Tarantini: o jogador-estudante (artigo de Manuel Sérgio, 217)

Ética no Desporto 22-11-2017 16:22
Por Manuel Sérgio
Depois de inteirar-me do conteúdo do livro, Tarantini: a minha causa (Oficina do Livro, 2017) da autoria do Tarantini, futebolista e capitão do Rio Ave, logo decidi escrever um texto-síntese sobre o que vinha de ler. Não cabe nas dimensões necessariamente menores desta breve crítica uma análise demorada dos temas que o Tarantini me suscitou. Contento-me, por isso, com esquissar aqueles que me parecem fundamentais. Comecemos pelo nome como é conhecido pelos “agentes do futebol” e pelo público fiel do futebol – Tarantini. “O meu nome de batismo é Ricardo José Vaz Alves Monteiro, mas só a minha família é que me trata por Ricardo. Cedo me habituei ao nome artístico, que me foi dado por um ex-treinador. Tarantini era um defesa argentino da década de 70 do século XX, facilmente identificável pela sua cabeleira loura e encaracolada. Não foi esta a única alcunha que recebi, ao longo do meu percurso profissional. Mas foi a que vingou e é hoje uma imagem de marca. A 7 de Outubro de 2017 completei 34 anos. Aos 1,89 metros de altura juntam-se os 80 quilos de peso. E o meu contrato com o Rio Ave Futebol Clube é válido até Junho de 2018”. Dei a palavra ao próprio Tarantini, para ser ele a apresentar-se. Chegou o momento de emitir a minha primeira opinião. E, de facto, a primeira impressão que este livro me trouxe sintetizo assim: o seu autor é um homem de quentes afetos humanos e familiares, que o acompanham pela vida fora. E que o levam a questionar e a questionar-se, com extrema sensatez, com ética inatacável: “E a minha vida resume-se a escolhas feitas em prol de uma só questão – que pessoa quero ser neste mundo?” (p. 13). Já conheci e convivi com muitos jogadores e treinadores de futebol. Pela primeira vez, oiço a um “agente do futebol” esta interrogação (pela primeira vez, repito): “Que pessoa quero ser, neste mundo?”.

Não há jogos, há pessoas que jogam; não há fintas, há pessoas que fintam; não há remates, há pessoas que rematam. Se eu não compreender as pessoas, não entendo, nem os jogos, nem as fintas, nem os remates. O Ricardo José Vaz Alves Monteiro, que o público do futebol conhece por Tarantini, profissional de futebol, licenciado e mestre em Desporto pela Universidade da Beira Interior e doutorando da mesma Universidade, faz suas as palavras de Hans Jonas: “Age de tal modo que os efeitos da tua ação sejam compatíveis com a permanência de uma vida autenticamente humana sobre a terra”. Mais importante do que um jogo de futebol é uma lágrima humana e o Tarantini, ou o Dr. Ricardo Monteiro, não se limitou a ser o jogador de futebol de muitos méritos, que hoje é, e desejou (deseja) ardentemente ser Homem, antes e para além do futebol. E, por isso, escreve: “Sabia que, estatisticamente, só mais de 4% dos jogadores de futebol conseguem alcançar os “três grandes” ? Imagina que a percentagem dos atletas com salário mais elevado é ainda mais reduzido? Esta é apenas uma pequena e demolidora amostra do retrato futebolístico português” (p. 77). E, pelo sortilégio da sua inteligência, entrou de juntar à sua absorvente vida de futebolista uma séria vida intelectual. “Recentemente, fui aceite para realizar o doutoramento na UBI (…). Chegar ao grau de doutoramento será, talvez, inédito no mundo do futebol. Vai ser uma luta ainda inimaginável. Mas é isso que me faz querer ir para a frente. Imagino o dia em que estarei trajado a rigor e em frente do júri. Mais do que isso, sinto que ainda estarei a jogar a um grande nível. Vai ser brutal!” (p. 81). O comodismo é o pendor natural da mediocridade. A ele conduz naturalmente os que se deixam enfeitiçar pelos aplausos frenéticos do facciosismo clubista, pelas palavras hipócritas do “conto do vigário”, pelos cantos de sereia de um certo sexo, de umas certas noitadas…

Tarantini soube escolher, entre a avidez imoderada das paixões que levam ao desastre, uma filosofia de vida que o torne mais autenticamente humano e portanto mais próximo da felicidade, que não é ausência de sofrimento (de quando em vez, o sofrimento é inevitável) mas possibilidade de uma vida que valha a pena viver, ou seja, que tenha sentido. No exemplo dos meus queridos e saudosos Pais e na leitura do Evangelho e de alguns filósofos, principalmente Descartes, Hegel, Marx, Nietzsche, Mounier, Bachelard, Habermas e Merleau-Ponty; porque, desde criança, sempre admirei embevecido a auréola refulgente do espetáculo desportivo, chegando mesmo a fazer amizade com alguns dos nomes maiores da história do nosso desporto – pude propor, em tese de doutoramento, um novo paradigma, a motricidade humana, onde cabem, como especialidades, o desporto, a dança, a ergonomia, a reabilitação, a motricidade infantil, etc. e tentando provar que fazia um “corte epistemológico”, em relação ao dualismo antropológico cartesiano, imperante na educação física e no desporto tradicionais. Para mim, de há 50 anos a esta parte, o humano é uma totalidade, é um sistema, ou seja, “uma unidade global organizada de inter-relações, entre elementos, ações ou indivíduos”. Na prática desportiva, portanto, seja ela qual for, o essencial é o ser humano, é o homem (ou mulher) e não a tática, ou a técnica. No meu entender, o Tarantini nasce do Ricardo Monteiro, o homem está antes do jogador e, observado com atenção, o homem já anuncia o jogador. A honestidade, a coragem, a capacidade de sacrifício, a fidelidade a valores de forte caráter humanizante do futebolista Tarantini residem na pessoa, no cidadão Ricardo José Vaz Alves Monteiro. A sua cultura generosa e rigorosa, a sua coerência sem falhas, numa fraternidade imbatível para com o seu semelhante, o futebol aprimorou-as, de facto, mas ele já as tinha recebido do regaço de sua Mãe, do exemplo moral do seu Pai, da ternura das suas Irmãs.

Tarantini: a minha causa é um livro que deve ser lido pelos profissionais de futebol, ou aspirantes a profissionais de futebol. Dizendo da minha admiração por este livro, creio que muitos dos seus leitores se sentirão interpelados pelos meandros desta obra singular. Nela, um profissional de futebol (dos melhores que o nosso país tem, na linha média e como pensador do jogo) pode escrever, de alma em festa: “Ao longo de duas décadas de futebol profissional, sinto-me um afortunado, por nunca ter contraído nenhuma lesão que precipitasse o fim da minha carreira. Mas nunca deixo de pensar, no dia seguinte. Não sei se vou jogar mais um ou cinco anos. Aconteça o que acontecer, estou preparado para terminar a minha missão em campo e fazer uma transição tranquila” (p. 69). E, de consciência tranquila, acreditando no primado da cultura e da solidariedade, rejeitando a mediocridade e o sectarismo que medram no futebol português, continua: “Enquanto jogador profissional, contabilizo a participação em 469 jogos, sendo que as estatísticas gerais de desempenho ainda me atribuem 55 golos, 28 assistências e 35 mil minutos jogados. Em 2016, voltei a ter um ponto alto na minha carreira profissional, através do lançamento do projeto A Minha Causa: www.tarantini.pt. Um projeto para todos e ao serviço dos desportistas. Um exemplo que revela a possibilidade real de investir na carreira do futebolista, sem abdicar de todos os outros sonhos e evidenciando a importância da formação académica como fator de sustentabilidade de futuro. Esta é a minha causa! Qual é a tua?” (p. 86). Tarantini – um homem que sabe a definição e a função da prática desportiva e que portanto não desconhece que é preciso saber mais para servir melhor. Tarantini: um jogador-estudante, num magistério moral!

Manuel Sérgio é professor catedrático da Faculdade de Motricidade Humana e Provedor para a Ética no Desporto
Ler Mais
19:08  -  15-11-2017
O método hermenêutico no Desporto (artigo de Manuel Sérgio, 216)
16:36  -  05-11-2017
A `Ciência` do Futebol (artigo de Manuel Sérgio, 215)
00:30  -  31-10-2017
Ronaldo e Messi: dois santos laicos (artigo de Manuel Sérgio, 214)
10:49  -  24-10-2017
A crença gera biologia (artigo de Manuel Sérgio, 213)
11:11  -  18-10-2017
Artur Anselmo: Presidente da Academia das Ciências de Lisboa (artigo de Manuel Sérgio, 212)
12:25  -  09-10-2017
José Tolentino Mendonça (artigo de Manuel Sérgio, 211)
19:14  -  03-10-2017
Sérgio Oliveira: - uma lição! (artigo de Manuel Sérgio, 210)
16:35  -  26-09-2017
«Para um Desporto do Futuro» (artigo de Manuel Sérgio, 209)
13:54  -  18-09-2017
Jorge Jesus e o Sporting Clube de Portugal (artigo de Manuel Sérgio, 208)
16:19  -  10-09-2017
Este futebol será Desporto? (artigo de Manuel Sérgio, 207)
23:03  -  04-09-2017
Mais uma carta aberta ao José Mourinho (artigo de Manuel Sérgio, 206)
10:26  -  30-08-2017
O Tempo em Jorge Jesus - Manuel Sérgio
16:38  -  08-08-2017
Esta palavra “paradigma” (artigo de Manuel Sérgio, 205)
13:11  -  02-08-2017
A propósito do treino: uma aproximação ao existencialismo (artigo de Manuel Sérgio, 204)
13:39  -  25-07-2017
Jorge Carlos Fonseca: - literatura de descontinuidade (artigo de Manuel Sérgio, 203)
15:32  -  18-07-2017
O calcanhar de Aquiles (artigo de Manuel Sérgio, 202)
08:12  -  09-07-2017
Notas Críticas sobre os Bruxos do Futebol e outras coisas mais(artigo de Manuel Sérgio, 201)
15:03  -  03-07-2017
Traços fundamentais da cultura portuguesa (artigo de Manuel Sérgio, 200)
10:46  -  25-06-2017
A omnipresença do futebol (artigo de Manuel Sérgio, 199)
20:24  -  17-06-2017
Liderator: A Excelência no Desporto (artigo de Manuel Sérgio, 198)
23:26  -  12-06-2017
António Augusto da Silva Martins (artigo de Manuel Sérgio, 197)
14:11  -  05-06-2017
Voltaire (1694-1778) (artigo de Manuel Sérgio, 196)
12:53  -  30-05-2017
A Estrutura ou o Rui Vitória? (artigo de Manuel Sérgio, 195)
17:55  -  22-05-2017
Nuno Delgado: a coopetição (artigo de Manuel Sérgio, 194)
21:43  -  14-05-2017
Benfica: a Razão e a Fé (artigo de Manuel Sérgio 193)
16:18  -  09-05-2017
O Futebol tem Violência não é violento (artigo de Manuel Sérgio 192)
16:55  -  28-04-2017
A pós-verdade e… o futebol! (artigo de Manuel Sérgio, 191)
16:53  -  16-04-2017
“Violência e Futebol”: - um livro a reler (artigo de Manuel Sérgio, 190)
16:10  -  09-04-2017
De Platão até hoje… (artigo de Manuel Sérgio, 189)
15:57  -  02-04-2017
A Filosofia da Libertação e a alta competição desportiva (artigo de Manuel Sérgio, 188)
17:41  -  26-03-2017
Carta aberta ao Jorge Jesus (artigo de Manuel Sérgio, 187)
18:24  -  18-03-2017
É preciso fazer do Homem o futuro do Homem (artigo de Manuel Sérgio, 186)
17:22  -  05-03-2017
José Mourinho: espetáculo com eficácia (artigo de Manuel Sérgio, 185)
16:28  -  24-02-2017
Carlos Lopes: grande entre os grandes!(artigo de Manuel Sérgio, 184)
16:04  -  19-02-2017
«Tudo o que é excessivo é insignificante» (artigo de Manuel Sérgio, 183)
23:05  -  12-02-2017
Fernando Santos: Razão e Fé (artigo de Manuel Sérgio, 182)
12:34  -  08-02-2017
A Literacia Científica e a Compreensão do Futebol (artigo de Manuel Sérgio, 181)
16:18  -  31-01-2017
Aurélio Pereira: meu companheiro de jornada (artigo de Manuel Sérgio, 180)
14:42  -  26-01-2017
A Cidade do Futebol e o Dr. Fernando Gomes ((artigo de Manuel Sérgio, 179)
21:49  -  19-01-2017
Tudo é sistema (artigo de Manuel Sérgio, 178)
14:36  -  11-01-2017
O Desporto e o Homem Pós-Humano (artigo de Manuel Sérgio, 177)
15:12  -  05-01-2017
O futebol português de parabéns (artigo de Manuel Sérgio, 176)
19:06  -  30-12-2016
O corpo da mente e a mente do corpo (artigo de Manuel Sérgio, 175)
16:34  -  23-12-2016
Quando o amor era mais íntimo (artigo de Manuel Sérgio, 174)
20:38  -  12-12-2016
A Filosofia como fundamentação (artigo de Manuel Sérgio, 173)
16:28  -  01-12-2016
O Vítor Serpa e o José Peseiro, dois pós-modernos (artigo de Manuel Sérgio, 172)
18:49  -  25-11-2016
Para uma cultura desportiva (artigo de Manuel Sérgio, 171)
16:01  -  21-11-2016
A `epistemologia moral´ no Desporto (artigo de Manuel Sérgio, 170)
16:23  -  16-11-2016
O treinador Tuck e o Sacavenense (artigo de Manuel Sérgio, 169)
18:51  -  10-11-2016
Jorge Araújo: a paixão do saber (artigo de Manuel Sérgio, 168)
16:24  -  05-11-2016
Uma Coreografia de Pensamentos (artigo de Manuel Sérgio, 167)
16:07  -  25-10-2016
Ninguém ganha porque tem valor, tem valor porque ganha (artigo de Manuel Sérgio, 165)
11:38  -  30-09-2016
Filosofia do Desporto e Filosofia no Desporto (artigo de Manuel Sérgio, 162)
20:21  -  19-09-2016
97 anos de vida (artigo de Manuel Sérgio)
17:45  -  12-09-2016
Europa, Europa: a filosofia em teatro (artigo de Manuel Sérgio, 161)
20:26  -  08-09-2016
Jorge Jesus na idade da sofística (artigo de Manuel Sérgio, 160)
19:59  -  25-08-2016
O Desporto faz mal à saúde? (artigo de Manuel Sérgio, 158)
13:28  -  17-08-2016
O Desporto: intencionalidade e âmbito (artigo de Manuel Sérgio, 157)
15:32  -  05-08-2016
Mário Moniz Pereira: puramente desportista! (artigo de Manuel Sérgio, 155)
22:50  -  31-07-2016
Mário Moniz Pereira: o artista-treinador!
21:33  -  30-07-2016
Henrique Calisto e o livro do seu desassossego (artigo de Manuel Sérgio, 154)
19:27  -  25-07-2016
“Outro lado das coisas”: um livro de José Antunes de Sousa (artigo de Manuel Sérgio, 153)
18:45  -  21-07-2016
Hóquei em Patins: campeões europeus! (artigo de Manuel Sérgio, 152)
16:07  -  15-07-2016
Naturalmente religioso (artigo de Manuel Sérgio, 151)
16:05  -  11-07-2016
Viva Portugal! (artigo de Manuel Sérgio, 150)
19:57  -  01-07-2016
Quando as dificuldades são possibilidades (artigo de Manuel Sérgio, 149)
15:42  -  26-06-2016
Portugal-Croácia: - uma vitória inesquecível! (artigo de Manuel Sérgio, 148)
21:23  -  22-06-2016
Um sistema é relação (artigo de Manuel Sérgio, 147)
17:06  -  16-06-2016
A propósito do Euro-2016 (artigo de Manuel Sérgio, 146)
19:27  -  09-06-2016
Celebrar Portugal, através do futebol (artigo de Manuel Sérgio, 145)
17:44  -  05-06-2016
Para um novo comentador desportivo (artigo de Manuel Sérgio, 144)
17:33  -  22-05-2016
Carta Aberta a Luís Filipe Vieira (artigo de Manuel Sérgio, 142)
16:35  -  09-05-2016
Mais uma idade da sofística? (artigo de Manuel Sérgio, 140)
17:48  -  03-05-2016
Carta Aberta ao Dr. Rui Gomes da Silva (artigo de Manuel Sérgio, 139)
17:24  -  25-04-2016
“O Homem Que Não Tinha Idade”: um romance de Fernando Correia (artigo de Manuel Sérgio, 138)
19:42  -  19-04-2016
Pinto da Costa num tempo adverso (artigo de Manuel Sérgio, 137)
17:01  -  13-04-2016
O Desporto como Ciência e como Filosofia (artigo de Manuel Sérgio, 136)
19:28  -  07-04-2016
Mário Moniz Pereira - o poeta do desporto! (artigo de Manuel Sérgio, 135)
15:33  -  01-04-2016
O Desporto: uma indústria de milhões! (artigo de Manuel Sérgio, 134)
16:04  -  29-03-2016
É preciso passar da religião à fé (artigo de Manuel Sérgio, 133)
17:09  -  15-03-2016
Os 35 anos do `JL´ (artigo de Manuel Sérgio, 131)
17:30  -  10-03-2016
Carta Aberta ao Rui Vitória (artigo de Manuel Sérgio, 130)
18:14  -  07-03-2016
Carta Aberta ao Lindelof (artigo de Manuel Sérgio, 129)
22:25  -  27-02-2016
Ilya Prigogine ou as potencialidades da matéria (artigo de Manuel Sérgio, 128)
21:01  -  21-02-2016
Alguns ligeiros pensamentos sobre o futebol (artigo de Manuel Sérgio, 127)
23:18  -  14-02-2016
Benfica–Porto: não há rendimento sem eficácia (artigo de Manuel Sérgio, 126)
17:01  -  08-02-2016
Gaston Bachelard: o novo espírito científico (artigo de Manuel Sérgio, 125)
17:00  -  01-02-2016
O especialista e o leigo, em futebol (artigo de Manuel Sérgio, 124)
23:27  -  25-01-2016
Desporto e Humanismo Contemporâneo (artigo de Manuel Sérgio, 123)
20:01  -  04-01-2016
O Mito e a Alta Competição Desportiva (artigo de Manuel Sérgio, 120)
20:42  -  28-12-2015
A propósito de Paulo Freire e Blondel e Sartre (artigo de Manuel Sérgio, 119)
16:32  -  20-12-2015
Quando uma criança nasce… (artigo de Manuel Sérgio, 118)
16:53  -  16-12-2015
Fernando Medina ou o processo da decisão política (artigo de Manuel Sérgio, 117)
16:59  -  09-12-2015
Há uma comunidade científica no desporto português? (artigo de Manuel Sérgio, 116)
16:44  -  29-11-2015
Sem poesia, não há ciência (artigo de Manuel Sérgio, 115)
16:46  -  23-11-2015
A crise da esperança (artigo de Manuel Sérgio, 114)
16:39  -  15-11-2015
Lutaremos, meu Amor (artigo de Manuel Sérgio, 113)
23:44  -  08-11-2015
Jogar com os afetos (artigo de Manuel Sérgio, 112)
19:27  -  02-11-2015
Luís Filipe Vieira: ou um Benfica que enternece e cativa (artigo de Manuel Sérgio, 111)
16:24  -  26-10-2015
O último Benfica-Sporting e o novo campeão nacional (artigo de Manuel Sérgio, 110)
17:14  -  20-10-2015
A coisa mais importante das coisas pouco importantes (artigo de Manuel Sérgio, 109)
15:42  -  13-10-2015
Desporto e Humanismo ou o valor da transcendência (artigo de Manuel Sérgio, 108)
16:25  -  06-10-2015
Os treinadores portugueses no futebol internacional (artigo de Manuel Sérgio, 107)
23:13  -  29-09-2015
João Paulo S. Medina: - o “intelectual” do futebol brasileiro (artigo de Manuel Sérgio, 106)
00:04  -  23-09-2015
O último Porto-Benfica ou da biologia à cultura (artigo de Manuel Sérgio, 105)
18:11  -  15-09-2015
“Quem somos nós?” - a resposta do Desporto (artigo de Manuel Sérgio, 104)
18:20  -  08-09-2015
Joel Rocha – o “Mourinho” do futsal (artigo de Manuel Sérgio, 103)
18:35  -  02-09-2015
A História de Sísifo (artigo de Manuel Sérgio, 102)
17:34  -  28-08-2015
O mais relevante nem sempre é o mais mensurável (artigo de Manuel Sérgio, 101)
17:55  -  14-08-2015
Jorge Jesus: - o sublime iletrado! (artigo de Manuel Sérgio, 99)
18:54  -  07-08-2015
O que em mim sente está pensando (artigo de Manuel Sérgio, 98)
16:55  -  31-07-2015
A Cultura do Clube (artigo de Manuel Sérgio, 97)
21:45  -  21-07-2015
Do Jogo ao Desporto em Bourdieu e... não só (artigo de Manuel Sérgio, 96)
23:57  -  16-07-2015
Carta a Eugénio Lisboa (artigo de Manuel Sérgio, 95)
00:32  -  10-07-2015
António Simões: - o irmão branco do Eusébio (artigo de Manuel Sérgio, 94)
17:31  -  04-07-2015
Jorge Jesus ou a homeostasia organizacional (artigo de Manuel Sérgio, 93)
23:50  -  15-06-2015
No Benfica: estrutura ou carisma? (artigo de Manuel Sérgio, 90)
22:37  -  10-06-2015
Feyerabend e Ricardo Serrado no estudo de Lionel Messi (artigo de Manuel Sérgio, 89)
22:50  -  26-05-2015
Mais importante do que ter sucesso é ter valor! (artigo de Manuel Sérgio, 86)
00:30  -  23-05-2015
José Mourinho ou as razões da sua diferença (artigo de Manuel Sérgio, 85)
16:42  -  18-05-2015
É preciso, imperioso e urgente a continuação de J.J., no Benfica (artigo de Manuel Sérgio, 84)
18:16  -  10-05-2015
Roberto Carneiro: retrato de um ministro que eu conheci (artigo de Manuel Sérgio, 83)
16:30  -  01-05-2015
O empréstimo de jogadores é compatível com a ética? (artigo de Manuel Sérgio, 82)
16:54  -  20-04-2015
José Mourinho: por que será?... (artigo de Manuel Sérgio, 81)
17:17  -  14-04-2015
O Progresso Desportivo: - o que é isso? (artigo de Manuel Sérgio, 80)
19:15  -  07-04-2015
Mourinho escreve prefácio de livro de Manuel Sérgio, «O Futebol e Eu»
23:31  -  06-04-2015
O jornal “ A Bola” - desporto e humanismo (artigo de Manuel Sérgio, 79)
22:47  -  01-04-2015
Jorge Carlos Fonseca: o Presidente da República que é poeta (artigo de Manuel Sérgio, 78)
21:47  -  25-03-2015
Qual o fundamento radical na arbitragem? (artigo de Manuel Sérgio, 77)
16:34  -  21-03-2015
A Gestão do Desporto, segundo Gustavo Pires (artigo de Manuel Sérgio, 76)
16:40  -  13-03-2015
O Futebol é Anamnese... mesmo com Luís Figo? (artigo de Manuel Sérgio, 75)
17:47  -  07-03-2015
Ao Povo-Irmão de Cabo Verde (artigo de Manuel Sérgio, 74)
21:14  -  19-02-2015
“Cândido de Oliveira” - um livro inesquecível de Homero Serpa (artigo de Manuel Sérgio, 73)
21:10  -  12-02-2015
Só com os mesmos valores o diálogo é possível (artigo de Manuel Sérgio, 72)
17:04  -  08-02-2015
O modelo racionalista do jornal A Bola (artigo de Manuel Sérgio, 71)
16:32  -  01-02-2015
“A Bola”: uma práxis que é preciso manter (artigo de Manuel Sérgio, 70)
19:14  -  28-01-2015
Manuel Alegre: - um semeador de poesia (artigo de Manuel Sérgio, 69)
18:29  -  22-01-2015
Libertar o Direito e o Desporto ou um ensaio do Prof. Paulo Cunha (artigo de Manuel Sérgio, 68)
16:24  -  18-01-2015
A desparasitação do futebol ou a dupla Pinto da Costa-Pedroto (artigo de Manuel Sérgio, 67)
18:18  -  15-01-2015
O Desporto tem violência: - não é violento! (artigo de Manuel Sérgio, artigo 66)
17:57  -  10-01-2015
A “Arte da Guerra” no treinador Rui Vitória (artigo de Manuel Sérgio, 65)
00:17  -  07-01-2015
José Maria Pedroto: o conhecimento... (artigo de Manuel Sérgio, 64)
23:31  -  31-12-2014
Feliz Ano Novo ao Desporto Português (artigo de Manuel Sérgio, 63)
17:32  -  24-12-2014
A grande revolução de Jesus na Vida e... no Desporto! (artigo de Manuel Sérgio, 62)
17:53  -  20-12-2014
História e Filosofia das Ciências, no Desporto e... no Benfica! (artigo de Manuel Sérgio, 61)
22:56  -  17-12-2014
Uma resposta breve a Miguel Cardoso Pereira (artigo de Manuel Sérgio, 60)
18:57  -  11-12-2014
Desporto e Desenvolvimento ou um livro de Gustavo Pires (artigo de Manuel Sérgio, 59)
18:36  -  04-12-2014
Nossos contemporâneos (artigo de Manuel Sérgio, 58)
18:19  -  27-11-2014
Da Desconfiança à Solidariedade em Pinto da Costa e Filipe Vieira (artigo de Manuel Sérgio, 57)
23:19  -  20-11-2014
As incertezas da ciência (artigo de Manuel Sérgio, 56)
16:18  -  16-11-2014
O engenheiro Fernando Santos: - o mesmo e o diferente (artigo de Manuel Sérgio, 55)
18:39  -  11-11-2014
Ou interdisciplinaridade ou ignorância (artigo de Manuel Sérgio, 54)
10:25  -  08-11-2014
Carta Aberta ao Presidente da República de Cabo Verde (artigo de Manuel Sérgio, 53)
17:43  -  30-10-2014
Rui Jorge: e o treinador do Futuro (artigo de Manuel Sérgio, 52)
15:56  -  23-10-2014
O engenheiro Fernando Santos: o ser e o tempo (artigo de Manuel Sérgio, 51)
19:34  -  16-10-2014
O preparo físico dos nossos jogadores de futebol, 2.ª parte (artigo de Manuel Sérgio, 50)
17:38  -  11-10-2014
O preparo físico dos nossos jogadores de futebol (1) (artigo de Manuel Sérgio, 49)
22:14  -  03-10-2014
Eduardo Monteiro: perfil de um dirigente! (artigo de Manuel Sérgio, 48)
17:55  -  28-09-2014
A propósito do engenheiro Fernando Santos (artigo de Manuel Sérgio, 47)
16:47  -  22-09-2014
O campeão observado a dois ângulos de visão (artigo de Manuel Sérgio, 46)
00:24  -  18-09-2014
Há falta de treinadores negros (artigo de Manuel Sérgio, 45)
01:06  -  13-09-2014
Valdano: um homem que transporta uma frustração (artigo de Manuel Sérgio, 44)
18:39  -  08-09-2014
A grande revolução a fazer no futebol (artigo de Manuel Sérgio, 43)
18:36  -  03-09-2014
Mais Platão, menos Prozac! (Artigo de Manuel Sérgio, 42)
14:57  -  28-08-2014
Fiel ao Belenenses e... aos amigos! (artigo de Manuel Sérgio, 41)
18:38  -  17-08-2014
O Deus dos filósofos e os deuses do futebol (artigo de Manuel Sérgio, 40)
18:34  -  10-08-2014
O olho das rãs e o futebol (artigo de Manuel Sérgio, 39)
21:47  -  04-08-2014
“Francisco de Assis e Franscisco de Roma” - mais um livro de Leonardo Boff (artigo Manuel Sérgio, 38)
16:52  -  26-07-2014
“Preparar para Ganhar”: um livro de José Neto (artigo Manuel Sérgio, 37)
22:24  -  15-07-2014
O Futebol na Sociedade Pós-Capitalista ou a vitória da Alemanha (artigo Manuel Sérgio, 36)
00:43  -  07-07-2014
Código de Ética Desportiva (artigo Manuel Sérgio, 35)
16:35  -  02-07-2014
A Literatura e o Desporto: a propósito de Sophia (artigo Manuel Sérgio, 34)
20:53  -  27-06-2014
O Futebol e os Escritores (artigo Manuel Sérgio, 33)
22:45  -  22-06-2014
As dúvidas do Doutor Eduardo Barroso: as dele e as minhas! (artigo Manuel Sérgio, 32)
16:17  -  08-06-2014
Carta Aberta ao Ministro do Desporto do Brasil (artigo Manuel Sérgio, 31)
18:08  -  01-06-2014
Da poesia ao futebol (artigo Manuel Sérgio, 30)
18:57  -  27-05-2014
Factos e valores (artigo Manuel Sérgio, 29)
18:50  -  19-05-2014
Parabéns ao Benfica: na vitória e na derrota (artigo Manuel Sérgio, 28)
16:35  -  12-05-2014
Marco Silva: um grande treinador, com toda a certeza! (artigo Manuel Sérgio, 27)
21:07  -  01-05-2014
A grande revolução de Jesus ou o mundo que o desporto não tem (artigo Manuel Sérgio, 26)
00:52  -  24-04-2014
O 25 de Abril e o Futebol Português (artigo Manuel Sérgio, 25)
18:33  -  11-04-2014
Os mitos fundadores da Modernidade (artigo Manuel Sérgio 24)
23:56  -  06-04-2014
Os cem anos da FPF: em Portugal também há progresso? (artigo Manuel Sérgio 23)
20:01  -  30-03-2014
Nova Teoria do Sebastiano e o Futebol Português (artigo Manuel Sérgio 22)
23:11  -  23-03-2014
José Medeiros Ferreira: o desportisra, o político, o intelectual (artigo Manuel Sérgio 21)
17:26  -  18-03-2014
Nossos contemporâneos (artigo Manuel Sérgio 20)
21:39  -  03-03-2014
Há necessidade de uma utopia (artigo Manuel Sérgio 19)
00:49  -  22-02-2014
“Filosofia e Futebol: troca de passes” - um livro de grande atualidade ( artigo Manuel Sérgio 18)
22:28  -  16-02-2014
A Inteligência Competitiva e o Espectáculo Desportivo (artigo Manuel Sérgio 17)
18:50  -  12-02-2014
Plano Nacional de Ética no Desporto (artigo Manuel Sérgio 16)
21:08  -  02-02-2014
Porque sou belenenses... (artigo Manuel Sérgio 15)
00:04  -  28-01-2014
Aurélio Pereira ou um projeto antropológico (artigo Manuel Sérgio 14)
00:19  -  23-01-2014
O nome da rosa (artigo Manuel Sérgio 13)
00:11  -  15-01-2014
Cristiano Ronaldo: agilidade física ou intelectual? (artigo Manuel Sérgio 12)
00:38  -  13-01-2014
Eusébio tem lugar indiscutível no panteão nacional (artigo Manuel Sérgio 11)
23:59  -  03-01-2014
Ciência no Futebol e outras coisas mais... (artigo Manuel Sérgio 10)
00:04  -  30-12-2013
O Desporto nem sempre educa... (artigo de Manuel Sérgio 9)
00:37  -  23-12-2013
Carta Aberta aos jogadores do Bom Senso F.C. (artigo de Manuel Sérgio 8)
00:14  -  10-12-2013
Os golos do Ronaldo e a ética da palavra (artigo de Manuel Sérgio 7)
22:14  -  03-12-2013
Cristiano Ronaldo: - um herói da cultura! (artigo de Manuel Sérgio 6)
21:39  -  20-11-2013
Os erros dos árbitros e os erros dos outros... (artigo de Manuel Sérgio 5)
11:56  -  28-10-2013
«O Desporto (o Futebol) não é violência» (artigo de Manuel Sérgio 4)
22:58  -  18-10-2013
«O Desporto e o Desafio do Sentido» (artigo de Manuel Sérgio 3)
22:45  -  06-10-2013
«O pensamento ético contemporâneo e o Desporto» (artigo de Manuel Sérgio 2)
18:40  -  27-09-2013
«O Desporto em que eu acredito» (artigo de Manuel Sérgio 1)
Comentários (0)

Últimas Notícias

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais