presidente (e ainda presidente do partido que sustenta o novo chefe de Estado no poder, o MPLA), com destaque para a exoneração da multimilionária empresária Isabel dos Santos do cargo de presidente do conselho de administração da petrolífera Sonangol.
Ler Mais

Últimas Notícias

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais