O Desporto: uma indústria de milhões! (artigo de Manuel Sérgio, 134)

Ética no Desporto 01-04-2016 15:33
Por Manuel Sérgio
Já atingi aquele ponto do meu itinerário vital, onde se começa a descida da encosta que nos leva a uma ignota viagem donde se não volta mais. Estou portanto no outono (ou inverno) da minha vida, quando a saudade punge pelos anos já percorridos, mormente aqueles em que algumas qualidades humanas em nós resplendiam com mais viva intensidade.

O Fernando Vinhais Guedes, licenciado em Educação Física e Desporto e meu antigo aluno, no INEF, é um dos amigos que me não esquece e, sempre que desce de Chaves, onde reside, até ao concelho de Almada, em visita dos filhos: um, médico no Hospital de Garcia da Horta; a filha, que se doutorou há pouco em biomedicina, a trabalhar no Hospital de Santa Maria – sempre que desce de Chaves, onde reside, até ao concelho de Almada, reserva sempre uma tarde para uma conversa com o seu velho amigo, que sou eu. E deste modo nos debruçamos os dois sobre os anos já vividos e as lições que neles colhemos e ainda sobre um ou outro facto, com atualidade e interesse. Entre 1981 e 1985, o Dr. Fernando Vinhais Guedes foi o responsável pela Repartição de Juventude e Desportos de Macau, onde fez obra que, ainda hoje, os macaenses lembram com saudade. Daí, os convites que vem recebendo, ano após ano, de Macau, para cursos e palestras, naquela região autónoma da China. No passado dia 2016/3/22, no auditório do C&C – Advogados de Macau, de que é administrador e diretor o Dr. Rui Cunha, um jurista de mentalidade forte e original, o meu amigo Vinhais Guedes dissertou, em conferência pública, sobre o tema Desporto – uma indústria de milhões. Firmando-se, em informação fidedigna, começou assim o orador: “Os números que vou apresentar baseiam-se em notícias publicadas na revista Forbes e na Sport Business e noutras publicações de grande relevo internacional. Mas as minhas análises dão preferência aos Jogos Olímpicos, ao Campeonato do Mundo do Futebol de Onze a ao Grande Prémio Automóvel da Fórmula 1”.
Na sua comunicação, colhi alguns números verdadeiramente impressionantes: 24 milhões de dólares americanos é o montante que a NBA vai receber por direitos televisivos, entre 2016 e 2025; 140 milhões de dólares americanos ganhou, no seu último combate, o pugilista Floyd Maywater, em defesa do título mundial; 85 milhões de euros recebeu Cristiano Ronaldo, na época passada, em vencimentos e direitos de imagem; 60 milhões de euros amealhou Lewis Hamilton, na Fórmila 1, em ordenados e prémios; 2336 mil milhões de libras gastou o Manchester City, na época de 2014/2015; 944 milhões de euros é o montante a pagar pela Adidas ao Manchester United, para que os jogadores deste Clube vistam a camisola da Adidas, nos próximos dez anos; 60 milhões de euros recebeu Tiger Woods, em 2013; o empresário português Jorge Mendes, na época passada, faturou 40 milhões de euros, em comissões de compra e venda de jogadores; neste mesmo periodo, o empresário norte-americano Scott Boras faturou 200 milhões de dólares americanos, com transferências na NFA (futebol americano). É verdade que a cançonetista Kate Perry recebeu, pelas suas atuações, em 2015, 135 milhões de dólares americamos, mas o dinheiro abundante, que percorre e sustenta a prática desportiva de altíssimo nível, deixa-me em manifesta impotência verbal, diante das somas astronómicas que diante de mim se perfilam. Nos Jogos Olímpicos de 1984, em Los Angeles (disse Vunhais Guedes, em Macau) o norte-americano Peter Ueberroth (que seria eleito, depois dos Jogos, presidente do Comité Olímpico do seu País) conseguiu 258 milhões de dólares americanos, com receitas de direitos televisivos. Aí se iniciou uma era nova, em que o dinheiro não escasseia, nem nos Jogos Olímpicos, nem no COI. E assim se os Jogos Olímpicos de 1984 renderam, como já vimos atrás, 258 milhões de dólares americanos, em direitos televisivos, os de 2012, em Londres, atingiram os 3 mil milhões de dólares americanos e os de 2016 estima-se que chegarão aos quase 4 mil milhões de dólares americanos.

No Mundial de Futebol de 2014, os investimentos totais chegaram aos 9 mil milhões de euros. No Mundial de Fórmula 1, são estes os orçamentos das equipas participantes: Red Bull – 468 milhões de euros; Mercedes – 467 milhões de euros; Mac Laren-Onda – 463 milhões de euros; Ferrari – 418 milhões de euros; Williams – 188 milhões de euros. Na NBA, as principais equipaa valem impressionantes verbas; Los Angeles Lakers – 2,6 mil milhões de dólares; o New York-Knicks – 2,5 nil milhões de dólares; o Chicago Bulls – 2 mil milhões de dólares. Na luz quieta da minha casa, onde leio a conferência do Dr. Vinhais Guedes, muitos mais números poderia citar extraídos do estudo realizado por este meu amigo. Para não me tornar cansativo, dado que estou a escrever um simples artigo de jornal, procuro joeirar pela crítica os números apresentados. Porque considero indispensável a leitura do JL – Jornal de Letras, Artes e Ideias e sou um admirador da prosa erudita, que saboreio sempre com devotado interesse, do Prof. Guilherme d`Oliveira Martins, demorei-me no artigo deste escritor, no JL (30 de Março a 12 de Abril de 2016). Distingo no artigo o trecho seguinte: “A crise financeira de 2008, a mais difícil de superar desde a II Guerra Mundial, põe a tónica da dificuldade que as democracias têm sentido, para responder às condições novas da globalização e do sistema de polaridades difusas que caracterizam a sociedade internacional, depois de 1989. Acresce qua as desigualdades se agravaram e a participação democrática conhece condições muito heterogéneas de concretização. Os números da globalização preocupam-nos: 1% dos mais ricos tem 50,1% da riqueza mundial; mais de mil milhões de pessoas têm de viver com menos de 1,14 euros por dia; 35 mil pessoas, das quais 16 mil crianças, morrem de fome em cada dia que passa”. E estas 35 mil pessoas morrem por falta de alimentos e por ausência de educação. Que sabem as pessoas de um desporto, menos entendido como Atividade Física do que como movimento intencional em direção a um mundo mais justo e mais fraterno e por isso mais saudável?

De forma provocatoriamente interpelante, ouso perguntar: há, no desporto, uma dimensão filosófica do pensar, ou seja, uma inquirição das causas das desigualdades gritantes que se encontram na sociedade e portanto no desporto também? A mercantilização do mundo, os grandes interesses que determinam o mercado planetário vão acentuar, cada vez mais, as diferenças entre os clubes ricos e os clubes pobres, o que dificilmente permitirá ao Benfica, ao Porto, ou ao Sporting a conquista da Liga dos Campeões. E uma ética coletiva ou uma ética do futuro (recorrendo a expressões de Hans Jonas) não pode esperar-se do neoliberalismo triunfante que pretende pôr a política ao serviço da ganância e de um individualismo feroz. Vou repetir-me: o espetáculo desportivo reproduz e multiplica as taras do capitalismo triunfante. É que dinheiro não falta, Só que a minoria que o tem não o põe ao serviço do futebol, ns aua totalidade, mas ao serviço dos seus interesses. Os próprios jogadores deixaram de ter referências de dirigentes, treinadores e colegas, que os ensinavam a ter e assumir valores, dentro e fora do futebol. Relataram os jornais que, em Barcelona, Neymar, indiscutivelmente um “craque”, assistiu às cerimónias fúnebres em memória de Cruyff, com óculos escuros, gorro na cabeça e o ar enfastiado do indiferente. “Ele é um fenómeno, como futebolista, mas carente de normas de educação; ele pensa que, por ser quem é, paira acima dos outros mortais” escreveu-se no jornal Sportyou, num artigo intitulado “Neymar sem respeito”. O que esperar de um rapaz, endinheirado e de face menineira, hiperbolicamente elogiado por tudo e por nada, impante de orgulho e sem o espírito crítico e a formação moral, necessários, que o levem a distinguir o Bem do Mal? Não há jogos, há pessoas que jogam, ou seja, os jogos são o que as pessoas são. Os jogos preparam-se, preparando as pessoas também. É que o dinheiro não basta, quando não se tem o sentido da vida.

Manuel Sérgio é professor catedrático da Faculdade de Motricidade Humana e Provedor para a Ética no Desporto
Ler Mais
16:04  -  29-03-2016
É preciso passar da religião à fé (artigo de Manuel Sérgio, 133)
17:09  -  15-03-2016
Os 35 anos do `JL´ (artigo de Manuel Sérgio, 131)
17:30  -  10-03-2016
Carta Aberta ao Rui Vitória (artigo de Manuel Sérgio, 130)
18:14  -  07-03-2016
Carta Aberta ao Lindelof (artigo de Manuel Sérgio, 129)
22:25  -  27-02-2016
Ilya Prigogine ou as potencialidades da matéria (artigo de Manuel Sérgio, 128)
21:01  -  21-02-2016
Alguns ligeiros pensamentos sobre o futebol (artigo de Manuel Sérgio, 127)
23:18  -  14-02-2016
Benfica–Porto: não há rendimento sem eficácia (artigo de Manuel Sérgio, 126)
17:01  -  08-02-2016
Gaston Bachelard: o novo espírito científico (artigo de Manuel Sérgio, 125)
17:00  -  01-02-2016
O especialista e o leigo, em futebol (artigo de Manuel Sérgio, 124)
23:27  -  25-01-2016
Desporto e Humanismo Contemporâneo (artigo de Manuel Sérgio, 123)
20:01  -  04-01-2016
O Mito e a Alta Competição Desportiva (artigo de Manuel Sérgio, 120)
20:42  -  28-12-2015
A propósito de Paulo Freire e Blondel e Sartre (artigo de Manuel Sérgio, 119)
16:32  -  20-12-2015
Quando uma criança nasce… (artigo de Manuel Sérgio, 118)
16:53  -  16-12-2015
Fernando Medina ou o processo da decisão política (artigo de Manuel Sérgio, 117)
16:59  -  09-12-2015
Há uma comunidade científica no desporto português? (artigo de Manuel Sérgio, 116)
16:44  -  29-11-2015
Sem poesia, não há ciência (artigo de Manuel Sérgio, 115)
16:46  -  23-11-2015
A crise da esperança (artigo de Manuel Sérgio, 114)
16:39  -  15-11-2015
Lutaremos, meu Amor (artigo de Manuel Sérgio, 113)
23:44  -  08-11-2015
Jogar com os afetos (artigo de Manuel Sérgio, 112)
19:27  -  02-11-2015
Luís Filipe Vieira: ou um Benfica que enternece e cativa (artigo de Manuel Sérgio, 111)
16:24  -  26-10-2015
O último Benfica-Sporting e o novo campeão nacional (artigo de Manuel Sérgio, 110)
17:14  -  20-10-2015
A coisa mais importante das coisas pouco importantes (artigo de Manuel Sérgio, 109)
15:42  -  13-10-2015
Desporto e Humanismo ou o valor da transcendência (artigo de Manuel Sérgio, 108)
16:25  -  06-10-2015
Os treinadores portugueses no futebol internacional (artigo de Manuel Sérgio, 107)
23:13  -  29-09-2015
João Paulo S. Medina: - o “intelectual” do futebol brasileiro (artigo de Manuel Sérgio, 106)
00:04  -  23-09-2015
O último Porto-Benfica ou da biologia à cultura (artigo de Manuel Sérgio, 105)
18:11  -  15-09-2015
“Quem somos nós?” - a resposta do Desporto (artigo de Manuel Sérgio, 104)
18:20  -  08-09-2015
Joel Rocha – o “Mourinho” do futsal (artigo de Manuel Sérgio, 103)
18:35  -  02-09-2015
A História de Sísifo (artigo de Manuel Sérgio, 102)
17:34  -  28-08-2015
O mais relevante nem sempre é o mais mensurável (artigo de Manuel Sérgio, 101)
17:55  -  14-08-2015
Jorge Jesus: - o sublime iletrado! (artigo de Manuel Sérgio, 99)
18:54  -  07-08-2015
O que em mim sente está pensando (artigo de Manuel Sérgio, 98)
16:55  -  31-07-2015
A Cultura do Clube (artigo de Manuel Sérgio, 97)
21:45  -  21-07-2015
Do Jogo ao Desporto em Bourdieu e... não só (artigo de Manuel Sérgio, 96)
23:57  -  16-07-2015
Carta a Eugénio Lisboa (artigo de Manuel Sérgio, 95)
00:32  -  10-07-2015
António Simões: - o irmão branco do Eusébio (artigo de Manuel Sérgio, 94)
17:31  -  04-07-2015
Jorge Jesus ou a homeostasia organizacional (artigo de Manuel Sérgio, 93)
23:50  -  15-06-2015
No Benfica: estrutura ou carisma? (artigo de Manuel Sérgio, 90)
22:37  -  10-06-2015
Feyerabend e Ricardo Serrado no estudo de Lionel Messi (artigo de Manuel Sérgio, 89)
22:50  -  26-05-2015
Mais importante do que ter sucesso é ter valor! (artigo de Manuel Sérgio, 86)
00:30  -  23-05-2015
José Mourinho ou as razões da sua diferença (artigo de Manuel Sérgio, 85)
16:42  -  18-05-2015
É preciso, imperioso e urgente a continuação de J.J., no Benfica (artigo de Manuel Sérgio, 84)
18:16  -  10-05-2015
Roberto Carneiro: retrato de um ministro que eu conheci (artigo de Manuel Sérgio, 83)
16:30  -  01-05-2015
O empréstimo de jogadores é compatível com a ética? (artigo de Manuel Sérgio, 82)
16:54  -  20-04-2015
José Mourinho: por que será?... (artigo de Manuel Sérgio, 81)
17:17  -  14-04-2015
O Progresso Desportivo: - o que é isso? (artigo de Manuel Sérgio, 80)
19:15  -  07-04-2015
Mourinho escreve prefácio de livro de Manuel Sérgio, «O Futebol e Eu»
23:31  -  06-04-2015
O jornal “ A Bola” - desporto e humanismo (artigo de Manuel Sérgio, 79)
22:47  -  01-04-2015
Jorge Carlos Fonseca: o Presidente da República que é poeta (artigo de Manuel Sérgio, 78)
21:47  -  25-03-2015
Qual o fundamento radical na arbitragem? (artigo de Manuel Sérgio, 77)
16:34  -  21-03-2015
A Gestão do Desporto, segundo Gustavo Pires (artigo de Manuel Sérgio, 76)
16:40  -  13-03-2015
O Futebol é Anamnese... mesmo com Luís Figo? (artigo de Manuel Sérgio, 75)
17:47  -  07-03-2015
Ao Povo-Irmão de Cabo Verde (artigo de Manuel Sérgio, 74)
21:14  -  19-02-2015
“Cândido de Oliveira” - um livro inesquecível de Homero Serpa (artigo de Manuel Sérgio, 73)
21:10  -  12-02-2015
Só com os mesmos valores o diálogo é possível (artigo de Manuel Sérgio, 72)
17:04  -  08-02-2015
O modelo racionalista do jornal A Bola (artigo de Manuel Sérgio, 71)
16:32  -  01-02-2015
“A Bola”: uma práxis que é preciso manter (artigo de Manuel Sérgio, 70)
19:14  -  28-01-2015
Manuel Alegre: - um semeador de poesia (artigo de Manuel Sérgio, 69)
18:29  -  22-01-2015
Libertar o Direito e o Desporto ou um ensaio do Prof. Paulo Cunha (artigo de Manuel Sérgio, 68)
16:24  -  18-01-2015
A desparasitação do futebol ou a dupla Pinto da Costa-Pedroto (artigo de Manuel Sérgio, 67)
18:18  -  15-01-2015
O Desporto tem violência: - não é violento! (artigo de Manuel Sérgio, artigo 66)
17:57  -  10-01-2015
A “Arte da Guerra” no treinador Rui Vitória (artigo de Manuel Sérgio, 65)
00:17  -  07-01-2015
José Maria Pedroto: o conhecimento... (artigo de Manuel Sérgio, 64)
23:31  -  31-12-2014
Feliz Ano Novo ao Desporto Português (artigo de Manuel Sérgio, 63)
17:32  -  24-12-2014
A grande revolução de Jesus na Vida e... no Desporto! (artigo de Manuel Sérgio, 62)
17:53  -  20-12-2014
História e Filosofia das Ciências, no Desporto e... no Benfica! (artigo de Manuel Sérgio, 61)
22:56  -  17-12-2014
Uma resposta breve a Miguel Cardoso Pereira (artigo de Manuel Sérgio, 60)
18:57  -  11-12-2014
Desporto e Desenvolvimento ou um livro de Gustavo Pires (artigo de Manuel Sérgio, 59)
18:36  -  04-12-2014
Nossos contemporâneos (artigo de Manuel Sérgio, 58)
18:19  -  27-11-2014
Da Desconfiança à Solidariedade em Pinto da Costa e Filipe Vieira (artigo de Manuel Sérgio, 57)
23:19  -  20-11-2014
As incertezas da ciência (artigo de Manuel Sérgio, 56)
16:18  -  16-11-2014
O engenheiro Fernando Santos: - o mesmo e o diferente (artigo de Manuel Sérgio, 55)
18:39  -  11-11-2014
Ou interdisciplinaridade ou ignorância (artigo de Manuel Sérgio, 54)
10:25  -  08-11-2014
Carta Aberta ao Presidente da República de Cabo Verde (artigo de Manuel Sérgio, 53)
17:43  -  30-10-2014
Rui Jorge: e o treinador do Futuro (artigo de Manuel Sérgio, 52)
15:56  -  23-10-2014
O engenheiro Fernando Santos: o ser e o tempo (artigo de Manuel Sérgio, 51)
19:34  -  16-10-2014
O preparo físico dos nossos jogadores de futebol, 2.ª parte (artigo de Manuel Sérgio, 50)
17:38  -  11-10-2014
O preparo físico dos nossos jogadores de futebol (1) (artigo de Manuel Sérgio, 49)
22:14  -  03-10-2014
Eduardo Monteiro: perfil de um dirigente! (artigo de Manuel Sérgio, 48)
17:55  -  28-09-2014
A propósito do engenheiro Fernando Santos (artigo de Manuel Sérgio, 47)
16:47  -  22-09-2014
O campeão observado a dois ângulos de visão (artigo de Manuel Sérgio, 46)
00:24  -  18-09-2014
Há falta de treinadores negros (artigo de Manuel Sérgio, 45)
01:06  -  13-09-2014
Valdano: um homem que transporta uma frustração (artigo de Manuel Sérgio, 44)
18:39  -  08-09-2014
A grande revolução a fazer no futebol (artigo de Manuel Sérgio, 43)
18:36  -  03-09-2014
Mais Platão, menos Prozac! (Artigo de Manuel Sérgio, 42)
14:57  -  28-08-2014
Fiel ao Belenenses e... aos amigos! (artigo de Manuel Sérgio, 41)
18:38  -  17-08-2014
O Deus dos filósofos e os deuses do futebol (artigo de Manuel Sérgio, 40)
18:34  -  10-08-2014
O olho das rãs e o futebol (artigo de Manuel Sérgio, 39)
21:47  -  04-08-2014
“Francisco de Assis e Franscisco de Roma” - mais um livro de Leonardo Boff (artigo Manuel Sérgio, 38)
16:52  -  26-07-2014
“Preparar para Ganhar”: um livro de José Neto (artigo Manuel Sérgio, 37)
22:24  -  15-07-2014
O Futebol na Sociedade Pós-Capitalista ou a vitória da Alemanha (artigo Manuel Sérgio, 36)
00:43  -  07-07-2014
Código de Ética Desportiva (artigo Manuel Sérgio, 35)
16:35  -  02-07-2014
A Literatura e o Desporto: a propósito de Sophia (artigo Manuel Sérgio, 34)
20:53  -  27-06-2014
O Futebol e os Escritores (artigo Manuel Sérgio, 33)
22:45  -  22-06-2014
As dúvidas do Doutor Eduardo Barroso: as dele e as minhas! (artigo Manuel Sérgio, 32)
16:17  -  08-06-2014
Carta Aberta ao Ministro do Desporto do Brasil (artigo Manuel Sérgio, 31)
18:08  -  01-06-2014
Da poesia ao futebol (artigo Manuel Sérgio, 30)
18:57  -  27-05-2014
Factos e valores (artigo Manuel Sérgio, 29)
18:50  -  19-05-2014
Parabéns ao Benfica: na vitória e na derrota (artigo Manuel Sérgio, 28)
16:35  -  12-05-2014
Marco Silva: um grande treinador, com toda a certeza! (artigo Manuel Sérgio, 27)
21:07  -  01-05-2014
A grande revolução de Jesus ou o mundo que o desporto não tem (artigo Manuel Sérgio, 26)
00:52  -  24-04-2014
O 25 de Abril e o Futebol Português (artigo Manuel Sérgio, 25)
18:33  -  11-04-2014
Os mitos fundadores da Modernidade (artigo Manuel Sérgio 24)
23:56  -  06-04-2014
Os cem anos da FPF: em Portugal também há progresso? (artigo Manuel Sérgio 23)
20:01  -  30-03-2014
Nova Teoria do Sebastiano e o Futebol Português (artigo Manuel Sérgio 22)
23:11  -  23-03-2014
José Medeiros Ferreira: o desportisra, o político, o intelectual (artigo Manuel Sérgio 21)
17:26  -  18-03-2014
Nossos contemporâneos (artigo Manuel Sérgio 20)
21:39  -  03-03-2014
Há necessidade de uma utopia (artigo Manuel Sérgio 19)
00:49  -  22-02-2014
“Filosofia e Futebol: troca de passes” - um livro de grande atualidade ( artigo Manuel Sérgio 18)
22:28  -  16-02-2014
A Inteligência Competitiva e o Espectáculo Desportivo (artigo Manuel Sérgio 17)
18:50  -  12-02-2014
Plano Nacional de Ética no Desporto (artigo Manuel Sérgio 16)
21:08  -  02-02-2014
Porque sou belenenses... (artigo Manuel Sérgio 15)
00:04  -  28-01-2014
Aurélio Pereira ou um projeto antropológico (artigo Manuel Sérgio 14)
00:19  -  23-01-2014
O nome da rosa (artigo Manuel Sérgio 13)
00:11  -  15-01-2014
Cristiano Ronaldo: agilidade física ou intelectual? (artigo Manuel Sérgio 12)
00:38  -  13-01-2014
Eusébio tem lugar indiscutível no panteão nacional (artigo Manuel Sérgio 11)
23:59  -  03-01-2014
Ciência no Futebol e outras coisas mais... (artigo Manuel Sérgio 10)
00:04  -  30-12-2013
O Desporto nem sempre educa... (artigo de Manuel Sérgio 9)
00:37  -  23-12-2013
Carta Aberta aos jogadores do Bom Senso F.C. (artigo de Manuel Sérgio 8)
00:14  -  10-12-2013
Os golos do Ronaldo e a ética da palavra (artigo de Manuel Sérgio 7)
22:14  -  03-12-2013
Cristiano Ronaldo: - um herói da cultura! (artigo de Manuel Sérgio 6)
21:39  -  20-11-2013
Os erros dos árbitros e os erros dos outros... (artigo de Manuel Sérgio 5)
11:56  -  28-10-2013
«O Desporto (o Futebol) não é violência» (artigo de Manuel Sérgio 4)
22:58  -  18-10-2013
«O Desporto e o Desafio do Sentido» (artigo de Manuel Sérgio 3)
22:45  -  06-10-2013
«O pensamento ético contemporâneo e o Desporto» (artigo de Manuel Sérgio 2)
18:40  -  27-09-2013
«O Desporto em que eu acredito» (artigo de Manuel Sérgio 1)
Comentários (0)

Últimas Notícias

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais