NBA All Star Game: Evolução Histórica (artigo de Eduardo Monteiro, 13)

Espaço Universidade 06-02-2017 21:08
Por Eduardo Monteiro
Em 1951, numa reunião de trabalho entre Maurice Podoloff (Presidente da NBA), Walter Brown (dono dos Boston Celtics) e Haskell Cohen (Director de Marketing da NBA), foi sugerido por Cohen que para se recuperar a atenção do público em relação a outros desportos profissionais, era importante organizar um jogo de exibição entre as estrêlas da National Basketball Association (NBA), a exemplo do que já se fazia na liga profissional de basebol (Major League Baseball).

Embora muita gente ligada ao basquetebol estivesse pessimista em relação a esta ideia, entre eles o próprio lider da NBA, o patrão dos Celtics estava confiante, ao ponto de se oferecer para realizar o evento na cidade de Boston, responsabilizar-se por todas as despesas e eventuais prejuízos resultantes da organização do All Star Game. O primeiro jogo das estrelas do basquetebol profissional tornou-se realidade e teve um enorme sucesso, com uma assistência de 10.094 pessoas, muito superior à média por jogo durante a época regular que era de 3.500 espectadores. A selecção do Este venceu por 111-94 a do Oeste e Ed Macauley (Boston Celtics) foi eleito o jogador mais valioso (MVP) do All Star Game. Em 2010, no All Star Game realizado no Cowboys Stadium na cidade de Arlington, no estado do Texas, foi batido o record de assistência a um encontro de basquetebol com 108.713 espectadores. O anterior record tinha sido registado em 2003, em Fort Field, quando 78.129 pessoas assistiram a um jogo entre as equipas de basquetebol das Universidades de Michigan State e Duke.

Assim, desde esse primeiro histórico jogo, já se realizaram 65 “All Star Games” em diversas cidades, de diferentes estados federais, tendo o último (2016) sido organizado fora do país, na cidade canadiana de Toronto, o que aconteceu pela primeira vez na história da NBA, plenamente justificado, pois a equipa dos Toronto Raptors participa já há muitos anos no campeonato da Liga Profissional e merecia essa distinção. Em todo este percurso só uma vez, em 1999, é que não se efectuou o jogo das estrelas devido à greve dos jogadores profissionais cuja duração ultrapassou a data prevista para a sua concretização. Desde a primeira hora, a rotatividade na atribuição da organização do All Star Game tem sido um princípio assumido pela NBA, pelo que cidades como Boston, Ft. Wayne, New York, Rochester, S. Louis, Detroit, Philadelphia, Siracuse, Los Angeles, Cincinnati, S. Francisco, Baltimore, San Diego, Inglewood, Chicago, San Antonio, Phoenix, Miwaukee, Atlanta, Landover, Richfield, East Rutherford, Denver, Indianapolis, Dallas, Seattle, Houston, Miami, Charlotte, Orlando, Salt Lake City, Minneapolis, Cleveland, Oakland, Washington, Las Vegas, New Orleans, Arlington e Toronto já foram contempladas com este popular evento, ou seja, 39 diferentes cidades, com algumas repetições nas grandes metrópoles por compromissos inevitáveis em termos de marketing.

A selecção do Oeste venceu 28 jogos e a do Este ganhou os restantes 37 encontros, com alternativas constantes com excepção nos seguintes períodos: Este (1963,1964,1965 e 1966); Este (1968, 1969 e 1970); Este (1980, 1981, 1982, 1983 e 1984); Este (1996, 1997 e 1998) e Oeste (2011, 2012 e 2013). Neste conjunto de 65 All Star Games foram eleitos MVP (Most Valuable Player) 49 jogadores que em termos gerais constituem a nata dos melhores praticantes da história da NBA. Como referência de notoriedade treze foram nomeados em mais do que uma ocasião: Bob Petit (4 vezes), Kobe Bryant (4), Oscar Robertson (3), Michael Jordan (3), Shaquille Oneal (3), Bob Cousy (2), Julius Erving (2), Magic Johnson (2), Allen Iverson (2), Isiah Thomas (2), Karl Malone (2), LeBron James (2) e Russel Westbrook (2). Os restantes 36 foram nomeados MVP apenas uma vez: Ed. Macauley, Paul Arizin, George Mikan, Bill Sharman, Elgin Baylor, Bill Russel, Wilt Chamberlain, Jerry Lucas, Adrian Smith, Rick Barry, Hal Greer, Willis Reed, Lenny Wilkens, Jerry West, Dave Cowens, Bob Lanier, Walt Frazier, Dave Bing, Randy Smith, David Thompson, George Gervin, Tiny Archibald, Larry Bird, Ralph Sampson, Tom Chambers, Charles Barkley, John Stockton, Scottie Pipen, Mitch Richmond, Glen Rice, Tim Duncan, Kevin Garnett, Dwyane Wade, Kevin Durant, Chris Paul e Kyrie Irving. Em 1959 foram declarados MVP, 2 jogadores em simultâneo (Elgin Baylor/Bob Petit), situação que se repetiu em 1993 (Karl Malone/John Stockton), 2000 (Tim Duncan/Shaquille Oneal) e 2009 (Kobe Bryant/Shaquille Oneal).

Ao longo dos anos, este evento foi ganhando enorme prestígio nos EUA, rivalizando com o “Super Bowl” do futebol americano e, também, a nível internacional passando a ser transmitido, em directo, por inúmeras estações de televisão à escala planetária. Como espectáculo de grande audiência foi sendo melhorado progressivamente com a introdução de concursos e outras competições específicas do basquetebol sob a jurisdição da NBA:

1 - Assim, em 1984, surgiu o concurso de afundanços, “Slam Dunk Contest” que, desde sempre, entusiasma a assistência pela espectacularidade dos saltos dos atletas em conjugação com uma ampla variedade de afundanços. Surgem sempre inovações espantosas que provocam o delírio do próprio júri constituído por antigos jogadores da NBA. Nos 31 concursos efectuados, ao longo destes anos, foram vencedores os seguintes atletas: Nate Robinson (2006, 2009, 2010), Michael Jordan (1987, 1988), Dominique Wilkins (1985, 1990), Harold Miner (1993, 1995), Jason Richardson (2002, 2003), Zach LaVine (2015, 2016), Larry Nance, Spud Webb, Kenny Walker, Dee Brown, Cedric Ceballos, Isiah Rider, Brent Barry, Kobe Bryant, Vince Carter, Desmond Mason, Fred Jones, Josh Smith, Gerald Green, Dwight Howard, Blake Griffin, Jeremy Evans, Terence Ross e John Wall;

2 – Quatro anos depois (1988) apareceu o concurso de lançamentos de 3 pontos, “Three Point Shootout”, que é destinado aos melhores lançadores de longa distância (6,75 m) e que deram provas disso durante a respectiva época desportiva. Na lista dos vencedores aparecem: Craig Hodges (1990, 1991, 1992), Mark Price (1993, 1994), Jeff Hornacek (1998, 2000), Peja Stojakovic (2002, 2003), Jason Kapono (2007, 2008) e ainda Larry Bird, Dale Ellis, Tim Legler, Steve Kerr, Ray Allen, Voshon Lenard, Quentin Richardson, Dirk Nowitzki, Daequan Cook, Paul Pierce, James Jones, Kevin Love, Kyrie Irving, Marco Belinelli, Stephen Curry e Klay Thompson;

3 - Em 1994, foi criado o jogo All Star, para os jogadores novatos, que foi designado como “Rookie Challenge”. Nos dois primeiros jogos (1994 e 1995) formaram-se duas equipas de jogadores novatos (Rookies) com nomes diferenciados e desfechos equilibrados: Phenoms -74 Sensations – 68 e White – 83 Green – 79, tendo sido nomeados (MVP) respectivamente Anfernee Hardaway (Orlando) e Eddie Jones ( LA Lakers). Nos três anos seguintes (1996, 97 e 98) as equipas igualmente constituídas por novatos mas agrupados por conferências (Este e Oeste) obtiveram os seguintes resultados: Este – 94 Oeste – 92 (MVP) Damon Stoudemire (Toronto) ; Este – 96 Oeste – 91 (MVP) Allen Iverson (Sixers) e Este – 85 Oeste – 80 (MVP) Zydrunas Ligauskas (Cleveland). A partir do ano 2000 as equipas em confronto passaram a ser formadas por jogadores novatos (Rookies) num lado e jogadores do segundo ano (Sophomores) no outro, pelo que o jogo começou a ser chamado de “Rising Stars”, atendendo a que já não era destinado exclusivamente a jogadores novatos (rookies). Nos anos de 2012, 2013 e 2014, entenderam misturar rookies e sophomores e integrá-los em duas equipas a que deram as designações de team Chuck e team Shaq, nos dois primeiros anos e no terceiro, team Hill e team Webber por estes ex-jogadores fazerem parte do elenco de comentadores do canal televisivo da NBA. Em 2015, este jogo All Star foi disputado entre duas selecções formadas, uma por jogadores dos EUA e a outra constituída por jogadores estrangeiros, tendo a representação mundial vencido por 121 – 112 a equipa americana, tendo sido nomeado MVP do jogo o canadiano Andrew Wiggins (Minnesota Timberwolves). No encontro das novas estrêlas (Rising Stars) de 2016, desta vez o resultado foi EUA – 157 World – 154, com a escolha de Zach LaVine (Minnesota Timberwolvs) como MVP. Desde o seu início este jogo All Star teve sempre uma grande aceitação pública, na medida em que os intervenientes apresentam os requisitos fundamentais para serem as futuras estrelas da NBA;

4 - Nove anos depois (2003), no sentido de não reduzir estes concursos apenas aos lançamentos, foi introduzido um circuito individual de habilidades motoras e técnicas “Skills Competition” que incluem o drible, o passe e o lançamento. Digamos que foi um concurso dirigido aos jogadores que actuam na posição de Base, pelo que a experiência de Jason Kidd foi fundamental na conquista do primeiro galardão (2003). Daí em diante os vencedores foram quase sempre os organizadores (playmakers) do jogo, exceptuando o último que foi ganho por um Poste (center) tecnicamente muito evoluído. Entretanto, os vencedores deste concurso foram: Baron Davis (2004), Steve Nash (2005, 2010), Dwyane Wade (2006, 2007), Deron Williams (2008), Derrick Rose (2009), Stephen Curry (2011), Tony Parker (2012), Damian Lillard (2013, 2014), Trey Burke (2014), Patrick Beverley (2015) e Karl-Antony Towns (2016);

5 – No ano seguinte (2004) foi criado outro jogo All Star e, desta vez, destinado aos jogadores que fazem parte da Liga de Desenvolvimento da NBA ao qual deram o nome de “NBA Development League All Star Game”. Uma forma de promoverem o trabalho desenvolvido no aperfeiçoamento dos jogadores que actuam nas formações secundárias das equipas da NBA e que aguardam a oportunidade de transitarem para a principal competição. Uma nova montra de exposição mediática de futuros talentos do basquetebol profissional que, também, tem sido aproveitada pelas equipas estrangeiras para se apetrecharem tendo em vista as competições nacionais e continentais;

6 – Também, em 2004, foi implementado um novo concurso de lançamentos de diferentes locais no campo para equipas de 3 elementos, constituídas por um veterano de referência, um jogador no activo e uma jogadora da WNBA, que foi batizado como “Shooting Stars”. As equipas vencedoras deste concurso foram as seguintes: (2004) Magic Johnson (Lakers), Derek Fisher (Lakers) e Lisa Leslie (LA Sparks); (2005) Dan Majerle (Phoenix), Shawn Marion (Phoenix) e Diana Taurasi (Phoenix Mercury); (2006) Steve Kerr (San Antonio), Tony Parker (San Antonio) e Kendra Wecker (San Antonio Silver Stars); (2007) Bill Lambeer (Detroit), Chauncey Billups (Detroit) e Swin Cash (Detroit Shock); (2008) David Robinson (San Antonio), Tim Duncan (San Antonio) e Becky Hammon (San Antonio Silver Stars); (2009) Bill Lambeer (Detroit), Arron Affalo (Detroit) e Katie Smith (Detroit Shock); (2010) Kenny Smith (Houston), Dirk Nowitzki (Dallas) e Becky Hammon (San Antonio Silver Stars); (2011) Steve Smith (Houston), Al Horford (Atlanta) e Coco Miller (Atlanta Dream); (2012) Allan Houston (NY Knicks), Landry Fields (NY Knicks) e Cappie Pondexter (NY Liberty); (2013)(2014)(2015) Dominique Wilkins (Atlanta), Chris Bosh (Miami) e Swin Cash (Chicago Sky e NY Liberty). Em 2016 este concurso foi retirado do programa do evento, que se realizava durante o fim de semana do All Star Game, por não estar a despertar muito interesse junto dos adeptos da modalidade.

A festa anual do “NBA All Star Game” adornada com diversos concursos técnicos e de jogos de exibição das futuras estrêlas, ainda em fase de aperfeiçoamento, tornou-se num espectáculo de Basquetebol muito apreciado em todo o mundo desportivo.

Eduardo Monteiro é ex-treinador do SL Benfica e das Seleções Nacionais
Ler Mais
Comentários (0)

Destaques

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais