Quase 40 deputados conservadores suspeitos de assédio sexual

Reino Unido 30-10-2017 21:34
Por Redação
Numa altura em que um blogue acusa 36 deputados conservadores de assédio sexual, a primeira-ministra britânica exigiu «consequências» para os prevaricadores.

Theresa May escreveu ao presidente da Câmara dos Comuns, John Bercow, a pedir que este crie um serviço de mediação independente para que os funcionários do Parlamento possam queixar-se de comportamentos incorretos dos deputados e ainda que as queixas tenham consequências, uma vez que os deputados não estão contratualmente obrigados a submeter-se a uma investigação.

«Não acredito que esta situação possa continuar a ser tolerada», lê-se na carta de May, citada pelos jornais britânicos.

A determinação de May surge numa altura em que o blogue ‘Guido Fawkes’ revelou que assessores do partido conservador elaboraram lista com os nomes dos (36) deputados que mantêm «comportamentos inapropriados».
Dois deles são ministros, acusados de terem mantido comportamento inapropriado para com mulheres.

Ação reação, o ministro do Comércio, Mark Garnier, admitiu ter pedido, em 2010, a uma assistente, que comprasse brinquedos sexuais, enquanto o ex-secretário do Trabalho, Stephen Crabb, pediu desculpas pela «conversa de teor sexual» com uma jovem de 19 anos que tinha concorrido a um emprego no seu gabinete.
Ler Mais

Últimas Notícias

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais