U2 pedem a Aung Suu Kyi que lute contra violência sobre os rohingya

BIRMÂNIA 11-11-17 5:24
Por Redação

Os U2, banda irlandesa, apelaram este sábado à líder de Myanmar, Aung San Suu Kyi, para que coloque um fim à violência das forças de segurança do país que têm cometido «terríveis atrocidades» contra a minoria muçulmana rohingya.

Em comunicado divulgado no seu `site´ oficial, o grupo liderado por Bono Vox, afirma que tentou, sem êxito, entrar em contacto com a Nobel da Paz para lhe pedir que enfrente a violência contra os rohingya, que se viram obrigados a fugir para o Bangladesh.

«Queríamos falar com Aung San Suu Kyi esta semana, mas parece que agora esta chamada não se concretizará», adiantaram os U2, acrescentando que «a violência e o terror contra a população rohingya leva a terríveis atrocidades e há que acabar com elas».

«Como disse Martin Luther King: a última tragédia não é a opressão e a crueldade por parte da gente má, mas sim o silêncio por parte da gente boa. O tempo passou para que ela seja firme e fale», referem os músicos