Pinto da Costa num tempo adverso (artigo de Manuel Sérgio, 137)

Ética no Desporto 19-04-2016 19:42
Por Manuel Sérgio
A desigualdade entre os homens e as instituições constitui uma das mais revoltantes realidades da vida: uns têm tudo; outros não têm nada; uns nascem com maravilhosos dotes intelectuais e de vontade, outros surgem neste mundo patetas e abúlicos, a precisar de apoio desinteressado uma vida inteira. Por isso, são gritantes também as desigualdades entre os clubes de futebol: uns parecem nadar em dinheiro; outros nem tanto e outros ainda padecem dificuldades de toda a ordem. Num claro compromisso do jornalismo com o bem comum, sabemos (desta feita pelos Panama Papers) que o dinheiro não falta.

Só o que está escondido, em contas offshore, nos inúmeros paraísos fiscais, acabava com a pobreza que grassa pelo mundo. Todos nós, os que não temos contas em offshores e, sobre o mais, somos perseguidos e crucificados pelo fisco, deveremos exigir um rastreio rigoroso aos dinheiros que saem dos diversos países. Porque (repito-me) dinheiro há mas, por práticas anti-sociais e anti-éticas e beneficiando de uma descarada impunidade, ele está nas mãos de poucos que dele fazem o que (caprichosamente) bem entendem. E assim as desigualdades acentuam-se e os problemas, daí advenientes, são mais éticos e políticos do que económicos e financeiros.

Também no futebol de altíssima competição há clubes pobres e remediados e ricos. Os nossos Benfica e Sporting e Porto estão entre os remediados. O que o Benfica alcançou, na Liga dos Campeões, de 2016, é normalmente o máximo a que pode chegar, hoje, um dos “três grandes” de Portugal. Real Madrid, Atlético de Madrid, Bayern de Munique, Manchester City e Barcelona (e fico-me por aqui) têm jogadores incomportáveis às “posses” dos nossos maiores clubes. E, assim como uma boa orquestra necessita de bons executantes, também uma equipa de excelência precisa de jogadores que possam concretizá-la.

André Pipa, no jornal A Bola (2016/4/11) escreveu: “Cláudio Ranieri chorou no final do jogo em Sunderland e vai chorar muito mais, quando o Leicester consumar aquela que ficará como uma das maiores proezas da história do furebol inglês: ganhar a Premier com uma equipa de tostões, em compita com alguns dos clubes mais ricos do Mundo. Faltam três vitórias para o minorca Leicester se sagrar campeão de Inglaterra, 38 anos depois de o mago Brin Clough conduzir o pequeno Nottingham Forest ao título inglês (1978) e a uma extraordinária dupla vitória na Taça dos Campeões Europeus (1979 e 1980). O paralelo é evidente. O Leicester é o herdeiro do epifenómeno Forest”. A conquista da Liga dos Campeões, por um dos “três grandes” portugueses, em 2016 e nos anos mais próximos, não me parece provável... embora seja possível, evidentemente. Nem outra coisa o tempo consente.

Aos 78 anos de idade, Jorge Nuno Pinto da Costa parte, de alma em festa, para o 14º. mandato na presidência do F.C.Porto. Conciliábulos discretos afirmam convictos que o crepúsculo se adensou, no Dragão, precisamente porque a idade já não permite ao presidente a liderança de êxitos, como os que sonhou e realizou em anos findos. Para o Hegel, a ave de Minerva (a ave da sabedoria) só levanta voo ao entardecer. Ora, Jorge Nuno Pinto da Costa vive o seu entardecer e, depois de tantos êxitos, sabedoria não lhe falta para (e sirvo-me de uma expressão de José Eduardo Franco) a “constru(cria)ção” de um novo F.C.Porto. De certo, já concluiu que as vitórias do passado são inseparáveis de uma “circunstância” que não volta mais. O que se lhe pede, portanto? Inovação e criatividade. Importa criar entusiasmos e motivações para agir, potenciar energias e conjugar esforços em torno de uma tarefa comum, mas que a preservação de valores fundamentais não signifique moleza, repetição, acomodação, enroupadas em considerações de prudência, diante de qualquer posição de vanguarda.

Um outro risco, que não é o menor de todos, bem típico dos latinos, reside no voluntarismo, na arbitrariedade, no amiguismo dos detentores do poder. Na Sociedade do Conhecimento, que é a nossa, a bondade de uma decisão resulta da sua “adequação ao real” e portanto deverá fundamentar-se nas propostas de verdadeiros ”trabalhadores do conhecimento”. O que é o conhecimento? É a informação que resulta na prática, por outras palavras: que a prática iniludivelmente confirma. Quando dialogo com algum treinador de futebol, começo logo por acentuar, o que venho repetindo, ao longo dos anos: “Eu sou, única e simplesmente, um estudioso de filosofia e de epistemologia. De futebol, não sei, embora tenha já realizado com alguns treinadores de futebol um trabalho interdisciplinar. Mas, na interdisciplinaridade, há o encontro entre duas áreas do conhecimento e o futebol não é a área em que tento especializar-me”.

É verdade que “toda a teoria, seja macro ou micro, situa-se aquém e além dos limites de uma disciplina. O ensino que não reconhece esse caráter processual tende a transformar os conhecimentos científicos em doutrinários” (AA. VV., coordenação de Carlos Pimenta, Interdisciplinaridade, Humanismo, Universidade, Campo das Letras, Porto, 2, 004, p. 19). Por isso Karl Popper advertia que deveria estudar-se problemas e não tão.só disciplinas, dado que, no estudo das disciplinas, nem sempre se tem em conta a necessária interdisciplinaridade. A medicina é mais do que medicina, o direito é mais do que direito, a física é mais do que física e... o desporto é mais do que desporto. E é por ser mais do que desporto que a interdisciplinaridade se torna indispensável, na teorização e na prática do desporto. Com deficiência de informação, não é possível governar um clube como o que Pinto da Costa e Pedroto, há 34 anos, idealizaram e criaram. Com muito amor, mas também com uma admirável sabedoria!

Sendo embora um lisboeta, mereci a confiança e a estima de José Maria Pedroto e de Jorge Nuno Pinto da Costa.e pude acompanhar, como simples espectador, o renascimento do Futebol Clube do Porto, por estes dois homens inicialmente liderada e, pelo passamento de Pedroto em 1985, por Pinto da Costa concretizada. Pedroto, se ainda vivo fosse, seria hoje um dos maiores treinadores de futebol do mundo. Quando de mim se aproximou, em 1979 e durante mais cinco anos, questionou-me com temas que no INEF, em Lisboa, se começavam a estudar como novidade absoluta: “Por que diz que o desporto é uma ciência humana?”. E esta questão que o trazia inquieto: “E por que diz que é bem possível que o treino esteja errado?”. E, delicado, a meia voz, perguntava: “E quem foi Descartes e qual o erro deste filósofo de que o Manuel Sérgio fala?”. Pedroto era um homem que sabia que não sabia, ou seja: era um sábio. Doutor sem capelo e sem anel, preparava-se para um magistério inapagável, no futebol (e quiçá no desporto) português, quando a morte o levou. Com 83 anos de idade, é meu dever de consciência realçar a competência e a curiosidade de José Maria Pedroto e a sua fidelidade ao atual presidente do Futebol Clube do Porto: “Sem o Jorge Nuno, nunca estaria no F,C,Porto. Ele é o presidente de que o Porto precisava”.

E concluía: “E vai precisar ainda durante muitos anos”. Mesmo num tempo adverso, de novos e inesperados paradigmas e em que o Benfica, tendo ao leme também um presidente, como outro não teve ao longo da sua história, tomou o caminho de muitos êxitos e de vitórias inesquecíveis. Mas eu só queria dizer, neste meu artigo, que o breve clima de derrotismo e de negação que se instalara, no Dragão, morreu, no passado domingo. E que um dia de Jorge Nuno se dirá o que eu venho dizendo de José Maria Pedroto: era um homem que sabia que não sabia...

Manuel Sérgio é professor catedrático da Faculdade de Motricidade Humana e Provedor para a Ética no Desporto
Ler Mais
17:01  -  13-04-2016
O Desporto como Ciência e como Filosofia (artigo de Manuel Sérgio, 136)
19:28  -  07-04-2016
Mário Moniz Pereira - o poeta do desporto! (artigo de Manuel Sérgio, 135)
15:33  -  01-04-2016
O Desporto: uma indústria de milhões! (artigo de Manuel Sérgio, 134)
16:04  -  29-03-2016
É preciso passar da religião à fé (artigo de Manuel Sérgio, 133)
17:09  -  15-03-2016
Os 35 anos do `JL´ (artigo de Manuel Sérgio, 131)
17:30  -  10-03-2016
Carta Aberta ao Rui Vitória (artigo de Manuel Sérgio, 130)
18:14  -  07-03-2016
Carta Aberta ao Lindelof (artigo de Manuel Sérgio, 129)
22:25  -  27-02-2016
Ilya Prigogine ou as potencialidades da matéria (artigo de Manuel Sérgio, 128)
21:01  -  21-02-2016
Alguns ligeiros pensamentos sobre o futebol (artigo de Manuel Sérgio, 127)
23:18  -  14-02-2016
Benfica–Porto: não há rendimento sem eficácia (artigo de Manuel Sérgio, 126)
17:01  -  08-02-2016
Gaston Bachelard: o novo espírito científico (artigo de Manuel Sérgio, 125)
17:00  -  01-02-2016
O especialista e o leigo, em futebol (artigo de Manuel Sérgio, 124)
23:27  -  25-01-2016
Desporto e Humanismo Contemporâneo (artigo de Manuel Sérgio, 123)
20:01  -  04-01-2016
O Mito e a Alta Competição Desportiva (artigo de Manuel Sérgio, 120)
20:42  -  28-12-2015
A propósito de Paulo Freire e Blondel e Sartre (artigo de Manuel Sérgio, 119)
16:32  -  20-12-2015
Quando uma criança nasce… (artigo de Manuel Sérgio, 118)
16:53  -  16-12-2015
Fernando Medina ou o processo da decisão política (artigo de Manuel Sérgio, 117)
16:59  -  09-12-2015
Há uma comunidade científica no desporto português? (artigo de Manuel Sérgio, 116)
16:44  -  29-11-2015
Sem poesia, não há ciência (artigo de Manuel Sérgio, 115)
16:46  -  23-11-2015
A crise da esperança (artigo de Manuel Sérgio, 114)
16:39  -  15-11-2015
Lutaremos, meu Amor (artigo de Manuel Sérgio, 113)
23:44  -  08-11-2015
Jogar com os afetos (artigo de Manuel Sérgio, 112)
19:27  -  02-11-2015
Luís Filipe Vieira: ou um Benfica que enternece e cativa (artigo de Manuel Sérgio, 111)
16:24  -  26-10-2015
O último Benfica-Sporting e o novo campeão nacional (artigo de Manuel Sérgio, 110)
17:14  -  20-10-2015
A coisa mais importante das coisas pouco importantes (artigo de Manuel Sérgio, 109)
15:42  -  13-10-2015
Desporto e Humanismo ou o valor da transcendência (artigo de Manuel Sérgio, 108)
16:25  -  06-10-2015
Os treinadores portugueses no futebol internacional (artigo de Manuel Sérgio, 107)
23:13  -  29-09-2015
João Paulo S. Medina: - o “intelectual” do futebol brasileiro (artigo de Manuel Sérgio, 106)
00:04  -  23-09-2015
O último Porto-Benfica ou da biologia à cultura (artigo de Manuel Sérgio, 105)
18:11  -  15-09-2015
“Quem somos nós?” - a resposta do Desporto (artigo de Manuel Sérgio, 104)
18:20  -  08-09-2015
Joel Rocha – o “Mourinho” do futsal (artigo de Manuel Sérgio, 103)
18:35  -  02-09-2015
A História de Sísifo (artigo de Manuel Sérgio, 102)
17:34  -  28-08-2015
O mais relevante nem sempre é o mais mensurável (artigo de Manuel Sérgio, 101)
17:55  -  14-08-2015
Jorge Jesus: - o sublime iletrado! (artigo de Manuel Sérgio, 99)
18:54  -  07-08-2015
O que em mim sente está pensando (artigo de Manuel Sérgio, 98)
16:55  -  31-07-2015
A Cultura do Clube (artigo de Manuel Sérgio, 97)
21:45  -  21-07-2015
Do Jogo ao Desporto em Bourdieu e... não só (artigo de Manuel Sérgio, 96)
23:57  -  16-07-2015
Carta a Eugénio Lisboa (artigo de Manuel Sérgio, 95)
00:32  -  10-07-2015
António Simões: - o irmão branco do Eusébio (artigo de Manuel Sérgio, 94)
17:31  -  04-07-2015
Jorge Jesus ou a homeostasia organizacional (artigo de Manuel Sérgio, 93)
23:50  -  15-06-2015
No Benfica: estrutura ou carisma? (artigo de Manuel Sérgio, 90)
22:37  -  10-06-2015
Feyerabend e Ricardo Serrado no estudo de Lionel Messi (artigo de Manuel Sérgio, 89)
22:50  -  26-05-2015
Mais importante do que ter sucesso é ter valor! (artigo de Manuel Sérgio, 86)
00:30  -  23-05-2015
José Mourinho ou as razões da sua diferença (artigo de Manuel Sérgio, 85)
16:42  -  18-05-2015
É preciso, imperioso e urgente a continuação de J.J., no Benfica (artigo de Manuel Sérgio, 84)
18:16  -  10-05-2015
Roberto Carneiro: retrato de um ministro que eu conheci (artigo de Manuel Sérgio, 83)
16:30  -  01-05-2015
O empréstimo de jogadores é compatível com a ética? (artigo de Manuel Sérgio, 82)
16:54  -  20-04-2015
José Mourinho: por que será?... (artigo de Manuel Sérgio, 81)
17:17  -  14-04-2015
O Progresso Desportivo: - o que é isso? (artigo de Manuel Sérgio, 80)
19:15  -  07-04-2015
Mourinho escreve prefácio de livro de Manuel Sérgio, «O Futebol e Eu»
23:31  -  06-04-2015
O jornal “ A Bola” - desporto e humanismo (artigo de Manuel Sérgio, 79)
22:47  -  01-04-2015
Jorge Carlos Fonseca: o Presidente da República que é poeta (artigo de Manuel Sérgio, 78)
21:47  -  25-03-2015
Qual o fundamento radical na arbitragem? (artigo de Manuel Sérgio, 77)
16:34  -  21-03-2015
A Gestão do Desporto, segundo Gustavo Pires (artigo de Manuel Sérgio, 76)
16:40  -  13-03-2015
O Futebol é Anamnese... mesmo com Luís Figo? (artigo de Manuel Sérgio, 75)
17:47  -  07-03-2015
Ao Povo-Irmão de Cabo Verde (artigo de Manuel Sérgio, 74)
21:14  -  19-02-2015
“Cândido de Oliveira” - um livro inesquecível de Homero Serpa (artigo de Manuel Sérgio, 73)
21:10  -  12-02-2015
Só com os mesmos valores o diálogo é possível (artigo de Manuel Sérgio, 72)
17:04  -  08-02-2015
O modelo racionalista do jornal A Bola (artigo de Manuel Sérgio, 71)
16:32  -  01-02-2015
“A Bola”: uma práxis que é preciso manter (artigo de Manuel Sérgio, 70)
19:14  -  28-01-2015
Manuel Alegre: - um semeador de poesia (artigo de Manuel Sérgio, 69)
18:29  -  22-01-2015
Libertar o Direito e o Desporto ou um ensaio do Prof. Paulo Cunha (artigo de Manuel Sérgio, 68)
16:24  -  18-01-2015
A desparasitação do futebol ou a dupla Pinto da Costa-Pedroto (artigo de Manuel Sérgio, 67)
18:18  -  15-01-2015
O Desporto tem violência: - não é violento! (artigo de Manuel Sérgio, artigo 66)
17:57  -  10-01-2015
A “Arte da Guerra” no treinador Rui Vitória (artigo de Manuel Sérgio, 65)
00:17  -  07-01-2015
José Maria Pedroto: o conhecimento... (artigo de Manuel Sérgio, 64)
23:31  -  31-12-2014
Feliz Ano Novo ao Desporto Português (artigo de Manuel Sérgio, 63)
17:32  -  24-12-2014
A grande revolução de Jesus na Vida e... no Desporto! (artigo de Manuel Sérgio, 62)
17:53  -  20-12-2014
História e Filosofia das Ciências, no Desporto e... no Benfica! (artigo de Manuel Sérgio, 61)
22:56  -  17-12-2014
Uma resposta breve a Miguel Cardoso Pereira (artigo de Manuel Sérgio, 60)
18:57  -  11-12-2014
Desporto e Desenvolvimento ou um livro de Gustavo Pires (artigo de Manuel Sérgio, 59)
18:36  -  04-12-2014
Nossos contemporâneos (artigo de Manuel Sérgio, 58)
18:19  -  27-11-2014
Da Desconfiança à Solidariedade em Pinto da Costa e Filipe Vieira (artigo de Manuel Sérgio, 57)
23:19  -  20-11-2014
As incertezas da ciência (artigo de Manuel Sérgio, 56)
16:18  -  16-11-2014
O engenheiro Fernando Santos: - o mesmo e o diferente (artigo de Manuel Sérgio, 55)
18:39  -  11-11-2014
Ou interdisciplinaridade ou ignorância (artigo de Manuel Sérgio, 54)
10:25  -  08-11-2014
Carta Aberta ao Presidente da República de Cabo Verde (artigo de Manuel Sérgio, 53)
17:43  -  30-10-2014
Rui Jorge: e o treinador do Futuro (artigo de Manuel Sérgio, 52)
15:56  -  23-10-2014
O engenheiro Fernando Santos: o ser e o tempo (artigo de Manuel Sérgio, 51)
19:34  -  16-10-2014
O preparo físico dos nossos jogadores de futebol, 2.ª parte (artigo de Manuel Sérgio, 50)
17:38  -  11-10-2014
O preparo físico dos nossos jogadores de futebol (1) (artigo de Manuel Sérgio, 49)
22:14  -  03-10-2014
Eduardo Monteiro: perfil de um dirigente! (artigo de Manuel Sérgio, 48)
17:55  -  28-09-2014
A propósito do engenheiro Fernando Santos (artigo de Manuel Sérgio, 47)
16:47  -  22-09-2014
O campeão observado a dois ângulos de visão (artigo de Manuel Sérgio, 46)
00:24  -  18-09-2014
Há falta de treinadores negros (artigo de Manuel Sérgio, 45)
01:06  -  13-09-2014
Valdano: um homem que transporta uma frustração (artigo de Manuel Sérgio, 44)
18:39  -  08-09-2014
A grande revolução a fazer no futebol (artigo de Manuel Sérgio, 43)
18:36  -  03-09-2014
Mais Platão, menos Prozac! (Artigo de Manuel Sérgio, 42)
14:57  -  28-08-2014
Fiel ao Belenenses e... aos amigos! (artigo de Manuel Sérgio, 41)
18:38  -  17-08-2014
O Deus dos filósofos e os deuses do futebol (artigo de Manuel Sérgio, 40)
18:34  -  10-08-2014
O olho das rãs e o futebol (artigo de Manuel Sérgio, 39)
21:47  -  04-08-2014
“Francisco de Assis e Franscisco de Roma” - mais um livro de Leonardo Boff (artigo Manuel Sérgio, 38)
16:52  -  26-07-2014
“Preparar para Ganhar”: um livro de José Neto (artigo Manuel Sérgio, 37)
22:24  -  15-07-2014
O Futebol na Sociedade Pós-Capitalista ou a vitória da Alemanha (artigo Manuel Sérgio, 36)
00:43  -  07-07-2014
Código de Ética Desportiva (artigo Manuel Sérgio, 35)
16:35  -  02-07-2014
A Literatura e o Desporto: a propósito de Sophia (artigo Manuel Sérgio, 34)
20:53  -  27-06-2014
O Futebol e os Escritores (artigo Manuel Sérgio, 33)
22:45  -  22-06-2014
As dúvidas do Doutor Eduardo Barroso: as dele e as minhas! (artigo Manuel Sérgio, 32)
16:17  -  08-06-2014
Carta Aberta ao Ministro do Desporto do Brasil (artigo Manuel Sérgio, 31)
18:08  -  01-06-2014
Da poesia ao futebol (artigo Manuel Sérgio, 30)
18:57  -  27-05-2014
Factos e valores (artigo Manuel Sérgio, 29)
18:50  -  19-05-2014
Parabéns ao Benfica: na vitória e na derrota (artigo Manuel Sérgio, 28)
16:35  -  12-05-2014
Marco Silva: um grande treinador, com toda a certeza! (artigo Manuel Sérgio, 27)
21:07  -  01-05-2014
A grande revolução de Jesus ou o mundo que o desporto não tem (artigo Manuel Sérgio, 26)
00:52  -  24-04-2014
O 25 de Abril e o Futebol Português (artigo Manuel Sérgio, 25)
18:33  -  11-04-2014
Os mitos fundadores da Modernidade (artigo Manuel Sérgio 24)
23:56  -  06-04-2014
Os cem anos da FPF: em Portugal também há progresso? (artigo Manuel Sérgio 23)
20:01  -  30-03-2014
Nova Teoria do Sebastiano e o Futebol Português (artigo Manuel Sérgio 22)
23:11  -  23-03-2014
José Medeiros Ferreira: o desportisra, o político, o intelectual (artigo Manuel Sérgio 21)
17:26  -  18-03-2014
Nossos contemporâneos (artigo Manuel Sérgio 20)
21:39  -  03-03-2014
Há necessidade de uma utopia (artigo Manuel Sérgio 19)
00:49  -  22-02-2014
“Filosofia e Futebol: troca de passes” - um livro de grande atualidade ( artigo Manuel Sérgio 18)
22:28  -  16-02-2014
A Inteligência Competitiva e o Espectáculo Desportivo (artigo Manuel Sérgio 17)
18:50  -  12-02-2014
Plano Nacional de Ética no Desporto (artigo Manuel Sérgio 16)
21:08  -  02-02-2014
Porque sou belenenses... (artigo Manuel Sérgio 15)
00:04  -  28-01-2014
Aurélio Pereira ou um projeto antropológico (artigo Manuel Sérgio 14)
00:19  -  23-01-2014
O nome da rosa (artigo Manuel Sérgio 13)
00:11  -  15-01-2014
Cristiano Ronaldo: agilidade física ou intelectual? (artigo Manuel Sérgio 12)
00:38  -  13-01-2014
Eusébio tem lugar indiscutível no panteão nacional (artigo Manuel Sérgio 11)
23:59  -  03-01-2014
Ciência no Futebol e outras coisas mais... (artigo Manuel Sérgio 10)
00:04  -  30-12-2013
O Desporto nem sempre educa... (artigo de Manuel Sérgio 9)
00:37  -  23-12-2013
Carta Aberta aos jogadores do Bom Senso F.C. (artigo de Manuel Sérgio 8)
00:14  -  10-12-2013
Os golos do Ronaldo e a ética da palavra (artigo de Manuel Sérgio 7)
22:14  -  03-12-2013
Cristiano Ronaldo: - um herói da cultura! (artigo de Manuel Sérgio 6)
21:39  -  20-11-2013
Os erros dos árbitros e os erros dos outros... (artigo de Manuel Sérgio 5)
11:56  -  28-10-2013
«O Desporto (o Futebol) não é violência» (artigo de Manuel Sérgio 4)
22:58  -  18-10-2013
«O Desporto e o Desafio do Sentido» (artigo de Manuel Sérgio 3)
22:45  -  06-10-2013
«O pensamento ético contemporâneo e o Desporto» (artigo de Manuel Sérgio 2)
18:40  -  27-09-2013
«O Desporto em que eu acredito» (artigo de Manuel Sérgio 1)
Comentários (0)

Últimas Notícias

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais