DOMINGO, 28-05-2017, ANO 18, N.º 6329
«Ederson? Não sei se foi o último jogo dele» – Filipe Augusto
Benfica O médio brasileiro Filipe Augusto revelou que não sabe se Ederson estará de partida, mas que é um guarda-redes de excelente qualidade. «Houve muita festa, muita brincadeira, muito som, muita alegri
Romero quer continuar sob o comando de Mourinho
Manchester United Numa altura em que têm surgido muitos rumores em torno de possíveis mudanças na baliza do Manchester United, Sergio Romero veio a público garantir que não pretende sair dos red devils. «Ser o númer
Inter goleia Udinese (5-2)
Itália O Inter goleou, este domingo, a Udinese, por 5-2, em jogo da 38.ª jornada da Liga italiana. Éder (5 e 54e), Perisic (18), Brozovic (36) e Angella (autogolo) deram a vantagem ao Inter frente à Udine
«Se assinar novo contrato não sobra dinheiro para garantir Lukaku!» – Hazard
Chelsea O médio belga Eden Hazard abordou a continuidade no Chelsea e revelou abertura para renovar, mas reconheceu que irá pedir muito dinheiro para prolongar o vínculo junto dos campeões ingleses. «Neste
Sin Cara agradece festejo de Jiménez
Benfica A estrela mexicana de Wrestling, Sin Cara, agradeceu ao compatriota Raul Jiménez por ter festejado o golo frente ao Vitória de Guimarães envergando a sua máscara. «Golo de Raúl Jiménez. Obrigado am
«Estamos tristes, mas profundamente orgulhosos» – Pedro Martins
Vitória de Guimarães O treinador do Vitória de Guimarães, Pedro Martins, lamentou que a sua equipa tivesse perdido a final da Taça de Portugal para o Benfica, mas ficou orgulhoso da exibição dos seus jogadores. «Não fo
Foi assim que ficou o joelho de Fejsa!
Benfica O médio defensivo sérvio do Benfica lesionou-se num lance com Marega, ainda na primeia parte da final da Taça de Portugal, e precisou mesmo de abandonar o campo, de onde saiu a coxear. Foi substituí
Lucescu afastado do comando técnico
Zenit O Zenit, de Luís Neto e Danny, anunciou, este domingo, que decidiu terminar com a ligação junto do técnico Mircea Lucescu. «O conselho de administração decidiu cancelar com efeitos imediatos o cont
Diogo Badalo e Nuno Santos na final da Taça de Portugal
Snooker Os atletas Diogo Badalo, da Cue Action (Benfica/Lisboa), campeão nacional de snooker em 2016, e Nuno Miguel Santos (FC Porto), este último detentor do troféu, qualificaram-se na noite deste domingo pa
«Os jogadores que ficaram de fora também são importantes» – André Horta
Benfica O médio André Horta realçou a importância dos jogadores que ficaram do banco nas vitórias do Benfica. «Esta vitória reflete o grupo que temos e o facto que reagimos como uma verdadeira família. Os
Sporting vence Futsal Azeméis (6-2) e defronta Modicus na meia-final
Futsal O Sporting recebeu, em Odivelas, o Futsal Azeméis no jogo 2 dos quartos de final e venceu, por 6-2, com golos de Pedro Cary (2), Cavinato (2), Caio Japa e Merlim. No jogo 1 os leões tinham vencido
Salvio eleito o melhor em campo na final da Taça
Benfica O extremo argentino Eduardo Salvio, que marcou aos vimaranenses (2-0), foi eleito o melhor jogador em campo na final da Taça de Portugal. «É sempre importante somar à equipa e neste caso ajudei com
«Estou feliz aqui» – Grimaldo
Benfica O lateral-esquerdo espanhol Grimaldo realçou que está feliz no Benfica e orgulhoso pela conquista da Taça de Portugal. «O Benfica tenta sempre conseguir todos os títulos. Alcançámos os objetivos qu
Fejsa suturado com vários pontos na perna esquerda
Benfica O médio Fejsa teve de abandonar a partida diante do Vitória de Guimarães, tendo o técnico Rui Vitória revelado que o jogador teve de ser suturado com vários pontos na perna esquerda, mas que o problem
«Começámos a época a ganhar e saímos a ganhar» – Rui Vitória
Benfica O treinador do Benfica, Rui Vitória, realçou que o Benfica mereceu conquistar a Taça de Portugal frente ao Vitória de Guimarães e terminar a época com mais um título. «Foi um jogo que prevíamos que
«Acho que vou ficar aqui muitos anos» – Salvio
Benfica O extremo argentino Eduardo Salvio, que marcou frente ao Vitória de Guimarães, revelou que pretende permanecer muitos anos no Benfica e que ficou feliz por ter ajudado na conquista de mais um título.
«Foi uma final jogada com muita garra de parte a parte» - Marcelo Rebelo de Sousa
Taça de Portugal Findo o jogo no Jamor, o Presidente da República optou por deixar uma análise mais apurada para ele mesmo, mas não resistiu, todavia, a comentar «uma final muito difícil, jogada com muita garra de par
Pedro Henrique vence prémio Fair Play
Vitória de Guimarães O defesa-central Pedro Henrique (Vitória de Guimarães) venceu o prémio Fair Play. É um momento meio difícil, porque trocava este prémio pela conquista da Taça. Infelizmente não conseguimos, mas iss
«Para o ano estamos aqui outra vez» – Júlio Mendes
Vitória de Guimarães O presidente vimaranense Júlio Mendes garantiu que não está preocupado com quem o treinador, mas realçou que na próxima temporada vão estar novamente na final da Taça de Portugal. «Não importa quem
«Cinco minutos de descentração foram fatais» - Rafael Miranda
Vitória de Guimarães O médio brasileiro não escondeu a desilusão por o Vitória de Guimarães ter perdido a Taça de Portugal para o Benfica e, numa curta análise ao jogo deste domingo no Estádio Nacional, vincou que dois mo
«Foi um grande ano» – André Almeida
Benfica O polivalente André Almeida realçou que o Benfica fechou um grande ano com a conquista da Taça de Portugal. «Podíamos também ter vencido a Taça da Liga, mas foi um grande ano e estamos todos de par
O Benfica levanta a sua 26.ª Taça de Portugal (vídeo)
Benfica Veja o momento em que Luisão recebe a Taça de Portugal.
Talisca bisa na festa do título do Besiktas (4-0)
Turquia O Besiktas derrotou o Gaziantepspor, por 4-0, e realidou o título de campeão turca. O Besiktas, sem Ricardo Quaresma, que está lesionado, beneficiou dos golos de Ryan Babel, Oguzhan Ozyakup e Talis
«Faltava-me conquistar este troféu e quero mais títulos!» - Jonas
Benfica O avançado brasileiro, que ficou em branco na final da Taça de Portugal, ressalvou, no final do jogo com o Vitória de Guimarães, que, com a camisola do Benfica, nas provas internas, só lhe faltava con
«Quero continuar» – Jiménez
Benfica O avançado Rául Jiménez garantiu, após a final da Taça de Portugal, que pretende permanecer no Benfica na próxima temporada. «Quero continuar. Tenho contrato e espero seguir no Benfica», afirmou Ji
Ederson emocionado: «Foi um jogo muito especial»
Benfica O guarda-redes brasileiro Ederson assumiu que a vitória na final da Taça de Portugal, diante do Vitória de Guimarães (2-1), foi especial. «Foi um jogo muito especial», disse Ederson, não falando so
Veja bem este falhanço de Jiménez (vídeo)
Taça de Portugal Incrível mesmo. Só vendo.
Veja esta equipa de 11 craques em final de contrato
Internacional A Imprensa espanhola revela um onze com jogadores que estão em final de contrato com os respetivos clubes. Guarda-redes: Casillas (FC Porto). Defesas: Arbeloa (West Ham), Pepe (Rea
Veja aqui a emocionante despedida de Totti (vídeo)
Roma Totti realizou, este domingo, o derradeiro jogo pela Roma e os adeptos mostraram que nunca vão esquecer o mítico capitão romano.
Zungu marca para o Vitória e relança o jogo! (vídeo)
Taça de Portugal Canto e o sul-africano a saltar mais alto que todos, batendo Ederson. Está relançada a final da Taça de Portugal!
Totti despede-se com vitória no derradeiro jogo pela Roma (3-2)
Itália A partida entre a Roma e o Génova ficou inevitavelmente marcar pela despedido do mítico capitão romano Francesco Totti, que começou no banco e entrou aos 54 minutos. O jogo foi bastante equilibrado
Dúvida para penalty e consulta ao videoárbitro; veja como foi (vídeo)
Taça de Portugal O videoárbitro em estreia na final da Taça de Portugal. O árbitro, Hugo Miguel, manda parar o jogo e consulta o videoárbitro para verificar se existiu penalty por mão de um jogador do V. Guimarães. Ma

classificações

Liga
Liga 2
34. ª jornada
classificação
42. ª jornada
classificação
20-05
Freamunde
16:00
Covilhã
21-05
Leixões
11:45
União
21-05
Santa Clara
11:45
Portimonense
21-05
Aves
11:45
AD Fafe
Sport TV1
21-05
Braga B
16:00
Sporting B
21-05
Académica
16:00
Porto B
21-05
Olhanense
16:00
Penafiel
21-05
Varzim
16:00
Vizela
21-05
Gil Vicente
16:00
Famalicão
Sport TV1
21-05
Académico
16:00
Cova Piedade
21-05
V. Guimarães B
16:00
Benfica B
J
V
E
D
G
P
1
Benfica
34
25
7
2
72-18
82
2
FC Porto
34
22
10
2
71-19
76
3
Sporting
34
21
7
6
68-36
70
4
V. Guimarães
34
18
8
8
50-39
62
5
SC Braga
34
15
9
10
51-36
54
6
Marítimo
34
13
11
10
34-32
50
7
Rio Ave
34
14
7
13
41-39
49
8
Feirense
34
14
6
14
31-45
48
9
Boavista
34
10
13
11
33-36
43
10
Estoril
34
10
8
16
36-42
38
11
Chaves
34
8
14
12
35-42
38
12
V. Setúbal
34
10
8
16
30-39
38
13
P. Ferreira
34
8
12
14
32-45
36
14
Belenenses
34
9
9
16
27-45
36
15
Moreirense
34
8
9
17
33-48
33
16
Tondela
34
8
8
18
29-52
32
17
Arouca
34
9
5
20
33-57
32
18
Nacional
34
4
9
21
22-58
21

Ver classificação detalhada
J
V
E
D
G
P
1
Portimonense
42
25
8
9
70-39
83
2
Aves
42
23
12
7
63-38
81
3
União
42
17
13
12
52-43
64
4
Benfica B
42
18
9
15
56-58
63
5
Penafiel
42
18
9
15
56-55
63
6
Académica
42
17
11
14
42-35
62
7
Braga B
42
16
14
12
64-50
62
8
Covilhã
42
15
17
10
51-41
62
9
Varzim
42
17
10
15
45-48
61
10
Santa Clara
42
16
12
14
44-42
60
11
V. Guimarães B
42
18
6
18
54-50
60
12
Porto B
42
16
12
14
52-49
60
13
Gil Vicente
42
13
17
12
47-49
56
14
Sporting B
42
15
10
17
64-62
55
15
Famalicão
42
14
11
17
47-50
53
16
Cova Piedade
42
14
11
17
45-60
53
17
Académico
42
13
13
16
49-54
52
18
Leixões
42
10
16
16
44-48
46
19
Vizela
42
9
19
14
39-49
46
20
AD Fafe
42
11
12
19
52-65
45
21
Freamunde
42
9
13
20
39-52
40
22
Olhanense
42
7
7
28
45-83
28

Ver classificação detalhada

PORTUGUESES

EMIGRANTES

CORAÇÃO LEVOU LUÍS CASTRO PARA DEBRECEN . Luís Castro, de 36 anos, natural de Moreira de Cónegos, mudou-se de armas e bagagens para Debrecen, na Hungria, onde atualmente é coordenador técnico da academia do clube. A A BOLA contou como foi parar à cidade magiar, uma história de paixões. «Como vim cá parar? Foi algo que faz com que, por vezes, faz-me acreditar no destino. Tinha viagem marcada para Debrecen, de onde a minha esposa é natural, e abriu o curso UEFA PRO em Portugal no verão de 2015, pensei em não viajar porque queria concluir os cursos e era uma oportunidade. Tive uma conversa familiar, decidi viajar com a família, porque já não vinha cá fazia alguns anos, poucos dias após chegar o meu sogro quis mostrar-me a academia onde conheci o diretor atual da formação, Sr. András Herczeg, que é também o melhor treinador de sempre do clube participando na Liga Europa e Liga dos Campeões. Conversámos de futebol como é evidente e encontrámo-nos mais duas vezes durante as férias, mas tudo normal, entre dois apaixonados pelo treino sem nunca imaginar que viria a trabalhar com ele um dia», começou por contar. «Alguns meses após o regresso a Portugal recebi um convite do Sr. András Herczeg para dar uma palestra durante uma semana num curso de treinadores aqui na cidade - durante sete semanas vinha uma pessoa diferente em cada semana e durante a minha semana mostrei como trabalhava em termos de treino, alguns vídeos da minha equipa de sub-19 do Vitória de Guimarães da época 2014/2015 e tive também a oportunidade de orientar alguns treinos com equipas do clube para demonstração, a recetividade foi boa os «feedbacks» também», acrescentou. Foi o mote para surgiu o convite para assumir a coordenação da academia e desde 11 de julho que assentou praça em Debrecen: «Trouxe dois portugueses comigo que estavam no Vitória e, aos poucos, estamos a tentar modificar algumas coisas. Sabendo que nada que seja forte e sustentado se constrói de um dia para o outro. O primeiro passo foi alterar a metodologia de treino para um treino mais específico de acordo com um modelo de jogo, estamos também preocupados com a formação de um sistema de «scouting» onde já temos uma pessoa muito competente, Horváth Csenger, irmão do capitão da seleção de 2000 e jogador do Vitória. Em sintonia com Leonel Pontes Leonel Pontes, antigo adjunto de Paulo Bento no Sporting e na Seleção Nacional, é, atualmente, o treinador da equipa principal do Debrecen. Como é a vossa ligação? - Temos trocado ideias sobre o que deve ser o futuro do clube e felizmente aí as coisas também coincidem, a experiência do Leonel é, num clube em que vivia muito da formação na altura em que ele estava lá, e a minha também num clube em que tirou e continua a tirar frutos da sua formação, neste momento, estamos a limpar o terreno para depois construir algo no futuro. Relativamente a um conterrâneo é sempre bom, pois a cultura é mesma, mas não tenho apenas um no clube somos seis: eu, o Gilberto Freitas, o Roberto Morais, o Leonel, o Pedro Ilharco e o José Pratas. De Mourinho, a Guardiola, Paulo Fonseca e Rui Vitória Luís Castro tem formação de professor do Ensino Básico, variante de Educação Física, no Instituto Politécnico de Bragança, e a nível de futebol tem o Curso UEFA PRO. O futebol sempre foi uma paixão e o gosto pelo treino ganhou-o na universidade. «Como quase todos os jovens em Portugal a paixão pelo futebol é natural num País onde se respira futebol. Pelo treino especificamente foi na universidade, nas aulas de futebol em que começou a crescer o bichinho de que poderia ser ali o caminho para uma paixão de sempre, ainda na universidade já treinava no Vizela os jogadores das escolinhas. O bichinho foi crescendo, a entrega foi total e, felizmente, fui tendo algumas oportunidades de subir e com passos sustentados até chegar onde estou agora», realçou. No que a referências diz respeito, o nome de José Mourinho, claro, vem à baila: «As referências são algumas e vão alterando, umas vezes porque as referências mudam as suas formas de jogar, outras porque aparecem novas. Nesse aspeto tudo começou com uma referência que é natural para todos os que começaram a treinar como eu, no início dos anos 2000, José Mourinho, equipas com futebol atrativo e um treinador diferente, jovem, mentalidade vencedora, professor de Educação Física e com uma metodologia de treino diferente para a altura. Como em tudo na vida as coisas vão mudando, todos os anos sou capaz de me apaixonar por equipas diferentes e verificar o que se passa tentando estudá-las no pouco tempo que tenho livre. Neste momento, as equipas de Guardiola são equipas muito interessantes para mim. Tenho gostado do Dortmund e tenho gostado muito do pouco que pude ver do Sevilha, Sampaoli tem feito algo fantástico, estou ansioso por o ver treinar um clube com jogadores de nível superior. No panorama nacional Paulo Fonseca mostrou uma proposta de jogo muito interessante nos últimos anos, não tive tempo de o ver no Shakhtar, mas vou ter que arranjar. Trabalhei de perto com Rui Vitória, em Guimarães, onde fez um excelente trabalho e penso que, principalmente, na gestão do grupo e na parte mental é muito forte.» A diferença está na mentalidade Questionado sobre as diferenças entre o futebol húngaro e português, Luís Castro é rápido na resposta. - É a mentalidade. Já trabalhei na Arábia Saudita, o que faz com que não estranhe tanto estar fora e estas diferenças. Os portugueses são mesmo muito bons, e quando digo isto refiro-me a treinadores, jogadores e outros intervenientes como diretores, departamento médico, etc. Com uma população de 10 milhões, e infelizmente envelhecida, quem trabalha fora do País consegue perceber porque somos um dos melhores países do Mundo em futebol. Em Portugal treinou as escolinhas e infantis do Vizela, depois os sub-19 do Moreirense, onde também coordenou a formação do clube, e levou a equipa pela primeira vez aos nacionais, voltou ao Vizela, onde treinou iniciados, juvenis e juniores quando apareceu a oportunidade de trabalhar fora de Portugal, a convite de Luiz Filipe, para integrar um projeto na Arábia Saudita, no Al Nasser. «Aí evolui muito, com pessoas que, felizmente, também foram subindo e fazendo o seu caminho. Um ano com pessoas com Luiz Filipe, que neste momento é coordenador de um clube de primeira divisão na China, Tozé Mendes, que coordena outra academia de primeira na China, e Luís Esteves, treinador de guarda-redes da primeira equipa do Benfica. Depois voltei a Portugal para trabalhar num dos grandes do futebol português, o Vitória de Guimarães, onde treinei sub-15, sub-19 e em simultâneo era coordenador da formação nos últimos três anos e meio antes de entrar nesta nova aventura», contou. Nos tempos livres dedica-se ao… futebol Em Debrecen Luís Castro acorda cedo (7 da manhã), uns dias leva a filha ao infantário, outros segue diretamente para o clube, de onde sai por volta das 19. Aos sábados há jogos de manhã até ao fim da tarde e os domingos são reservados à família, mas sempre com um olho nos jogos - Nos tempos livres gosto de ver futebol (risos) jogos de equipas de top europeu ou alguns do campeonato português. Tenho acompanhado mais o V- Guimarães, que está a fazer uma excelente época. Depois gosto de ver um bom filme com a esposa, ou passar num parque infantil com a minha filha. Já fomos ao jardim zoológico, entre outros programas familiares. Também gosto de ler mas, infelizmente, nos últimos tempos não tem acontecido muito. Coordenar um clube retira muito de nós, mas conseguimos perceber mais sobre o que é o futebol do que quando apenas treinamos. E do sente mais falta de Portugal? «De algumas pessoas. Felizmente recebo amanhã a visita da família mais próxima, irmãs cunhado e sobrinha, mas dos amigos e de algumas pessoas com quem trabalhava no Vitória. A comida como todos sabem não existe igual em lado nenhum à cozinha portuguesa, mas felizmente, a minha esposa cozinha muito bem e também gosta da comida portuguesa, o que faz com que, nesse aspeto, não esteja tão mal. Mas, principalmente, sinto falta de um bom marisco com qualidade. A filha não quer esquecer o português De certo que desde que vive em Debrecen já passou por algum episódio engraçado. Quer partilhá-lo com os leitores de A BOLA? «Está a acontecer algo engraçado. Neste momento a minha filha, que não falava húngaro e agora já fala muito bem, num dia destes estávamos os dois a falar, ela em húngaro com a minha esposa, a perguntar algumas palavras em português que não conseguia lembrar-se, e durante a conversa, quando lhe perguntei se já não sabia português, respondeu-me: «Pai fala sempre comigo em português, eu não me quero esquecer das palavras todas.» E quando sabem que é português quais são as questões mais frequentes? «Sabendo que trabalhamos no futebol, as perguntas andam sempre à volta de Ronaldo, Mourinho, entre outras, como o último Europeu. Tenho sido convidado a ver os jogos do apuramento da seleção no bar do clube, onde vemos os jogos de Portugal e Hungria em simultâneo, visto que são do mesmo grupo. Perguntam pela Seleção portuguesa, tenho a opinião que vamos ter uma das melhores, se não a melhor, de sempre dentro de poucos anos. Tive a felicidade de jogar contra alguns deles, como André Silva ou Gelson, e outros com quem não joguei, mas vi jogar, como Cancelo, Bernardo, João Mário, Raphael Guerreiro entre outros. As conversas são sobre futebol, as qualidades de Portugal, entre culinária e paisagens. ...
ANGEL GOMES É ESTRELA NO MAN. UNITED E COBIÇADO PELO BARCELONA. Angel Gomes, filho de Gil Gomes, é visto em Inglaterra como um dos mais promissores jogadores da formação do Manchester United. Mas em Espanha diz-se que o Barcelona já detetou a pérola que ali está e ontem o As mostrava um vídeo com um golo fantástico do filho de Gil Gomes, campeão do Mundo de sub-20 por Portugal com a chamada geração de ouro, com Figo, Rui Costa, João Vieira Pinto, Fernando Couto, entre muitos outros. Angel Gomes tem apenas 16 anos, feitos a 31 de agosto, e em recente conversa com A BOLA dizia que sonhava chegar à primeira equipa do Manchester United. O treinador José Mourinho ainda não lhe concedeu esse privilégio mas, como se pode ver no vídeo, o jovem Angel continua a espalhar magia pelos relvados ingleses nos jogos da formação. Um nome que deve decorar, já que Angel Gomes é muitas vezes referenciado pelos jornais ingleses como o jogador que mais desequilibra na seleção de Inglaterra de sub-17. Uma pérola! Uma coisa é certa, Angel Gomes vai chamando a si atenções dos maiores clubes da Europa. Resta saber se será mesmo José Mourinho a promover a estreia deste talentoso jogador no clube onde Cristiano Ronaldo maravilhou o mundo. Gil Gomes cauteloso Mas falemos na cobiça do Barcelona: Perguntámos a Gil Gomes como vai convivendo com estas notícias mas o campeão do mundo de sub-20 por Portugal serve-se da experiência que tem para desvalorizar o assunto: «Importante é que o Angel continue a ter todo este prazer em jogar futebol. Não nego que muitos clubes me vão perguntando por ele, mas é o que ele diz sempre… o próximo sonho a realizar é um dia jogar na primeira equipa do Manchester United, clube onde tem vindo a crescer.» ...
JOÃO COIMBRA: DA ROMÉNIA À ÍNDIA COM LEMBRANÇAS DE DERBIES, CEMITÉRIOS E VACAS SAGRADAS . De volta ao futebol português, tendo assinado contrato com o UD Leiria, João Coimbra, 30 anos, fala das experiências que viveu na Roménia (Rapid Bucareste) e Índia (Kerala Blasters). - Fizeste o teu percurso maioritariamente em Portugal, mas depois de um período de lesões no Estoril, surgiu a oportunidade do Rapid de Bucareste. Uma experiência com sabor agridoce, não foi? - Em termos competitivos foi mau. Aliás, acho que o clube vai entrar em falência e deixei lá três meses de ordenado. A nível pessoal, foi uma boa experiência. A minha mulher e a Lara foram comigo e adorámos a cidade. É muito parecida com Lisboa. Também gostei de jogar no futebol romeno, até porque o ambiente no estádio era fantástico. Vivi lá coisas que nunca tinha vivido aqui... - Lembras-te de alguma história curiosa na Roménia? - Eles têm algumas situações curiosas. Antes dos jogos, as equipas fazem um passeio no shopping. Então, é normal em vésperas de um derby encontrarmo-nos com a outra equipa. Só imaginava um Benfica-Sporting no centro comercial Colombo [risos]. O engraçado é que as pessoas também estão habituados e não abordam os jogadores. Lembro-me também de um episódio meio macabro: o estádio do Rapid é ao lado de um cemitério e, numa das vezes que estávamos a sair para um desses passeios, havia um funeral. O estranho é que o morto ia numa carrinha normal de caixa aberta e o caixão estava aberto e inclinado para toda a gente ver a pessoa. Aquilo ficou gravado na minha memória algum tempo. - Depois surgiu o convite do Kerala Blasters, da Super Liga indiana, uma competição que dura quatro meses e que recebe jogadores de todo o Mundo... - Sim, é um campeonato muitíssimo bem organizado, talvez ao nível de um Europeu. A maioria das pessoas não sabe, mas só em dois jogos é que não tivemos mais de 60 mil pessoas nas bancadas. O estádio enche duas horas antes e toda a gente canta e toca tambor. É um ambiente de festa. Lembro-me que o Roberto Carlos era treinador-jogador de uma equipa e que quando veio jogar contra nós, todo o nosso estádio tinha cartazes com a cara dele. Se ele fizesse um golo, o estádio ia abaixo. - Olhando para trás, qual é a primeira lembrança de Cochim, a cidade onde ficaste instalado? - A miséria... As equipas ficam sempre em bons hotéis, é uma espécie de estágio prolongado, o que é ótimo, porque a verdade é que lá não dá vontade de sair. O choque é enorme. Tenho um vídeo no meu telemóvel em que só se vê favelas e um grupo de crianças a jogar à bola num descampado com porcos, vacas e macacos pelo meio. Lembro-me de ver um miúdo chegar-se a um canto, fazer as necessidades e subir as calças logo a seguir. Impressiona, apesar das crianças parecerem felizes. Depois, há a ligação às vacas que são sagradas e estão por todo lado. O trânsito também é caótico, porque os indianos têm a mania de apitar mesmo sem motivo. Em duas faixas, chegam a andar quatro carros lado a lado e motas com famílias inteiras. O que choca mais é mesmo a pobreza. Há muitas mulheres com bebés ao colo a pedir esmola. Mas, no meio de tudo isto, reparei que ainda existem algumas referências a Portugal, nas poucas vezes em que saí do hotel. - Comeste coisas esquisitas? - Que eu saiba, não. Evitava comer comida indiana, aproveitava as massas e as carnes do hotel, mas cheguei a comer coisas deles, sem saber o que eram... Eles comem tudo com as mãos, até arroz. Não é muito higiénico, mas faz parte da cultura indiana. Um dia, fui a um restaurante experimentar a comida indiana, mas exageram sempre no picante e nos molhos. ...
NUNO SILVA: DO PESADELO EM ANGOLA À AVENTURA EM ESPANHA COM A CAMISOLA DE FRANCO. Nuno Silva não vai esquecer tão cedo o dia 29 de julho de 2015. O extremo de 29 anos apresentou-se como reforço do Real Jaén, da 2.ª divisão B espanhola, com uma camisola estampada com a imagem do ditador Francisco Franco e a polémica estalou em Espanha. O assunto foi um dos mais comentados no twitter e o dia que parecia o mais tranquilo e calmo tornou-se num verdadeiro pesadelo. «Recordo como se fosse hoje. Acaba por ser o momento com maior impacto da época, do clube e, claro está, também o momento que teve mais impacto para mim nesta passagem por Jaén. Passei a ser um jogador conhecido por causa de uma camisola. Foram dois/três dias difíceis ao início mas depois demos a volta à situação com os grandes profissionais do clube. O apoio de todos foi determinante para a minha adaptação à cidade e ao clube», recorda Nuno Silva em conversa com A BOLA. «A oportunidade de vir para o Real Jaén surgiu com a maior das naturalidades e sem contar muito. Estava a procurar a melhor solução dentro do mercado português e estava num trabalho de verão com um amigo e o telefone tocou quando menos esperava. Ouvi a proposta e não hesitei pois era um desejo muito grande jogar em Espanha», acrescenta o extremo que em Portugal representou clubes como o União da Madeira, Freamunde, Olhanense, Santa Clara, entre outros. Finda a temporada em Espanha, Nuno Silva faz um balanço positivo e deixa rasgados elogios à qualidade que existe no terceiro escalão do futebol espanhol. «O balanco é super positivo a nível pessoal: realizei mais de 30 jogos, marquei quatro golos, fiz várias assistências e jogos de bom nível. Estou muito feliz com a época que fiz a nível pessoal mesmo com os problemas todos que existiram durante a época. Não tinha a ideia de que a 2.ª divisão B tivesse este nível. Há equipas neste campeonato com orçamentos, estádio, condições de trabalho e adeptos superiores a muitos clubes da Liga portuguesa. Aqui o futebol é vivido com muita paixão», descreve. O carinho dos adeptos exigentes do Jaén A experiência no Real Jaén terminou, mas Nuno Silva garante que não vai esquecer os exigentes adeptos do emblema espanhol. O amor que a afición tem pelo clube é enorme e mesmo nos momentos mais difíceis não deixam de apoiar a equipa. «Os adeptos são exigentes porque o Jaén é um clube grande, que está habituado a estar acima da 2.ª B. Os adeptos querem ver o clube nos escalões acima. São apaixonados e sentem o clube como ninguém. Não são de outros clubes, são apenas do Real Jaén e isso faz-nos perceber o verdadeiro sentido da palavra amor. Mesmo nos momentos difíceis, os adeptos não deixam de apoiar… Incrível. Nos nossos jogos em casa eram sempre no mínimo quatro mil a apoiar», conta o atacante português. Angola: o pior passo da carreira A aventura por território espanhol não foi a primeira além-fronteiras de Nuno Silva. O jogador português esteve 18 meses em Angola mas as coisas não correram como o desejado. Atualmente assume essa mudança como o «pior passo da carreira»… «Não vou esconder que foi o pior passo na minha carreira. Não ponderei os riscos e fui atrás apenas do dinheiro. Pensava que poderia ter uma carreira melhor fora do que em Portugal e ganhar mais títulos e dinheiro. Hoje assumo publicamente que me arrependo de não ter ouvido o meu pai. Tinha apenas 25 anos e estava na Liga [Olhanense] com um grande treinador, o Sérgio Conceição, um grupo de jogadores muito bom e não tive paciência… Reconheço que fui egoísta e egocêntrico quando tomei a decisão de me aventurar por Angola», admite. «Mas tenho de valorizar a passagem por Angola do ponto de vista pessoal. Foi um ano e meio de grande aprendizagem, Obrigou-me a traçar outros caminhos e a reconhecer que estava errado… Aprendi muito e aqui tenho de destacar alguém, que pelas suas qualidades humanas, foi muito importante para mim durante a passagem por Angola: o Professor Vaz Pinto», acrescenta. Futuro? Onde for feliz… O futuro não preocupa Nuno Silva. O extremo português espera encontrar um projeto onde se sinta valorizado por todos. Depois de tudo o que viveu, Nuno garante que o mais importante neste momento passa por agarrar uma oportunidade num clube onde possa ser feliz. «Os meus objetivos passam sempre por ser feliz e nunca ir apenas atrás da melhor solução financeira. Movo-me por paixões e o futebol espanhol é vivido dessa forma. Se me derem a escolher tentarei continuar por Espanha», garante. «Voltar a Portugal está sempre nos planos e sem vaidade posso afirmar que não vou para um projeto de Liga 2 só para estar na Liga 2. Não sinto qualquer complexo em jogar em que divisão for. O mais importante hoje é sentir-me feliz todos os dias em que calço as chuteiras, desejado e importante para as pessoas que me rodeiam no clube. Gostava de voltar para poder ter a alegria de ver os meus pais e filhos a festejarem um golo meu», termina....
 

Newsletter A Bola

Subscreva e receba de forma gratuita no seu email diariamente as notícias de desporto que selecionámos para si.

sondagem

Não existem sondagens a decorrer

resultados

de ontem
Marco Silva fez bem em escolher o Watford em vez do FC Porto?
  • 87%
  • 13%
  • Sim
  • Não
Ver mais notícias >>