João Lourenço exonera ministro que faltou à cerimónia de tomada de posse

ANGOLA 05-10-17 10:16
Por Lusa

O presidente angolano, João Lourenço, exonerou, esta quinta-feira, o ministro da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, nomeado há uma semana para aquelas funções, por António Rodrigues Afonso Paulo não ter comparecido à tomada de posse.

A decisão consta de informação distribuída à imprensa pelo gabinete da Presidência da República, dando conta da exoneração, por decreto presidencial, e da nomeação, pela mesma forma, de Jesus Faria Maiato, para o cargo de ministro da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social.

António Rodrigues Paulo, que era secretário de Estado no mesmo ministério, no Governo chefiado por José Eduardo dos Santos, foi o único dos 32 ministros nomeados entre 28 e 29 de setembro por João Lourenço a não marcar presença na cerimónia que decorreu no palácio presidencial, no último sábado.

Não foram adiantados motivos para esta substituição, mas alguma imprensa privada angolana noticiou nos últimos dias que António Rodrigues Paulo estava fora do país aquando da nomeação para o cargo de ministro e que não teria sido consultado para o efeito.

A 30 de setembro, na cerimónia que seria para empossar os 32 ministros nomeados, o chefe de Estado pediu «trabalho» a todos os governantes indicados, condição que, disse, «ditará a avaliação da qualidade das escolhas feitas para este Governo».

No executivo empossado mantêm as mesmas pastas (do executivo anterior, nomeado por José Eduardo dos Santos) Ângelo de Barros da Veiga Tavares (ministro do Interior), Augusto Archer Mangueira (Finanças), Marcos Alexandre Nhunga (Agricultura e Florestas), Bernarda Martins (Indústria), João Baptista Borges (Energia e Águas), Augusto da Silva Tomás (Transportes), Victória de Barros Neto (Pescas e do Mar), José Carvalho da Rocha (Telecomunicações e Tecnologias de Informação) e Carolina Cerqueira (Cultura).

Dos 32 ministros que compõem o executivo angolano, um dos maiores do mundo, 11 são mulheres.