Veja o que fizeram os brasileiros para conseguirem jogar na Bolívia!

Brasil 06-10-2017 14:50
Por Redação
É sempre muito complicado jogar na Bolívia, porque o Estádio Hernando Siles, em La Paz, fica a 3600 metros acima do nível do mar.

Deste modo, a Confederação Brasileira de futebol (CBF) partilhou uma foto dos jogadores brasileiros Daniel Alves, Neymar, Gabriel Jesús, Marquinhos, Miranda, Alex Sandro e Alisson a receberem oxigénio.

Na passada quinta-feira o Brasil empatou a zero em La Paz, na Bolívia, onde historicamente sente muitas dificuldades para conseguir bons resultados (em cinco jogos perderam três, empataram um e venceram apenas um), apesar da grande diferença de qualidade entre as duas equipas. Aliás, historicamente a maioria das equipas sente problemas para jogar neste palco, a 3600 metros de altitude.

«Qualquer o organismo sente a queda da oferta de oxigênio», sublinha Thaís Russomano, especialista em Medicina Aeroespacial da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, citado pela imprensa brasileira. «Para não perder rendimento, os atletas precisariam passar cerca de 30 dias em adaptação à nova altitude», acrescenta.

De acordo com o especialista, outra solução para minimizar os efeitos da altitude seria a equipa chegar apenas alguns instantes antes da realização do jogo, pois as reações mais agudas manifestam-se cerca de 120 minutos depois de o corpo chegar a essa altitude. Até mesmo os guarda-redes, obrigados a correr menos que os companheiros, sentem dificuldades, pois a bola enfrenta menos resistência, por causa da pressão atmosférica, e preserva a velocidade por mais tempos, o que naturalmente torna os remates mais fortes e desequilibrado o duelo com os guarda-redes.

Os bolivianos continuam a jogar na sua capital e a questão, não sendo pacífica, parece aceite pelos organismos internacionais que tomam conta do futebol. Para os bolivianos a elevada altitude não representa, naturalmente, porque a ela estão habituados, um problema. Para quem não está os sintomas podem ser devastadores: fadiga, dores no peito, dores de cabeça, vómitos, entre outros.
Ler Mais
Comentários (5)

Últimas Notícias

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais