O que é a perfeição? (artigo de Aníbal Styliano, 12)

Espaço Universidade 23-02-2017 16:49
Por Aníbal Styliano
Imagine-se uma enorme e redonda sala de espectáculos. No centro, um palco
também circular.

Lotação esgotada.

Duas orquestras frente a frente, cada uma com o respetivo maestro.

De forma imprevista começam, em simultâneo, a tocar a mesma peça.

Porém, todos os músicos interpretam as notas de forma única, intensa e os
maestros imprimem ritmos, técnicas e magias diversas, ininterruptas.

Os sons interligam-se de forma envolvente, natural, sedutora. Ouve-se uma
única peça.

O talento cria um momento de perfeição.

A peça musical chama-se "Futebol": de autor anónimo bem como de um tempo
indefinido.

Durante a execução, solistas e orquestras atingem momentos de paixão, de
emoção e de sentir, que os fazem viajar e rever Monet, Miró, Amadeo,
Picasso, Van Gogh, Leonardo, Almada e muitos outros.

A tecnologia parou perante a arte da obra humana, em desempenhos
simplesmente naturais.

Imaginei Pedroto e Cândido de Oliveira a sorrirem.

Sem palavras, a imensa e global assistência comove-se, maravilhada com a
excelência vivida.

Solos nunca vistos, pinturas e palavras de um tempo único.

Golos como construções melódicas nunca antes alcançadas e com respostas
adequadas por todos os grupos de cada orquestra.

Nasceu mais uma memória indestrutível e magnífica, daquelas que o tempo vai
eternizar como mito.

Milhões tiveram acesso em direto e guardarão sempre uma imagem que saberão
transmitir, em todas as circunstâncias.

O concerto decorreu no dia 21 de fevereiro de 2017, teve início às 19H45,
na cidade inglesa de Manchester.

"Orquestras" presentes: Manchester City, liderada por Pep Guardiola e
Mónaco, liderada por Leonardo Jardim. Árbitro: o espanhol Mateus Lahoz.

Portugal bem representado ao mais alto nível.

Próximo dia 15 de março está marcado novo encontro, novo concerto, nova
performance. Novo hino à perfeição?

Difícil previsão mas sempre uma possibilidade porque se trata de quem faz
do futebol um espaço de arte, de desafio, de construção permanente.

O planeta vai parar para ver: o eterno regresso da lenda.

Aníbal Styliano é Professor licenciado em História; treinador de futebol nível IV UEFA Pro Licence; diretor pedagógico da Associação de Futebol do Porto; membro da comissão de formação da Federação Portuguesa de Futebol e do conselho consultivo da Associação Nacional de Treinadores de Futebol.
Ler Mais
Comentários (0)

Destaques

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais