«Já acabou o nosso sonho» - Lúcio Antunes

Cabo Verde 07-10-2017 23:32
Por Lusa
O selecionador cabo-verdiano de futebol, Lúcio Antunes, assumiu hoje a descrença no apuramento para o Mundial2018, na Rússia, após perder em casa com o Senegal, em jogo da quinta jornada do Grupo D de qualificação africana.

«Já acabou o nosso sonho. Já não é possível. Temos seis pontos, Senegal fez oito, tem ainda dois jogos. Nós podemos chegar aos nove pontos, o Senegal com um empate chega aos nove e tem vitórias sobre nós», lamentou Lúcio Antunes, em conferência de imprensa.

Após vencer Cabo Verde por 2-0, o Senegal passou para a liderança do agrupamento, com oito pontos e menos dois jogos, enquanto os cabo-verdianos ficam em terceiro lugar, com seis pontos, e apenas mais um jogo por disputar.

O derradeiro encontro dos cabo-verdianos vai ser disputado em novembro, no Burkina Faso, orientado pelo português Paulo Duarte, que também tem seis pontos e tem só essa partida por disputar.

A África do Sul ocupa o último lugar do grupo, com quatro pontos e ainda dois jogos por disputar frente aos senegaleses.

«A África do Sul tem quatro pontos, se ganhar os dois jogos com Senegal faz 10. Portanto, o nosso sonho acabou e vamos agora tentar outros sonhos porque a vida é assim, vivemos de sonhos. Este acabou, vamos unir o grupo e trabalhar para que o futuro seja melhor», prosseguiu.

Questionado se após a derrota e se no fim da qualificação ainda vai continuar no cargo, Lúcio Antunes não respondeu diretamente, mas garantiu que quer cumprir o seu contrato com a Federação Cabo-verdiana de Futebol.

O selecionador destacou ainda o «casamento» entre a seleção e o público cabo-verdiano, lembrando que quando o país começou a qualificação «não havia gente no estádio», que hoje estava praticamente cheio, com cerca de 13 mil adeptos.

«Fizemos hoje a quinta jornada e vimos um povo unido outra vez. Isso nos deixa satisfeitos porque, de facto, o futebol tem magia», afirmou o técnico, que destacou também a «entrega, determinação e abnegação» dos jogadores.

Quem também assumiu que acabou o sonho do apuramento para Cabo Verde foi o capitão Marco Soares, de 33 anos, que garantiu que disputava a sua última qualificação para um Mundial.

«É o fim de um sonho. Custa dizer assim porque era um sonho que eu tinha e gostava de representar Cabo Verde e ver este povo no Mundial», disse o médio cabo-verdiano, visivelmente emocionado na conferência de imprensa, ao lado de Lúcio Antunes.

O capitão referiu que os Tubarões Azuis foram «dados como mortos», mas ainda deram esperanças após as duas vitórias sobre África do Sul, mas com a derrota com o Senegal diz adeus ao sonho de chegar ao Mundial pela primeira vez na sua história.

Quanto ao futuro na seleção, Marco Soares não abriu o jogo, dizendo que não vai decidir «nada a quente» e que qualquer decisão que vier a tomar será após falar primeiro com os colegas.
Ler Mais

Últimas Notícias

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais