McLaren e Honda seguem «direções diferente»

FÓRMULA 1 15-09-17 4:31
Por Redação

A McLarem formalizou esta sexta-feira o fim da ligação com a Honda, confirmando que os motores para os monolugares de Fórmula 1 serão, a partir de 2018 e até 2020, fornecidos pela Renault.

«Chegou a altura de seguir em frente, mas em direções diferentes», lê-se no comunicado da escuderia britânica, oito vezes campeã do mundo de construtores e 12 de pilotos.

A parceria McLaren-Honda, que durava desde 2015, não veio melhorar a situação da equipa que nos últimos dois anos terminou o mundial de construtores no 9.º e 6.º lugares, respetivamente.

A troca de motores poderá contribuir para manter o piloto espanhol Fernando Alonso, ex-bicampeão mundial que tem sido apontado a outras equipas, entre elas a Renault Sport F1 Team, que também é equipa com motores da ‘casa mãe’.

«É a primeira vez que a Renault vai trabalhar com a McLaren. Estamos orgulhosos por termos chegado a acordo com uma equipa que tem um passado tão rico na história da Fórmula 1», disse Jérôme Stoll, responsável máximo do departamento de F1 da marca francesa.

A Honda, por seu lado, vai a partir de 2018 passar a equipar a Toro Rosso, equipa satélite da Red Bull que cujos motores eram fornecidos pela Renault.