Estados Unidos mantêm-se como maior parceiro de combate à sida em Moçambique em 2018

Moçambique 31-12-2017 14:43
Por Lusa
Angelina Guanaes Goa, 60 anos, nunca foi médica, mas na sua terra está na linha da frente do combate a uma das principais epidemias de Moçambique, uma doença em que “nem todas as pessoas acreditam”.

Na vila da Namaacha, sul do país, a sida ainda é bruxaria, praga rogada por pessoas com más intenções, assunto tabu que Angelina esclarece, para levar conterrâneos ao teste diagnóstico.

«Sou uma das pessoas que faz tratamento, desde 2007. Estou aqui a tomar os meus comprimidos e a seguir o que o médico diz», refere, tornando num exemplo a forma como encara a sua condição de seropositiva.

O trabalho de Angelina é apoiado pelo maior doador de Moçambique para combate à sida, os Estados Unidos da América: para o ano fiscal que cobre 2018 está previsto um investimento de 400 milhões de dólares no âmbito do Programa do Plano de Emergência do Presidente dos Estados Unidos para o Alívio da Sida (PEPFAR).

O dinheiro vai para um leque alargado organizações não-governamentais (ONG), como a Fundação Ariel Glaser, na Namaacha, envolvidas com as comunidades e cuidados clínicos, assim como também para a aquisição de medicamentos antirretrovirais, instalação e funcionamento de laboratórios de alta tecnologia e muito mais.

Um leque de ações que se enquadra na estratégia ‘90-90-90’ definida pelas Nações Unidas: até 2020 ter 90% da população com HIV diagnosticada, 90% destas em tratamento e 90% deste grupo a alcançar a supressão viral - ou seja, virtualmente incapazes de propagar a doença.

Francisco Mbofana, secretário-executivo do Conselho Nacional de Combate ao HIV/sida, refere que ´há progressos´, mas também reconhece que Moçambique ainda está longe de alcançar qualquer um dos ‘90’.

Aquele responsável estima que 50% a 56% da população com HIV conheça hoje o seu diagnóstico, que o tratamento antirretroviral chegue a 60% das pessoas infetadas e, embora haja poucos dados, que menos de 40% destes tenha alcançado a supressão viral.
Ler Mais

Últimas Notícias

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais