Atlético Sport Clube/Bombeiros Voluntários de Reguengos de Monsaraz: Uma joia do Basquetebol no Alentejo (artigo de Eduardo Monteiro, 23)

ESPAÇO UNIVERSIDADE 10-11-17 1:56
Por Eduardo Monteiro

Reguengos de Monsaraz é uma cidade alentejana, sede de um concelho marcadamente agrícola, enquadrado na magnífica planície e no azul da albufeira do Alqueva, é celebre sobretudo pela qualidade do vinho produzido nesta região. A história de Reguengos de Monsaraz confunde-se com a de Monsaraz, uma das vilas mais importantes do concelho, e das mais bonitas de Portugal. É uma região de antiga ocupação humana, e nos seus limites encontram-se vestígios paleolíticos que confirmam a existência de culturas de outro tempo. Romanos, visigodos e muçulmanos também por cá estiveram e foi o rei D. Afonso Henriques que, em 1167, a conquistou aos mouros.

Reguengos de Monsaraz é cidade desde 2004 e pertence ao distrito de Évora, sendo a natureza circundante o seu maior chamariz. Dotada de tradições bem mantidas e acarinhadas é, igualmente, reconhecida a nível nacional pela qualidade do seu artesanato e por possuir o primeiro centro oleiro do país, como é o caso da Olaria de São Pedro do Corval. O reconhecimento nacional estende-se, igualmente, ao fabrico das famosas mantas de Reguengos, que remonta às próprias origens da vila.

Até ao século XIX a actividade económica centrava-se mais na tecelagem, mas a partir daí surgiu a cultura da vinha com a produção de vinhos célebres de grande qualidade internacionalmente reconhecidos. Não foi por acaso que Reguengos de Monsaraz foi nomeada, em 2015, como Capital Europeia do Vinho, sendo a Adega Cooperativa Agrícola (CARMIM) e a Herdade do Esporão os seus maiores expoentes.

O desenvolvimento social e económico de Reguengos de Monsaraz também chegou ao Desporto e, em Julho de 1975, como corolário do Plano Nacional de Desenvolvimento do Desporto, implementado pela Direcção Geral dos Desportos, sob a liderança do Prof. Melo Carvalho, o basquetebol dava os primeiros passos no polidesportivo da Escola Primária de Reguengos, pela mão do prof. Luís Laureano, então coordenador distrital do plano de desenvolvimento da modalidade.

Esta actividade escolar criou nas crianças o gosto pelo basquetebol, no entanto, era necessário integrá-las numa estrutura desportiva organizada que permitisse a sua evolução como futuros praticantes. Assim, nos finais de Outubro, do mesmo ano, a modalidade foi integrada no Atlético Sport Clube. Entretanto, como não existia associação de basquetebol e só havia um clube que se dedicava à modalidade no Alentejo (Lusitano de Évora), as actividades resumiam-se a jogos particulares com as escolas e liceus mais próximos, caso de Elvas, Évora, Montemor-o-Novo e Moura. Com a atribuição de bolas e tabelas de basquetebol, através do plano nacional do basquetebol da DGD, foi possível melhorar as condições de trabalho que passaram pela utilização de um pequeno ginásio e posteriormente as instalações dos Bombeiros Voluntários.

Com o aumento do número de praticantes e a progressiva organização de equipas dos escalões de formação, a participação em provas oficiais começou a ser feita na Associação de Setúbal até à posterior criação da Associação de Basquetebol de Évora. Durante este percurso de crescimento, a manutenção da modalidade só foi possível devido ao apoio generalizado das empresas de Reguengos, nomeadamente a CARMIM e fundamentalmente a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia de Reguengos. Por sua vez, as parcerias efectuadas com o Atlético Sport Clube e os Bombeiros Voluntários foram decisivas na consolidação do basquetebol em Reguengos de Monsaraz pelo que, aquando da proclamação da autonomia do basquetebol local (30 de Junho de 2011), se tenha decidido designar a nova instituição por Atlético Sport Clube/Bombeiros Voluntários de Reguengos de Monsaraz, numa clara manifestação de apreço pelas duas instituições que ao longo de mais de trinta anos apoiaram de um modo exemplar a modalidade.

Durante estas quatro décadas de actividade do basquetebol, passaram pelo clube muitas gerações de crianças e jovens, de ambos os sexos, que beneficiaram duma educação/formação desportiva e valorização pessoal inestimável e que jamais será esquecida. Os resultados desportivos foram significativos e possibilitaram uma aferição cuidada do trabalho desenvolvido ao longo das diferentes épocas desportivas. Neste percurso de desenvolvimento desportivo e implementação duma mística competitiva muito própria foram conquistadas 220 provas regionais:

Equipas femininas: Sub-14 (24), Sub-16 (17), Sub-19 (23) e Seniores (5) – Total: 69

Equipas masculinas: Mini (17), Infantil (14), Sub-14 (49), Sub-16 (40), Sub-18 (14), Sub-20 (4) e Seniores (13) – Total: 151

Como corolário desta evolução, diversos atletas e treinadores participaram em Jamborees Internacionais (Espanha, inglaterra, França, Itália e Grécia) e em estágios nacionais e internacionais, chegando mesmo a ter um jogador de craveira internacional (João Álvaro) na Selecção Nacional Sub-16, na época de 2007/08. Na época de 1990/91, foi distinguido como Clube do Ano, entre todas as modalidades desportivas praticadas no Alentejo, pelo Diário do Sul. Também, foi considerado Clube do Ano pela Associação de Basquetebol do Alentejo nas épocas de 1994/95, 1995/96, 1997/98 e 2006/07, prémio que posteriormente deixou de existir. O Instituto Nacional do Desporto, em 2000/01 e 2003/04, atribuíu ao clube o Prémio Reconhecer o Mérito. Do mesmo modo, a Federação Portuguesa de Basquetebol distinguiu o clube com o Prémio Cremilde Pereira relativo às épocas de 2005/06 e 2009/10 (galardão já extinto) e com o Certificado de Qualidade de Escola Portuguesa de Minibasquete desde 2005/06 até 2016/17 ininterruptamente. Também a A.H.B.R.M. atribuiu ao clube na época de 2016/17 o Diploma de Mérito por Bons e Efetivos Serviços.

O trabalho efectuado em termos de voluntariado pelos dirigentes e técnicos desta agremiação, dirigida pelo seu fundador e atual presidente, Luís Laureano, numa região diversificada e demográficamente descontínua, é digno de realce e um exemplo para todos nós. Por essa razão, não é de estranhar as distinções atribuídas pelas diversas entidades, a este Clube Modelo, como reconhecimento público pelos bons serviços prestados à comunidade em que estão inseridos.

Portugal tem 159 cidades. Reguengos de Monsaraz tem cerca de 10.000 habitantes. O que não seria o basquetebol nacional se cada cidade, relativamente à sua dimensão, fizesse pelo basquetebol aquilo que Reguengos de Monsaraz faz.

Eduardo Monteiro é ex-treinador do SL Benfica e das Seleções Nacionais