Fundo Saudita e Banco Árabe de Desenvolvimento emprestam 18,6 M€

Guiné-Bissau 20-12-2017 19:25
Por Lusa
O Fundo Saudita de Desenvolvimento e o Banco Árabe de Desenvolvimento vão emprestar 18,6 milhões de euros a Guiné-Bissau para a melhoria de fornecimento de energia elétrica às populações, anunciou hoje o ministro das Finanças guineense, João Fadiá.

As duas entidades financeiras vão dar, cada uma, a metade do valor e o governo de Bissau irá adquirir grupos eletrogéneos para produzir 20 megawatts de energia elétrica e distribuir às populações da cidade de Bissau, adiantou o ministro.

João Fadiá indicou que os empréstimos serão reembolsados dentro de 30 anos, com 10 de carência, com uma taxa de juros de 1%.

O ministro acredita que com a entrada em funcionamento dos grupos eletrogéneos a serem adquiridos com os empréstimos das duas entidades árabes, o governo «poderá fazer face às dificuldades» na produção e distribuição de energia elétrica em Bissau.

O diretor-geral das operações do Fundo Saudita de Desenvolvimento, Fawzi Alsaud, que esteve em Bissau para assinatura hoje do protocolo do empréstimo, disse que apesar dos 18,6 milhões de euros virem de duas entidades diferentes, o projeto será executado conjuntamente.

A cidade de Bissau passa, nos últimos meses, por longos períodos de cortes de energia elétrica e água canalizada.

A empresa de Eletricidade e Agua da Guiné-Bissau (EAGB) diz-se com dificuldades em produzir os cerca de 25 megawatts de energia de que precisa para responder às necessidades dos habitantes de Bissau.

Fonte da empresa indicou à Lusa que a produção, desde há cinco meses, não ultrapassa os 13 megawatts de energia, o que, sublinha, leva os cortes sistemáticos, como forma de atender todos os clientes.
Ler Mais

Últimas Notícias

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais